Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

13 Filmes sobre empoderamento feminino que valem muito a pena assistir

A maior base de dados sobre filmes do mundo, Internet Movie Database (IMDb), registra atualmente mais de 400 mil longas-metragens. Com uma duração média de 90 minutos por filme, levaríamos cerca de 70 anos para terminar a lista, sem pausa para dormir, trabalhar ou comer. E mesmo que não levemos em conta os novos filmes que ainda serão lançados, não conseguiríamos encontrar tanto tempo para ver os já existentes. Com isso em mente, é preciso escolher bem os filmes que queremos ver para não perdermos tempo com produções medianas.

Nós, do Incrível.club, somos verdadeiros cinéfilos e, por isso, apreciamos bons filmes, que nos deixam nervosos, felizes, emocionados e, em geral, que mudam a nossa perspectiva sobre as coisas do dia a dia. A nossa seleção de hoje é focada em longas que tiveram mulheres nos papéis principais, reforçando o empoderamento feminino nas telinhas. Esperamos que você não se decepcione. Confira!

Consequências (2019)

Ano de 1946. A Alemanha tenta se recuperar da sua derrota na Segunda Guerra Mundial. Por mais estranho que pareça, os antigos inimigos são os que irão ajudar nesse processo. O britânico Lewis Morgan (Jason Clarke) e sua esposa viajam para a cidade em ruínas de Hamburgo, e eles são hospedados em uma casa confiscada pelo arquiteto alemão Stephen Lubert (Alexander Skarsgård). No entanto, o antigo dono da mansão ainda mora lá com a sua filha.

Lubert e Rachel (Keira Knightley), esposa de Lewis, começam a ter um caso. Mesmo que a trama pareça ser uma história típica de amor proibido, o filme retrata em primeiro plano a forma como cada personagem lida com a dor das trágicas consequências da guerra.

  • Avaliação IMDb — 6,3

A Maratona de Brittany (2019)

Brittany Forgler (Gillian Bell) tem um trabalho mal remunerado, completa falta de ambição ou metas de vida. E ela também está acima do peso. Após fazer um exame médico, Brittany descobre que precisa perder pelo menos 25 kg para “ficar saudável”. No entanto, ela não tem dinheiro para entrar em uma academia e, por isso, decide colocar um tênis e começar a correr na rua mesmo.

Tentando combater a própria resistência interna, conhecida por qualquer pessoa que já tenha tentado mudar os próprios hábitos, Brittany gradualmente consegue se acostumar com a nova atividade. Logo depois, ela decide correr a Maratona de Nova Iorque. A caminho de alcançar esse objetivo, Brittany deixa para trás não só dezenas de quilômetros e “quilinhos”, mas principalmente seus medos e incertezas, o que faz com que ela consiga começar a se amar novamente.

  • Avaliação IMDb — 6,8

Uma Mulher Americana (2018)

Debra é uma mulher de 32 anos com uma vida inteira pela frente. Mas, nessa idade, ela já é avó. Infelizmente, a sua filha, Bridget, resolveu seguir o seu caminho e deixou tudo para trás. Aos 16 anos, no momento errado, com o homem errado e por uma série de decisões erradas, a garota se vê com um bebê no colo. Debra não quis deixar a filha desamparada e ofereceu sua ajuda, mantendo sempre um bom humor. Mas, um dia, Bridget, simplesmente desapareceu.

Durante 11 anos, Debra vive com a esperança de voltar a ver sua filha. Ela lidera um grupo de voluntários que está à procura de Bridget e, enquanto isso, não deixa de estudar, trabalhar, cuidar do neto, que mais parece com seu filho, e vai perdendo aos poucos seus maus hábitos. A história de Debra mostra que ninguém está imune às tragédias e infelicidades. Mas o mais importante é a forma como lidamos com as adversidades, mesmo quando parece que não há mais para onde ir.

  • Avaliação IMDb — 6,8

Paradise Hills (2019)

Uma (Emma Roberts) é um castigo e uma vergonha para toda a sua família. A garota se recusa a seguir as regras existentes, como quando a forçaram a se casar com um homem escolhido por seus pais. Para lidar com a rebeldia da menina, os pais a mandam para um lugar chamado Paradise Hills. Esse é o lugar onde meninas rebeldes se transformam em “mulheres perfeitas” — elegantes, educadas e, principalmente, submissas.

A grade horária do internato inclui atividades recreativas, tratamentos de beleza e sessões de psicoterapia. Muitos de nós certamente não se importariam de passar as férias em um lugar desses. No entanto, por trás das belas paisagens, roupas luxuosas e sorrisos de orelha a orelha, há muitos mistérios escondidos. Uma percebe de cara que há algo de errado com aquele lugar e tenta organizar uma fuga. Mas a duquesa (Milla Jovovich) do lugar sabe bem como lidar com tais comportamentos.

  • Avaliação IMDb — 6,0

As Loucuras de Rose (2018)

Rose-Lynn (Jessie Buckley) quer mesmo ser uma estrela da música country, mas ela tem muitos obstáculos em seu caminho antes de alcançar seu objetivo. Ela vive na Escócia, saiu recentemente da prisão e tem 2 filhos pequenos. Muitas pessoas desistiriam na primeira barreira, mas não Rose-Lynn. O destino parecia estar sorrindo para ela. A proprietária da casa onde Rose trabalhava como governanta ouviu a garota cantar e resolveu ajudá-la a realizar seu sonho e a encontrar um produtor.

Rose-Lynn decidiu seguir corajosamente em direção aos seus sonhos. Os espectadores podem esperar por muitas canções country e um olhar mais profundo sobre os bastidores da indústria de entretenimento.

  • Avaliação IMDb — 7,2

Os Aeronautas (2019)

Já estamos acostumados com a previsão do tempo no noticiário ou no monitor do nosso celular. É difícil imaginar que a meteorologia já foi considerada uma grande ficção, e não uma ciência de verdade. Mais difícil ainda é imaginar que, no final do século XIX, o explorador James Gleisher (Eddie Redmayne) decidiu provar o contrário. Junto de sua parceira, Amelia Wren (Felicity Jones), uma acrobata apaixonada por balões, eles embarcam em uma aventura a 8 mil pés de altura.

A história é baseada em eventos reais. Juntos, eles fazem uma viagem de balão, passando por inúmeras adversidades, como tempestades, trovões, chuva e frio, tudo isso para chegar aonde ninguém mais havia chegado naquele momento. Quando você descobre que os atores realmente filmaram dentro de um balão, o nervosismo e a apreensão só aumentam durante toda essa jornada. Os 2 personagens (verídicos) arriscaram suas vidas para que nós tivéssemos o conhecimento que temos hoje.

  • Avaliação IMDb — 6,6

Ordinary Love (2019)

Joan (Leslie Manville) e Tom (Liam Neeson) são casados há anos. Com o passar do tempo, o relacionamento deles se tornou mais íntimo, leve e enraizado no companheirismo. Tudo ia bem até o dia em que Joan foi diagnosticada com câncer de mama. A luta contra a doença terá de fazer parte da relação do casal a partir de agora.

O que fazer quando seu mundo desaba à sua frente? Como apoiar a pessoa amada, que pode te largar a qualquer momento, e, ao mesmo tempo, não deixar de acreditar em si mesmo? Essas perguntas serão respondidas não só pelos heróis do filme, mas também pelos espectadores.

  • Avaliação IMDb — 7,5

Ride Like a Girl (2019)

A vida de Michelle Payne girava em torno de cavalos. Ela sempre passava seu tempo livre treinando, pois sonhava em um dia ganhar o prestigiado torneio de corrida de cavalos, a Merlbourne Cup. Mas ninguém achava que aquele era o lugar dela — a sociedade da época acreditava que as mulheres deviam ficar sentadas na arquibancada, não participando em cima de um cavalo.

Mas isso não foi um obstáculo para Michelle. Ela estava disposta a sacrificar tudo, até mesmo sua vida, para alcançar seu sonho. Essa é uma história real, cujo fim já sabemos: Michelle Payne foi a primeira mulher a ganhar esse torneio. O mais interessante do filme é acompanhar os eventos da vida de Michelle que fizeram com que ela chegasse aonde chegou.

  • Avaliação IMDb — 6,8

A Vida Invisível (2019)

Nem só de cinema internacional vive o homem. Anos 50, Rio de Janeiro. A história desse filme nacional conta a história de duas irmãs que são muito apegadas uma à outra, Guida (Julia Stockler) e Eurídice (Carol Duarte). Eurídice tem o sonho de ser pianista e estudar em Viena, a capital da música, enquanto Guida quer sair do controle conservador de seu pai e encontrar liberdade em si mesma. Guida foge com seu namorado para a Grécia, com a esperança de encontrar sua felicidade, deixando sua irmã em casa. Lá, no entanto, ela só encontra decepções.

O destino também foi cruel com Eurídice. Ela precisou se submeter à vontade do pai e se casou com um homem que não amava, tendo que deixar assim as aulas de música de lado. As irmãs ficaram sem se falar por muitos anos, mas cada uma com a esperança de que a outra tivesse tido sucesso na vida. E parece que foi essa fé cega que ajudou as duas a seguir em frente.

  • Avaliação IMDb — 8,1

Gloria Bell (2018)

Gloria Bell está com seus 50 anos. É divorciada, seus filhos já cresceram e agora não ligam mais tanto para ela como ela gostaria e sua carreira deslanchou. Gloria gosta de praticar ioga para manter a boa forma, tomar uma taça de vinho para relaxar e, ocasionalmente, ter uma noite casual de paixão somente para satisfação física. Gloria, portanto, construiu para si uma vida na qual ela é autossuficiente e desprovida de preocupações.

Mas, de repente, o que começou como um flerte casual se transformará em um romance completo. E novamente a protagonista precisará enfrentar o passado, introduzir uma nova pessoa no seu mundo invididual e aprender a viver ao lado de alguém novamente. Mas Gloria não estava nada preparada para isso. O filme procura retratar uma representação universal dos dilemas da mulher de 50 anos.

  • Avaliação IMDb — 6,3

A Jornada (2019)

Sarah (Eva Green) é uma astronauta que está se preparando para uma viagem a Marte em uma missão oficial na Rússia. Ela teve de suportar muitas horas de treinamento e uma tremenda pressão psicológica por ser mulher em um meio tão dominado por homens. Apesar disso, um dos maiores obstáculos que Sarah terá de enfrentar é se despedir de sua filha de 7 anos. Stella (Zelie Bulan) não entende os pormenores dessa missão espacial e quer apenas que sua mãe fique ao seu lado.

Uma grande parte do filme é dedicada ao processo de formação dos astronautas, bem como às suas experiências individuais. Juntamente de Sarah, os espectadores passarão por dilemas, preocupações extremas e terão de encontrar a resposta à pergunta: é possível ser ao mesmo tempo uma excelente profissional espacial e uma boa mãe?

  • Avaliação IMDb — 6,8

O Quebra-Cabeça (2018)

Agnes (Kelly MacDonald) vive uma vida muito pacata: cozinhar, lavar roupa, limpar a casa, fazer compras etc. Ela se dedica aos cuidados da casa e às necessidades de seu marido e de seus filhos. Mas, quando Agnes começar a se sentir estagnada, ela descobre que tem um novo talento: resolver quebra-cabeças. Graças ao seu novo hobby, Agnes conhece Robert (Irfan Khan), que se revela um verdadeiro profissional da área. Ele, então, a convida para participar de um torneio de quebra-cabeças.

A preparação para o torneio abre muitas outras portas na vida de Agnes além do quebra-cabeça: ela começa a notar o valor de sua independência e singularidade. E também que talvez seja alguém fora do seu papel de mãe e da rotina doméstica.

  • Avaliação IMDb — 6,7

Ema (2019)

O casamento da bailarina Ema (Mariana Di Girolamo) e do coreógrafo Gaston (Gael García Bernal) não estava indo nada bem. A gota final foi a rejeição do garoto Paco, de 9 anos, que ambos haviam adotado recentemente. O menino havia causado um incêndio em casa que queimou o rosto da irmã de Ema e, por isso, eles o devolveram para a adoção. Mas Gaston culpava Ema pelo acontecido e, um belo dia, resolveu simplesmente ir embora. Para tentar se reconciliar com o marido, Ema opta pela única forma que conhece bem: a dança.

A energia dos movimentos pode ser sentida através da tela, quase que forçando nossos corpos a se moverem em sintonia com a música.

  • Avaliação IMDb — 6,8

Quais outros filmes sobre empoderamento feminino você poderia recomendar? Comente!