13 Adaptações cinematográficas cujo final tomou um rumo diferente do esperado pelos leitores dos livros

A cada ano, mais e mais adaptações cinematográficas de romances são produzidas. E, claro, não é segredo para ninguém que a história de muitas delas acaba seguindo rumos diferentes da trama original. Em alguns casos, no entanto, os próprios escritores assumem a responsabilidade pelo final distinto nas telonas, como Gillian Flynn, autora do best-seller Garota Exemplar. Contudo, por outro lado, o filme pode acabar se beneficiando de tais mudanças, por gerar discussões para aqueles que já leram o livro.

Nós, do Incrível.club, amamos ler livros e assistir a filmes. Portanto, decidimos montar uma lista com 13 adaptações cinematográficas que terminaram de uma maneira completamente diferente dos romances que as inspiraram. Confira!

Garota Exemplar

A escritora Gillian Flynn escreveu o roteiro para a adaptação do seu próprio romance. E isso é bem perceptível ao longo do filme: tudo está organizado tão logicamente como no livro, preservando totalmente a atmosfera. O único “porém” é que o final é um pouco diferente do best-seller.

Assim, no final, Amy volta para Nick, forçado a aceitar sua esposa de volta. O filme mostra a completa aceitação do personagem de Ben Affleck do seu destino, enquanto acaricia os cabelos da esposa e apenas pensa em um futuro difícil. No livro, porém, Nick expressa abertamente seu descontentamento com a situação. “Lamento por você acordar todas as manhãs e ser você”, ele diz à sua esposa no final da obra.

O Despertar de uma Paixão

Na adaptação da obra O Véu Pintado, um pouco mais de romance foi adicionado à trama. Ao contrário dos acontecimentos descritos no livro, Kitty se apaixonou por seu marido pouco antes dos eventos trágicos. Além disso, no final, a heroína de Neomi Watts foi apresentada de uma maneira melhor.

No filme, enquanto compra flores, ela reencontra Charlie Townsend, em Londres, mas recusa sua proposta. No livro, Kitty aceita o convite para visitá-lo e volta para seu ex-namorado, embora se sinta culpada por reatar.

A Janela Secreta

Como disse o protagonista do filme: “A parte mais importante da história é o fim”. E o diretor, como o personagem de Johnny Depp falou, reescreveu o final da história. O filme termina com Mort Rainey assando uma espiga de milho enquanto é questionado pelo xerife sobre o desaparecimento de Amy e seu novo pretendente.

No livro, é exatamente o oposto. Amy é resgatada no último instante por um agente de seguros que chega acidentalmente. E Mort, então, passa a ser lembrado apenas no passado.

Adoráveis Mulheres

Entre as muitas adaptações do romance Adoráveis Mulheres, a versão de 2019 se destaca. A diretora e roteirista Greta Gerwig tinha um objetivo interessante: “Eu queria fazer um filme especial, com um final que definitivamente agradasse à autora do livro — Louisa May Alcott”, disse Greta.

Como sabemos, a protagonista Jo March é inspirada na própria Louisa May Alcott. Ela de fato foi uma escritora de sucesso, mas acabou nunca se casando. No livro, Jo se casou para agradar aos leitores da época. No entanto, no filme, a heroína continua solteira após publicar seu romance e criar um orfanato.

O Iluminado

A famosa cena do filme O Iluminado, em que Jack Nicholson aparece congelado, não existe no livro. O autor do romance, Stephen King, terminou a história de uma forma muito mais positiva. O personagem principal consegue lutar com sucesso contra a influência sobrenatural que assombra o hotel, e por amar seu filho, deixa-o ir embora com sua esposa. Em seguida, o hotel Overlook explode devido a uma caldeira com defeito. Aliás, no livro, o chef Dick Hallorann continua vivo.

Para o diretor Stanley Kubrick esse final não era muito memorável. No filme, Jack continua sendo o vilão até o fim, mas seu filho consegue enganá-lo, fazendo com que ele fique encurralado no labirinto e acabe morrendo congelado. Enquanto isso, o hotel continua são e salvo.

Forrest Gump: O Contador de Histórias

O filme cult de Robert Zemeckis, Forrest Gump, é inspirado no romance homônimo de Winston Groom. Porém, naturalmente, a história foi retrabalhada para a telona. Por exemplo, no longa não foi mencionado o fato de Forrest ter participado do campeonato mundial de xadrez, voado para o espaço e ser amigo de um macaco. Por outro lado, a cena da corrida através do país foi criada do zero.

O final também foi mudado. No filme, o personagem de Tom Hanks cria o filho sozinho após sua esposa falecer. No entanto, no livro, Jenny permanece viva — ela apenas troca Forrest por outro homem.

No limite do Amanhã

O filme de ação No limite do Amanhã é inspirado em um livro de fantasia japonês com muitos diálogos e desenhos no estilo mangá. O protagonista interpretado por Tom Cruise escapa com sucesso do loop temporal, salva o planeta e novamente se encontra com a sargento Rita Vrataski.

No livro, o final não é tão feliz. Cage precisa sacrificar Rita para poder salvar a Terra, e o mais triste é que ela sabe de tudo sobre o seu destino, desde o começo.

Sem Limites

Neil Burger, o diretor do filme Sem Limites, inspirado no romance homônimo, criou uma história completamente nova para a versão fílmica. Nas telonas, o personagem principal também toma uma droga experimental que aumenta a eficiência do cérebro. No entanto, muitos detalhes, personagens e eventos, descritos no livro, foram alterados na versão cinematográfica.

O longa terminou de uma maneira bem mais positiva: o herói de Bradley Cooper termina fazendo planos grandiosos, superando a todos e mudando a droga. No livro, o final é bastante triste: Eddie termina se escondendo das autoridades, tomando os dois últimos comprimidos do composto e escrevendo um livro sobre suas aventuras recentes.

Uma Prova de Amor

Esse é um excelente exemplo de quando o filme tem um final totalmente oposto ao do livro. O enredo conta a história de Anna Fitzgerald, uma menina de 11 anos, forçada a ser uma doadora permanente para sua irmã doente, Kate. Anna está farta de sua situação e recorre a um advogado para resolver o problema.

No filme, os espectadores viram um final triste, porém já esperado. Kate falece logo após o julgamento, e sua família, diante da tragédia, acaba unida. O final do livro é muito mais surpreendente. Anna sofre um acidente de carro e fica mal, enquanto Kate recebe o rim da irmã e se recupera.

Rebecca — A Mulher Inesquecível

O livro de Daphne Du Maurier, Rebecca, está na lista dos melhores romances policiais de todos os tempos. A adaptação mais recente foi lançada em 2020 e, ao contrário de muitas outras, foi bastante precisa. Entretanto, sem a perspectiva do autor, o diretor Ben Wheatley resolveu continuar a história um pouco além do final do livro.

O romance termina com a família de Winter observando, da colina, o incêndio em sua propriedade. Dados os eventos anteriores, o futuro do casal termina incerto. Já no filme, existe uma sequência para os fatos, em que a Sra. de Winter ajuda a tirar as pessoas que estavam na propriedade, e a solucionar a causa da tragédia. No final, o casal vive feliz na ensolarada Cairo.

Feira das Vaidades

A adaptação cinematográfica do livro A Feiras das Vaidades, de William Makepeace Thackeray, foi trabalhada durante 10 anos. E os roteiristas concordaram que o final deveria ser suavizado para que a personagem de Reese Witherspoon não acabasse tão mal. O filme termina com imagens de Becky e Joseph Sedley se mudando para a Índia e começando uma vida nova.

O final do livro, porém, é diferente: Becky é abandonada e seu filho não consegue perdoar a mãe por sua traição.

Hannibal

Quando Hannibal foi publicado, o trabalho do autor Thomas Harris reuniu uma montanha de críticas. Durante a leitura, os leitores acreditavam que Clarice Starling odiava Hannibal Lecter, no entanto, a heroína acabou tendo um caso com ele. No final, o casal ainda foi morar junto na Argentina. A propósito, o rumo da conclusão do livro foi uma das principais causas por Jodie Foster, que interpretou Clarice em O Silêncio dos Inocentes, recusar o papel na adaptação da obra para as telonas.

Era esperado que os roteiristas mudassem o final. Assim, a agente Starling falha na missão e Hannibal Lecter mais uma vez escapa. Na última cena, vemos o sorriso misterioso do médico em um avião indo para algum lugar.

O Gambito da Rainha

O seriado O Gambito da Rainha é inspirado no livro homônimo de Walter Tevis, escrito em 1983. Curiosamente, o romance reflete alguns detalhes da vida do escritor. Por exemplo, seu amor pelo xadrez, a vida internado em um hospital de reabilitação e o tratamento para largar o vício. Muitos dos momentos dirigidos por Scott Frank são bastante precisos em relação à obra, mas alguns foram insuficientes.

No livro, a heroína mal se lembrava da mãe e só usava calmantes para dormir, diferentemente da adaptação. A série ainda mostrou que Beth é completamente apaixonada por D. L. Townes, e que o personagem de Thomas Brodie-Sangster, Benny, é apenas um amigo. No romance, acontece o oposto: em Moscou ela quer que Benny seja o único a acompanhá-la. Acontece que o relacionamento deles está apenas começando nesse momento, segundo a visão do autor.

Na sua opinião, os diretores e roteiristas deveriam ser fiéis aos finais dos livros ou podem inovar, criando uma conclusão alternativa para a história em adaptações cinematográficas? Conte para a gente na seção de comentários.

Compartilhar este artigo