Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

12 Séries que são spin-offs de outras, ou seja, nasceram a partir de produções que já existiam

Certos personagens que surgem em filmes ou séries revelam tanto potencial que acabam inspirando novas produções — que, por sua vez, têm justamente esses personagens como tema central. Esse tipo de desdobramento do mundo das séries e dos cinemas é conhecido como spin-off, ou história derivada, fenômeno que não é exatamente novo, mas vem se tornando cada vez mais comum diante do crescente número de seriados disponibilizados a cada ano.

Existem spin-offs tão bem-sucedidos quanto as produções originais — caso de Better Call Saul, pré-sequência baseada no advogado surgido originalmente em Breaking Bad como personagem secundário. Por outro lado, há exemplos de fracassos retumbantes e o programa dedicado ao personagem Joey Tribbiani, surgido após o final de Friends, é um deles.

Nós, do Incrível.club, fizemos uma lista dos spin-offs mais comentados da televisão, revelando a origem de cada um deles.

1. Breaking Bad (2008) / Better Call Saul (2015)

Quando chegou a seu fim, Breaking Bad deixou muita gente com uma sensação de vazio. O último episódio estreou no fim de 2013: era o adeus de Walter White (ou “Heisenberg”, nome do alter ego do personagem), Jesse Pinkman e Saul Goodman. Porém, os fãs não ficaram órfãos por muito tempo, já que dois anos depois, chegava às telas a série Better Call Saul, spin-off que tem como protagonista o advogado mais controverso da cidade de Albuquerque.

A produção é uma pré-sequência que se aprofunda na história pessoal e profissional do advogado interpretado por Bob Odenkirk. A quinta temporada chegou recentemente ao catálogo da Netflix e para não correr o risco de dar spoilers caso você ainda não tenha assistido, diremos apenas que a trama traz também outros personagens oriundos de Breaking Bad, como Michael “Mike” Ehrmantraut e Gus Fring.

2. The Tracey Ullman Show (1987) / Os Simpsons (1989)

Você provavelmente nunca assistiu a The Tracey Ullman Show, programa humorístico de televisão que foi transmitido entre 1987 e 1990. Mas foi nele que os personagens da família Simpson apareceram pela primeira vez, antes de ganharem uma série para chamar de sua. Homer e família eram os protagonistas de animações curtas que iam ao ar antes e depois de cada bloco, e foram fazendo tanto sucesso que, com o passar do tempo, ganharam mais espaço dentro da atração.

A estreia solo dos personagens criados pelo cartunista Matt Groening ocorreu em um especial de Natal, em 1989. O que aconteceu de lá para cá, nós sabemos bem: já são mais de 670 episódios exibidos ao longo de 31 temporadas, inúmeros prêmios recebidos, um filme e o reconhecimento do público em nível mundial.

3. Buffy, a Caça-Vampiros (1997) / Angel (1999)

Anos antes de a saga Crepúsculo contar uma história de amor entre um vampiro e uma humana, a série Buffy — a Caça Vampiros explorava a relação proibida entre uma caçadora de vampiros e um daqueles seres míticos, chamado Angel. Quem foi adolescente na década de 90 certamente se lembra das idas e vindas que marcaram o romance.

O sucesso do papel interpretado por David Boreanaz fez com que os produtores criassem uma série estrelada pelo personagem. Morando em Los Angeles, o vampiro, após ter a alma restaurada, luta contra criaturas demoníacas em uma tentativa de se redimir pelas décadas em que viveu como um assassino. Em certas ocasiões, os caminhos e os personagens dos dois programas se entrelaçam.

4. Barrados no Baile (1990) / Melrose Place (1992)

A série Barrados no Baile foi um dos maiores sucessos da década de 90, transmitida em horário nobre na televisão americana e levada também a diversos países do mundo — tendo feito sucesso inclusive aqui no Brasil. A trama girava em torno de um grupo de jovens que viviam cercados de luxo e alçou atores como Jason Priestley, Luke Perry e Shannen Doherty à categoria de ídolos.

Pegando carona na popularidade, os mesmos produtores lançaram Melrose Place (ou simplesmente Melrose), atração com um formato similar, só que voltada a um público mais adulto. O personagem Jake Hanson, interpretado por Grant Show, fez uma breve participação na primeira série e ficou encarregado de servir como um elo entre ela e o spin-off. Como meio de alavancar a audiência, o intercâmbio de personagens entre ambas as séries tornou-se uma estratégia comum.

5. Cheers (1982) / Frasier (1993)

Frasier ganhou 37 vezes o Emmy e ocupa o terceiro lugar na lista das produções mais agraciadas com esse prêmio, ficando atrás apenas de Saturday Night LiveGame of Thrones. O número dá uma ideia do sucesso obtido pela sitcom, que teve 11 temporadas, lançadas entre 1993 e 2004. A história gira em torno da vida de um psiquiatra que, após se divorciar, volta para Seattle, sua cidade natal, para retomar os laços com seu pai e seu irmão.

O personagem principal, vivido por Kelsey Grammer, surgiu de outro grande sucesso da televisão: Cheers. Ele era um cliente assíduo do bar em que se desenrolava a atração, escolhida pela crítica especializada como uma das melhores de todos os tempos. O programa foi responsável por impulsionar a carreira de atores muito conhecidos, como Ted Danson, Woody Harrelson, Rhea Perlman e Kirstie Alley.

6. The Walking Dead (2010) / Fear the Walking Dead (2015)

O mundo não é mais o mesmo: o cenário é pós-apocalíptico e, por algum fenômeno inexplicável, as pessoas que morrem tornam-se zumbis que passam a atacar os vivos. É esse panorama desolador que o policial Rick Grimes encontra ao sair de um coma, dando início a toda uma trama de sobrevivência mostrada em The Walking Dead, atualmente em sua décima temporada.

Explicar como foi a transição entre a normalidade e o surgimento dos mortos-vivos é o ponto de partida de Fear the Walking Dead, atração criada em 2015. “Trata-se mais de uma história paralela do que de uma pré-sequência”, afirmou Dave Erickson, um dos produtores. Para além da definição técnica, ambas as séries têm vários pontos em comum: são baseadas em comics de Robert Kirkman e ainda compartilham alguns dos mesmos personagens.

7. Hércules: A Lendária Jornada (1995) / Xena: A Princesa Guerreira (1995)

A mitologia grega é sempre uma boa inspiração para contar grandes histórias. E no caso de Hércules: A Lendária Jornada, que trouxe o ator Kevin Sorbo no papel do herói dotado de força extraordinária, a receita deu muito certo. Tudo começou com cinco filmes, produzidos para serem lançados diretamente na TV. Depois, surgiu uma série semanal, exibida entre 1995 e 1999.

No final da primeira temporada, o filho de Zeus e uma mortal ajudam uma malvada líder guerreira chamada Xena a se redimir, encontrando o lado bom que existia dentro dela. Os produtores viram tanto potencial na personagem interpretada por Lucy Lawless que, naquele mesmo ano, criaram spin-off Xena: A Princesa Guerreira. Com o passar do tempo, a produção tornou-se cultuada por fãs de diversos países.

8. Beavis e Butt-Head (1993) / Daria (1997)

Beavis e Butt-Head foi um seriado de animação para adultos que marcou época. A partir dele, foram lançados filme, quadrinhos, álbum de música e até videogames, além do spin-off Daria, uma adolescente que, com sua inteligência e cinismo, contrastava com a estupidez e ingenuidade dos protagonistas do desenho original.

Daria surgiu como uma colega de sala de Beavis e Butt-Head, mas depois, no começo de sua própria sitcom, se mudou para outra cidade, e é aí que acabam todas as referências cruzadas entre os programas. Um dos motivos para tal decisão foi que o criador do personagem, Mike Judge, decidiu não se envolver no projeto, pois já estava ocupado demais com O Rei do Pedaço, outro de seus sucessos na área da animação.

9. Arrow (2012) / The Flash (2014)

Arrow, sobre o vigilante Arqueiro Verde, deu início a uma franquia de séries envolvendo os personagens da DC Comics, grupo que até então não estava aproveitando o novo boom dos super-heróis iniciado pela Marvel. O segundo produto televisivo do “Universo Arrow”, nome com que ficou conhecido o início da saga, foi The Flash.

As reações positivas ao jovem personagem capaz de correr a velocidades inimagináveis após suas aparições em dois capítulos de Arrow fizeram com que os produtores desenvolvessem um spin-off tendo o Flash como protagonista. Anos depois, seriam lançados mais programas do mesmo universo: Supergirl, Legends of Tomorrow, Black Lightning, Batwoman e, em breve, Superman e Lois.

10. Minha Família é uma Bagunça — Arnold (1978) / Vivendo e Aprendendo (1979)

O pequeno Arnold e sua frase “Que papo é esse, Willis?” conquistaram vários corações no fim dos anos 70 e início dos 80, com a série Minha Família é Uma Bagunça (que em algumas emissoras foi rebatizada como Arnold). A história girava em torno de duas crianças afro-americanas de um bairro pobre que foram acolhidas por um empresário milionário e por sua filha. Com um viés humorístico, a atração abordou vários temas polêmicos, como racismo e dependência de álcool.

Um dos personagens centrais da primeira temporada e da metade da segunda era a governanta Edna Garrett, que depois ganhou seu próprio programa: Vivendo e Aprendendo. No spin-off, que contou com nove temporadas, a protagonista tornou-se cuidadora e conselheira de quatro estudantes internas que vivem nos dormitórios da escola.

11. O Desafio (1997) / Justiça sem Limites (2005)

Drama, pílulas de comédia, atores renomados em participações especiais e debates sobre moral e ética no âmbito legal são alguns dos ingredientes que fizeram de O Desafio uma série de enorme sucesso. A produção foi transmitida durante oito anos, e recebeu diversos prêmios até que a queda na audiência levou a um final abrupto.

corte no orçamento decorrente da diminuição no número de telespectadores motivou uma renovação de quase todo o elenco na última temporada. O novo time passou a incluir James Spader, William Shatner, Rhona Mitra e Lake Bell, que posteriormente continuaram interpretando os mesmos personagens em Justiça sem Limites, spin-off que foi ao ar entre 2004 e 2008.

12. Friends (1994) / Joey (2004)

Os milhões de fãs de Friends em todo o mundo viram pela última vez todos os amigos juntos na cena de encerramento da produção. Nela, o elenco aparece deixando suas chaves do apartamento e indo tomar um café no Central Perk. A partir de então, a vida dos personagens é um mistério, com exceção da de Joey Tribbiani, que tornou-se protagonista de sua própria série apenas quatro meses depois do final de Friends.

Na nova atração, o personagem interpretado por Matt LeBlanc se muda para Los Angeles com o intuito de investir em sua carreira artística. O spin-off foi cancelado depois da segunda temporada por conta da baixa audiência. “Não era possível que Matt tivesse aquele estilo de vida despreocupado e o que se tentou foi engrandecer o Joey. Acho que isso foi um grande erro”, admitiu Kevin Bright, um dos produtores executivos.

Você conhecia a história por trás das produções listadas neste post? Existe algum personagem ou série que você gostaria que tivesse um spin-off? Deixe um comentário com sua opinião!