Incrível
Incrível

12 Mistérios e detalhes pouco conhecidos de algumas das esculturas mais icônicas do mundo

Existem muitas esculturas espalhadas pelo mundo que formam parte do imaginário das pessoas seja pela história e pelo simbolismo que se criou em torno delas, seja pela beleza estética. Mas algumas das grandes obras que conhecemos escondem detalhes e segredos que estão sempre sujeitos a múltiplas interpretações.

Pensando nisso, o Incrível.club listou uma série de esculturas famosas que escondem detalhes, mistérios e muitas curiosidades.

1. Originalmente não era verde

O artista responsável por projetar a Estátua da Liberdade, Frédéric Auguste Bartholdi, queria que ela fosse coberta de ouro, mas o material usado no fim das contas foi o cobre, sobretudo porque era mais barato. Originalmente, a estátua apresentava uma coloração dourada, quase um marrom avermelhado, mas com o passar dos anos ela começou a adquirir um tom verde, resultado do processo de oxidação do metal.

2. Moisés, de Michelangelo, com chifres

Especialistas afirmam que esse detalhe da escultura poderia ser produto de um erro na tradução para o latim da bíblia na frase: “E os filhos de Israel viram então os raios de luz que emanavam da face de Moisés”. O que ocorre é que foi usada a palavra karan, que significa chifre (ou corno), em vez de keren, que significa radiante, luminoso ou com raios de luz.

3. O olho que falta no busto de Nefertiti

O busto que expõe os traços da esposa do faraó Aquenáton apresenta a particularidade de não ter um olho. Pesquisadores demonstraram que não há rastros de materiais que indiquem que em algum momento ele existiu; ou seja, trata-se de um mistério. Suspeitava-se que Nefertiti teve problemas de visão, mas a suspeita foi descartada quando outros vestígios encontrados a mostraram com os dois olhos.

4. Identidade desconhecida

Quando a Vênus de Milo foi encontrada, em 1820, não se sabia se a escultura representava Anfitrite, deusa do mar, ou Afrodite, deusa da beleza, dado que a obra não tinha braços. Após uma análise, determinou-se que era a segunda opção, sobretudo por causa da sensualidade, das joias e por causa do descobrimento dos fragmentos de um de seus braços e de sua mão, que segurava uma maçã, uma marca característica da divindade.

5. A Esfinge tinha barba

O Museu Britânico possui restos de uma barba que teria sido acrescentada ao rosto da Esfinge de Gizé durante o reinado de Tutmsis IV. Ou seja, aparentemente ela não era parte da peça original que, segundo cálculos, é do século XXVI a.C.

6. Coroa do Cristo Redentor

A grande estátua do Cristo tem em sua cabeça uma coroa metálica que serve de para-raio. Por ser um dos pontos mais altos do Rio de Janeiro, o sistema é necessário e se estende pelos braços para conter as descargas elétricas. Segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais do Brasil, por ano a estátua é atingida por uma média de dois a quatro raios. Em 2014, um dedo sofreu alguns danos por esse motivo.

7. Séculos de diferença entre as peças

lenda diz que a loba Luperca amamentou Rômulo e Remo, fundadores de Roma. No entanto, as figuras que compõem essa escultura, localizada no Museu do Capitólio, foram feitas em diferentes momentos. A loba de bronze é da Idade Média e os irmãos foram acrescentados durante o Renascimento.

8. Batalha de estátuas em Nova York

Em 1989, Arturo Di Modica instalou o Touro de Wall Street em frente à Bolsa de Nova York. Muitos anos depois, já em 2017, outra estátua foi instalada no local, bem em frente ao touro: trata-se da Fearless Girl (“Menina sem Medo”, em tradução livre). Essa segunda estátua incomodou Di Modica, que afirmava que a obra distorcia o sentido de prosperidade da sua escultura e a transformava em uma figura de medo. O objetivo inicial era que ela justamente representasse uma menina que enfrentasse o touro. No fim, ela acabou sendo removida em 2018 e instalada em outro local da cidade.

9. Segredo muito bem guardado

Em 1955, um antigo Buda de 4 metros foi deixado ao ar livre enquanto se construía o templo que o abrigaria. Após uma chuva torrencial, a superfície de gesso se rompeu e descobriu-se que a escultura era de ouro. Na antiguidade, os monges protegiam dessa forma as peças religiosas de invasores avarentos. O célebre Buda de Ouro fica em Bangkok, na Tailândia.

10. Uma beleza incompleta

A célebre escultura Vitória de Samotrácia foi descoberta em 1863 e estava dividida em 110 fragmentos que não incluíam a cabeça nem os braços. Apesar das incansáveis buscas, só foi possível encontrar a palma e dois dedos da mão direita. Tentaram reconstruir as partes faltantes, mas no fim preferiu-se manter a beleza da obra mesmo incompleta.

11. As roupas do Manneken Pis

Há muitas histórias em torno da escultura do menino urinando que fica localizada no centro de Bruxelas. Desde 1954, A Ordem dos Amigos de Manneken Pis veste com roupas que fazem referência à vida na Bélgica e à cultura pop. Ela já conta com mais de mil peças.

12. Erros na estátua de David?

Foram indicadas supostas falhas na escultura de Michelangelo, como a desproporção da cabeça e das mãos, que são grandes demais; além disso, os olhos não olham na mesma direção e o semblante é exagerado. Sabe-se que o artista intencionalmente fazia isso para alcançar determinados efeitos visuais e destacar alguns aspectos específicos em suas obras.

Qual é a sua escultura preferida? E você conhece outras obras que tenham alguma história escondida?

Incrível/Arte/12 Mistérios e detalhes pouco conhecidos de algumas das esculturas mais icônicas do mundo
Compartilhar este artigo
Você pode gostar destes artigos