Incrível
Incrível

10 Mocinhos da ficção que podem não ser tão bonzinhos quanto parecem

Em toda obra de ficção, normalmente decidimos logo de cara quem é o mocinho, qual é o vilão e para quem será a nossa torcida no decorrer da história. No entanto, há muitos personagens que nos encantam no início, mas que se revelam completamente diferentes ao longo da trama. Isso tem um nome: são os chamados personagens redondos, que se transformam e nos surpreendem.

Pensando nessas nuances da personalidade, o Incrível.club foi buscar exemplos para ilustrar como nem sempre os mais queridos do público também deixam claro quem de fato são. Veja os nossos escolhidos!

1. Ariel, de A Pequena Sereia

Na primeira produção, Ariel é uma menina-sereia curiosa e cheia de vida, que empenha toda sua energia tentando sair do mar a todo custo e conhecer o mundo fora da água.

O filme A Pequena Sereia II: O Retorno para o Mar dá continuidade à história da personagem, quando ela continua fora do mar e sua filha já é uma pré-adolescente. O curioso é que a menina deseja conhecer a vida no mar, mas Ariel a impede a todo custo.

2. Alice, de Alice no País das Maravilhas

Apesar de ser apenas uma criança de 7 anos, a pequena Alice tem uma personalidade egocêntrica e acredita que já sabe tudo sobre a vida. Ao ser confrontada com realidades desconhecidas, age impulsivamente e sem medir as consequências ou ouvir conselhos. Ainda bem que isso pode resultar em grandes aprendizados.

3. Elsa, de Frozen

Em Frozen, a pequena Elsa nasceu com um poder capaz de destruir tudo e todos, dom que a colocou em uma posição de vítima desde o início da trama. No entanto, o comportamento agressivo e amargo não se justifica.

Apesar de agir propositalmente para afastar as outras pessoas do perigo, ela foi a causa da tristeza da irmã por longos anos. Ainda bem que teve tempo de se redimir, não é?

4. Bruce Wayne, o Batman

Bruce Wayne é o jovem milionário por trás do Homem Morcego. Apesar de ser um dos maiores heróis de toda a ficção, também é o responsável por criar um círculo vicioso de vilões em Gotham City.

Todos os antagonistas do método de Batman apenas demonstram que, na verdade, ele não contribui para reduzir a criminalidade na cidade. Afinal de contas, quem é capaz de se descrever como “Eu sou a vingança”, não pode ser coisa muito boa mesmo!

5. Mario, do game Mario Bros.

Um fenômeno há gerações, o personagem Mario tem um comportamento bem controverso: ele persegue qualquer coisa viva que surja à sua frente — e ainda se aproveita de amigos como o Yoshi, com quem mantém uma relação de conveniência, “descartando-o” quando não precisa mais de seus favores.

Além disso, o bigodudo com jeito bonachão é totalmente obcecado em coletar moedas. E, como diz uma canção popular: “dinheiro na mão é vendaval”!

6. Willy Wonka, de A Fantástica Fábrica de Chocolate

Na primeira versão do filme A Fantástica Fábrica de Chocolates, de 1971, as crianças passam por situações horríveis que as deixam com sequelas. Apesar de a trama mostrar ser o comportamento dos pequenos que desencadeia os problemas, Willy Wonka assiste a tudo sem acionar nenhuma forma de resgate.

E pode piorar! Há uma teoria de que o excêntrico anfitrião nunca desejou que os visitantes chegassem ao fim do passeio. Isso faz sentido se considerarmos como Wonka ocasionalmente leva as crianças e seus acompanhantes de um lugar para outro em meios malucos de transporte.

7. Rebecca Pearson, de This Is Us

Rebbeca é a peça central da série This Is Us. Sob o pretexto de proteger os três filhos e manter a família sempre unida, a mãe inventa diversas mentiras e esconde fatos importantes do passado.

Sempre justificando que luta pela felicidade dos filhos, ela manipula todos ao seu redor e cobra perfeição de cada membro do clã.

8. Lily Aldrin, de How I Met Your Mother

Na trama da série How I Met Your Mother, as lições de vida da personagem Lily Aldrin sempre acabam conduzindo o destino dos amigos para os rumos que ela deseja.

Isso sem contar as vezes em que criou situações embaraçosas para atingir seus objetivos, como quando deixou um brinco da ex-namorada de Ted no quarto do rapaz, fazendo com que a atual parceira rompesse o compromisso.

9. Flora, de A Favorita

Flora, interpretada por Patrícia Pillar, logo caiu nas graças de todos os telespectadores da novela A Favorita. Com um jeito triste e introvertido, a dona de um olhar meigo enganou os demais personagens em grande parte da obra, alegando inocência em um crime do passado.

Na realidade, a autopiedade da personagem era uma forma de camuflar sua personalidade criminosa e malvada — e seu desejo de vingança.

10. Nina, de Avenida Brasil

Não há como negar todo o sofrimento pelo qual Rita passou, ainda criança, no início da trama. Em Avenida Brasil, a personagem retorna adulta, como Nina, e traz na bagagem um plano de vingança.

Apesar de ter criado uma rede de ódio e mentiras, o público ainda torceu pela “não tão mocinha” ao longo de toda a novela.

Concorda com a nossa lista? Se você sentiu falta de algum personagem que deixa dúvidas sobre a sua maldade, conte para a gente nos comentários qual é, e por que ele também se parece com um vilão.

Incrível/Arte/10 Mocinhos da ficção que podem não ser tão bonzinhos quanto parecem
Compartilhar este artigo
Você pode gostar destes artigos