10 Casos em que os atores trabalharam duro para executar uma ideia brilhante do diretor

Para capturar a emoção necessária do ator em cenas importantes, os diretores frequentemente recorrem a vários truques: provocam os atores, costumam pegá-los de surpresa, criam uma atmosfera intensa no set, entre outros.

Nós, do Incrível.club, nos lembramos de casos em que os diretores fizeram tudo o que puderam para conseguir um filme o mais realista possível. Mas é claro que os atores precisaram se esforçar bastante.

Um Lugar Silencioso (2018)

Cerca de 95% dos acontecimentos do filme Um Lugar Silencioso se dão em silêncio total. Os personagens se comunicam através de gestos e expressões faciais. O diretor John Krasinski insistiu que todo o elenco aprendesse a linguagem de sinais, pois, uma das atrizes, Millicent Simmonds, é deficiente auditiva. Segundo o diretor, a atriz, que interpretou a filha da personagem de Emily Blunt, tornou-se uma guia à disposição de toda a equipe, para o ingresso em um mundo sem som. Isso ajudou muito para que o filme alcançasse o máximo de realismo.

Os Pássaros (1963)

No set de Os Pássaros, Alfred Hitchcock conseguiu uma reação verdadeira de Tippi Hedren. Conforme o roteiro, o ápice do filme é o momento em que a personagem de Hedren é atacada por dezenas de gaivotas. A atriz acreditava que a cena seria realizada com pássaros cenográficos. No entanto, a decisão do diretor foi diferente.

No dia da gravação da cena, Hedren foi avisada que os adereços estavam com defeito e seriam substituídos por pássaros de verdade. No cenário, à “espera” da atriz, havia muitas gaivotas, liberadas ao comando do diretor. As aves começaram a atacá-la e a assustaram. A situação levou a atriz a um estresse emocional.

De Olhos Bem Fechados (1999)

Stanley Kubrick começou a preparação de Nicole Kidman e Tom Cruise, então casados, dois meses antes do início das filmagens. Por exemplo, ele levava os atores para caminharem juntos, os questionava sobre suas vidas pessoais e seus relacionamentos anteriores, provocando reações e testando a solidez de seu casamento.

Para o diretor era importante aperfeiçoar cada cena, por isso ele realizava muitos takes, desgastando os atores física e mentalmente. Depois das filmagens, o casal acabou se divorciando.

Zodíaco (2007)

David Fincher é um perfeccionista e pode refilmar a mesma cena dezenas de vezes. Durante as gravações de Zodíaco, os atores precisaram fazer até 70 takes de algumas cenas. O elenco não ficou nada contente com essa abordagem, mas foi Jake Gyllenhaal que passou pelos momentos mais difíceis. O diretor não apenas fazia o ator repetir as cenas inúmeras vezes, como apagava as gravações na frente de Gyllenhaal.

A Favorita (2018)

Durante as filmagens de A Favorita, Emma Stone foi obrigada a usar um espartilho muito apertado, que pressionava o busto da atriz e afetava seu bem-estar. O filme se passa nos anos 1800 e o diretor Yorgos Lanthimos desafiou os figurinistas a recriar a época. Por isso o espartilho apertado foi peça obrigatória no figurino de todas as atrizes.

Interestelar (2014)

Em uma das entrevistas, Anne Hathaway comentou o trabalho com Christopher Nolan: ele não permite cadeiras no set de filmagens. Nolan acredita que tendo cadeiras, os atores irão se sentar e, se o fizerem, vão relaxar. Um diretor desse porte tem que manter um controle rigoroso dos prazos e orçamentos, e Nolan consegue, talvez graças às cadeiras, ou melhor, à ausência delas.

Um Estranho Vampiro (1988)

No set de Um Estranho Vampiro, Nicolas Cage engoliu uma barata viva. O ator interpretou Peter Loew, um agente literário, que acredita estar se transformando em um vampiro. Em uma das cenas, o personagem de Cage come uma barata. Para tornar a ação mais realista, o diretor decidiu usar um inseto de verdade. Dizem que a cena foi filmada três vezes.

Cisne Negro (2010)

O diretor de Cisne Negro, Darren Aronofsky, proibiu Natalie Portman de conversar com os outros atores do elenco. O isolamento visava ajudar a atriz a mergulhar na situação da sua personagem. A tática do diretor, os exercícios exaustivos e a perda de peso quase acabaram com a atriz. Ela precisou de muito tempo após as filmagens para se livrar da energia de um papel tão difícil.

Duna (2021)

Para adquirir a aparência do vilão Vladimir Harkonnen, o ator Stellan Skarsgård passou um total de 80 horas na cadeira de maquiagem (cerca de 30% do tempo total em que esteve presente no set). Levava cerca de cinco horas para transformar Stellan no Barão vestido, e seis a sete horas para transformá-lo no Barão sem roupas.

A equipe de maquiagem de Duna passou sete meses criando todos os detalhes da aparência do Barão Harkonnen.

Chinatown (1974)

O diretor Roman Polanski é conhecido por seu temperamento, que veio à tona no set de Chinatown, em 1974. Jack Nicholson estava tão absorto assistindo a uma partida de basquete que se recusou a sair do seu trailer enquanto o jogo não acabasse. Polanski, por outro lado, queria prosseguir com as filmagens a todo custo. O diretor entrou no trailer de Nicholson e arremessou a televisão pela janela. O trabalho continuou.

Na sua opinião, qual desses atores enfrentou o maior desafio? Comente!

Compartilhar este artigo