Uma cidade medieval abandonada abriga uma estátua misteriosa

Curiosidades
há 7 meses

Costumavam chamar esta ilha de Paris do Oriente. Principalmente por seus belos edifícios com grandes jardins e arcos de pedra impressionantes. Mas agora ela não é mais como costumava ser. Sua arquitetura está quase inteiramente coberta por raízes de árvores e trepadeiras.
A Ilha Ross é um pequeno território no Oceano Índico. Está localizado a leste da cidade indiana de Port Blair. Embora tenha sido pensada como uma prisão, Ross Island acabou se tornando um luxuoso resort para os administradores locais. Eles diziam que ela era um verdadeiro deleite para os residentes mais privilegiados. Ostentava bangalôs opulentos, vitrais trazidos da Itália, jardins bem cuidados, quadras de tênis e até piscinas. Logo após o fechamento do complexo em 1937, um forte terremoto atingiu a ilha, causando muitos danos, o que a deixou ainda mais inabitável. A ilha está agora sob administração da Índia e se tornou uma atração turística para pessoas interessadas em cidades abandonadas.

Pedaços da arquitetura alemã ainda estão escondidos no deserto da Namíbia. A cidade de Kolmanskop, no início dos anos 1900, era um local luxuoso quando trabalhadores alemães se estabeleceram no local, em busca de diamantes. Esta cidade abandonada costumava ter de tudo, desde um salão de baile até um hospital e uma pista de boliche. De repente, no final da década de 1910, quando outro local cheio de diamantes foi encontrado nas proximidades, ela começou a declinar. Assim, a maioria das pessoas que moram ali se mudou em busca de mais riqueza. Desde então, Kolmanskop foi lentamente ocupada por dunas de areia, enquanto a temperatura quente e a baixa umidade ajudaram a preservar os edifícios. Esta cidade-fantasma também está disponível para os visitantes. Se você quiser ir até lá, pode reservar um passeio na cidade vizinha de Lüderitz.

Outro castelo abandonado domina a vista em Craco, uma cidade italiana. A vila inteira fica no topo de um penhasco de quatrocentos metros de altura. Os fundadores gostaram desse local, pois sabiam que seria fácil se defender de civilizações indesejadas. Mas o castelo, construído em 1300, logo foi subjugado por deslizamentos de terra e terremotos. Embora ninguém mais resida lá, a cidade medieval costuma ganhar vida durante os vários festivais que acontecem nos meses de verão. Os locais também oferecem passeios e contam histórias incríveis. Um dos destaques é uma estátua que aparentemente surgiu do nada e agora está em um corpo d’água.

Escondida nas montanhas de Montana, Garnet Ghost Town conta a história americana da corrida do ouro no oeste. A história da cidade se inicia na década de 1890, quando encontraram muito ouro na mina de Nancy Hanks.
Em seus dias de glória, Garnet tinha quase 1.000 residentes. Mesmo relativamente isolada, tinha salões, hotéis, lojas, uma escola e outras características de uma cidadezinha normal. Em 1905, quando a maior parte do ouro já havia sido retirada, as minas começaram a ser deixada para trás, então apenas algumas centenas de residentes permaneceram em Garnet. A gota d’água veio em 1912, quando um incêndio danificou a maioria dos edifícios da cidade. Depois, na década de 1940, Garnet foi completamente abandonada. Logo se tornou um lugar para caçadores de tesouros em busca de móveis e artefatos, foi assim até que uma campanha de preservação começou na década de 1970. A cidade foi declarada distrito histórico em 2010. Até hoje, Garnet é uma das cidades fantasmas mais bem-preservadas da região.

A Ilha de Hashima é outro local abandonado que nos prova que, quando o homem se afasta, a natureza assume o controle. Este lugar misterioso apareceu até em um filme de James Bond por sua paisagem fantasmagórica. Costumava ser um local bem conhecido no Japão por minas de carvão submarinas, quando foi inaugurada em 1881.
Em 1959, no seu auge, era habitada por mais de 5.000 pessoas, incluindo mineiros e suas famílias. Assim que as minas começaram a secar, por volta de 1970, as pessoas passaram a sair da ilha. Ela foi completamente abandonada em 3 meses! Embora ninguém mais more lá, muitos turistas passeiam por casas abandonadas, piscinas, lojas e fábricas.

Outra cidade com vocação mineradora é Calico, na Califórnia. Em 1881 as pessoas descobriram que o local estava cheio de prata, então logo surgiram mais de 500 minas de prata e 3.000 residentes, que construíram hotéis, lojas em geral, restaurantes e uma escola. Eles tinham até um jornal local impresso, chamado Calico Print.
Em 1986, a cidade ficou vazia. Um dos antigos moradores decidiu comprá-la e iniciar a restauração, tornando-a um marco histórico registrado. Tem até um museu do Velho Oeste à disposição dos turistas. Uma das atrações mais interessantes que foram reconstruídas é a ferrovia “Calico & Odessa”, de mil e quinhentos quilômetros de extensão. Atualmente atravessa os desfiladeiros e colinas íngremes e até passa pelas antigas minas e edifícios ao norte de Calico. Aproximadamente um terço da cidade é original, enquanto o restante consiste em edifícios mais novos que são réplicas destinadas a recriar o espírito do passado.

Se você é fã de carros, já deve ter ouvido falar de Henry Ford, o famoso industrial americano que fundou a Ford Motor Company em 1903. Mas em 1927 ele começou a trabalhar em outro de seus sonhos ambiciosos: a “Fordlândia”. Era para ser uma enorme plantação de seringueiras localizada perto do rio Tapajós no Brasil, pois precisava de uma fonte confiável de látex para os pneus e as mangueiras de seus carros. Sua visão era projetar uma cidade completa com piscinas, campo de golfe, bangalôs e até sessões semanais de quadrilha para os habitantes locais.
Este projeto foi infeliz já no início, pois o plantio incorreto fez com que as seringueiras fossem infectadas por fungos. Embora Henry Ford tenha investido impressionantes 20 milhões de dólares nessa fonte potencial de renda, a cidade não conseguiu produzir a borracha necessária. Ele não tinha mais nada a fazer a não ser vendê-la para o Brasil em 1945, e o projeto logo foi completamente abandonado. Muitos de seus edifícios ainda estão de pé, mas foram tomados pela natureza circundante. Você ainda pode ver turistas curiosos vagando por lá até hoje.

Durante seus dias de glória, Hampi foi a segunda maior cidade do mundo. Olhando para suas ruínas hoje, é difícil imaginar que esta cidade indiana era repleta de templos e bazares e que ela serviu como um importante centro do Império Maurya nos séculos 14 e 15. Foi destruída no século 16, mas ainda preserva fortes e mercados. Tornou-se parte do Patrimônio Mundial da UNESCO em 1986, com o objetivo de proteger seus edifícios, como o Lótus Mahal, uma estrutura de pedra esculpida semelhante a uma flor de lótus que se abre para o sol.

Uma vila turística foi construída em 1920 ao longo da costa de Epecuen, um lago salgado a cerca de 600 quilômetros a sudoeste de Buenos Aires, na Argentina. Ela foi projetada para proporcionar que pessoas com uma vida agitada na cidade pudessem desfrutar do ar fresco perto das águas salgadas do lago. Foi equipada com uma estação ferroviária e acabou tendo uma população de mais de 5.000 moradores.
O projeto também estava fadado ao fracasso, pois a quantidade incomum de chuva naquela época fez com que o Lago Epecuen aumentasse de volume. Em 1985, a água invadiu a barragem local e a cidade foi inundada. As águas chegaram a 10 metros de profundidade em 1993 e só começaram a baixar em 2009, deixando para trás os restos dos edifícios literalmente incrustados de sal. Ninguém voltou para a cidade, exceto Pablo Novak, que em 2012 era o único morador de Villa Epecuen.

Comentários

Receber notificações
Sorte sua! Este tópico está vazio, o que significa que você poderá ser o primeiro a comentar. Vá em frente!

Artigos relacionados