Tartarugas gigantes voltam a se reproduzir após 1 século

Animais
há 11 meses

As Ilhas Galápagos estão se enchendo novamente de vida. Depois de mais de um século, as famosas tartarugas gigantes, símbolos da ilha, voltaram a se reproduzir. No Incrível.club estamos entusiasmados com as notícias encorajadoras, então queremos compartilhar com vocês os detalhes desse grande sucesso.

As Chelonoidis nigra, mais famosas como as tartarugas gigantes de Galápagos, são as maiores tartarugas terrestres do mundo. Trata-se de um conjunto de 10 espécies, cujo tamanho pode variar. As maiores, no entanto, chegam a medir até 2 metros e a pesar 450 quilos ou mais! Elas são os pequenos dinossauros de nossos tempos.

Nos últimos séculos, as tartarugas gigantes passaram por um momento muito difícil para suas espécies. A sua população se reduziu notavelmente: de mais de 250 mil exemplares no século XVI para apenas 3 mil na década de 1970. Você se perguntará o que aconteceu com as pobres tartarugas. Foi culpa do ser humano? Sim e não. Indubitavelmente, a caça para comer a carne afetou sua população, mas a principal razão dessa redução drástica foram os ratos!

Acontece que várias espécies de animais foram introduzidas nas Ilhas Galápagos, as quais ao se reproduzir de forma exagerada começaram a afetar a fauna endêmica. Entre esses intrusos estavam os ratos negros, que rapidamente se tornaram uma praga. Em busca de comida, esses roedores não podiam pensar em nada melhor do que comer os ovos das tartarugas, escondidos na areia pelas fêmeas. Pouco a pouco, a população de tartarugas atingiu um nível vulnerável. Foi então que pesquisadores iniciaram um trabalho para conservar essas espécies, que não podiam mais se reproduzir no seu habitat natural.

O programa de criação e captação de tartarugas começou em 1965 com apenas 20 espécies que permaneceram vivas. Quando os filhotes ficavam grandes o suficiente para que os ratos não pudessem comê-los, eram libertados na Ilha de Pinzón, uma das principais do arquipélago, onde também foi lançado veneno para matar os ratos. Pulverizar a ilha não foi uma tarefa fácil, já que havia o risco de que o veneno prejudicasse outros animais endêmicos, como os pássaros. Mas depois de uma investigação minuciosa, os cientistas apresentaram uma fórmula segura para os outros animais. Foi assim que a praga dos ratos negros na ilha terminou e as tartarugas pela primeira vez em tantos anos tiveram a chance de se reproduzir em seu habitat natural.

O primeiro nascimento bem-sucedido foi registrado em 2015, mas os pesquisadores não queriam cantar vitória antecipadamente e decidiram continuar observando. No final do recém-concluído 2017 surgiram mais tartarugas, o que prova que elas conseguem restabelecer sua população de forma natural.

No Incrível.club esperamos que haja mais notícias inspiradoras como essa. Como um bônus, deixamos você para esta tartaruga bebê com um olhar curiosamente misterioso.

Comentários

Receber notificações
Sorte sua! Este tópico está vazio, o que significa que você poderá ser o primeiro a comentar. Vá em frente!

Artigos relacionados