Por que uma criança não deve nada a seus pais (e o que fazer para não se tornar um estranho para seu filho)

Gente
há 11 meses

A vida muda, e com ela mudam as relações familiares. Nesse contexto, a literatura filosófica aborda a questão dos deveres que os filhos supostamente teriam para com seus pais. Será que filhos adultos podem negar esses deveres? Muitas pessoas têm medo de dizer “não” aos seus pais, e acabam sacrificando seus sonhos e hobbies para viver a vida de “outra pessoa”, sofrendo com o sentimento de culpa por toda a vida.

Incrível.club decidiu debater esse assunto do chamado dever filial para que os filhos adultos entendam a diferença entre gratidão e autossacrifício.

Meu nascimento foi sua escolha

Pais manipuladores muitas vezes dizem que dedicaram todo seu tempo ao filho, e por isso cobram que ele expresse gratidão. A criança então sente que todo o amor e cuidado que recebe não são incondicionais, e seu amor pelos pais dá lugar a uma grande decepção.

Um filho não nasce para realizar as esperanças que os pais depositaram nele. Quando a criança é amada e vive em uma família carinhosa, a gratidão aos pais vem como uma consequência natural.

Eu já te dei muitíssimo, é uma pena se passou despercebido

Olhares, abraços, primeiras palavras e desenhos são presentes que um filho dá aos seus pais desde muito cedo. Mas infelizmente, muitas vezes isso tudo passa despercebido. Os pais devem saber que não é suficiente apenas satisfazer as necessidades básicas da criança. É preciso reparar nos pequenos gestos, que são muito importantes. Se a criança cresce sendo ignorada, não é de surpreender que ela não queira estreitar as relações com sua família depois de adulta, nem que queira visitar os pais o mínimo possível.

Pais nem sempre se tornam amigos próximos

Sem dúvida alguma, os pais desempenham um papel importante na vida de cada criança, mas isso não quer dizer que podemos contar só com eles. Infelizmente, muitas vezes acontece o contrário, as crianças enfrentam a falta de apoio. Além disso, os pais ignoram seus problemas, e a crítica deles só agrava o problema.

Antes de tudo, é necessário avaliar a situação de maneira adequada e não fazer sacrifícios em vão. Se os pais não apoiam o filho, e ele vive no ambiente de desdém e humilhação, essas relações não têm futuro. Não viva no mundo das ilusões; se nunca sentiu o amor e o apoio dos seus pais, você não tem nenhum dever filial a cumprir.

Por outro lado, se um filho cresce sentindo o amor incondicional de seus pais, ele retribuirá com sentimentos positivos durante toda a vida.

Segundo a teoria de amizade, as crianças devem fazer pelos pais o mesmo que fazem pelos amigos, porque a amizade é voluntária. Caso os pais e o filho não compartilhem emoções, não se pode falar em deveres e compromissos.

Eu não serei o que você queria ser

Os pais não devem atrapalhar a realização de seus filhos. A criança deve escolher o seu próprio caminho, que pode ser semelhante ao dos seus pais ou completamente diferente.

Uma criança que não faz suas próprias escolhas se tornará um adulto com medo de errar, alguém que sempre vai depender dos outros, e que vai deixar as decisões importantes de sua vida nas mãos de outras pessoas.

Claro que os pais têm suas expectativas, mas isso não quer dizer que o filho deva desistir de suas próprias ideias e fingir ser outro alguém. Pessoas que sacrificam seus sonhos por causa da família vivem com raiva, amarguradas e se sentindo injustiçadas.

Relacionamentos familiares saudáveis ​​permitem que você seja você mesmo. Se não for assim, é sinal de que algo precisa mudar.

Eu não vou sacrificar o meu tempo

Às vezes, pais que não têm seus próprios hobbies ou objetivos começam a passar todo o seu tempo com os filhos. E esperam que a criança faça o mesmo no futuro.

Mas os filhos crescem e um dia entram na vida adulta, enquanto muitos pais seguem presos à rotina do passado. Nessa hora é preciso ficar claro que se eles não dedicaram tempo suficiente às suas próprias vidas, foi por uma escolha própria. O filho agora não pode ser cobrado para que passe todo seu tempo com a família.

Eles têm, sim, o direito de decidir que tipo de relacionamento querem ter com os familiares, e não é justo que os pais exijam mais. Independentemente de terem um ou mais filhos, as pessoas devem estar prontas para cuidar de si mesmas.

Não posso devolver o seu tempo

Quando não conseguem realizar seus sonhos, muitos pais começam a pensar que desperdiçaram todo o seu potencial por causa do bebê. E acabam concluindo que a dedicação ao filho não valeu a pena, mas na verdade a criança não pode devolver o tempo que os pais não dedicaram a si mesmos.

Claro que nos primeiros anos da vida do bebê os pais passam com a criança quase todo seu tempo livre. Mas, depois, podem administrar seu tempo de outra maneira. Então, se por alguma razão a vida familiar não trouxe prazer, não é justo que considerem seu filho culpado, nem que exijam uma compensação por lhe terem dedicado “os melhores anos de sua vida”.

Um pouco de estatística

Segundo um estudo realizado por sociólogos norte-americanos, há uma grande diferença entre o nível de apoio financeiro que os pais esperam receber e o que as crianças planejam oferecer: 92% dos pais entrevistados disseram que não esperariam nenhum apoio financeiro de seus filhos na aposentadoria. Apenas 1% quer viver por conta dos filhos, enquanto 2% dos pais esperam que seus filhos cubram a maior parte dos custos, e 5% disseram que seus filhos darão apoio quando necessário.

No que diz respeito aos filhos, 63% das crianças disseram que planejam ajudar seus pais aposentados, e 61% deixarão que seus pais aposentados morem com eles.

Conclusão

A melhor coisa que os pais podem fazer por seus filhos é deixá-los viver suas vidas. A criança que aprende com seus erros e conta com o apoio dos pais se tornará um adulto agradecido e responsável. E se os pais dedicarem um tempo a si mesmos, nunca terão a sensação de uma “vida desperdiçada”.

A criança copia o comportamento dos pais. E os ajudam, sempre que necessário, a se lembrarem de como eram quando pequenos.

E você, o que acha? Os filhos têm algum dever para com os seus pais?

Imagem de capa pexels

Comentários

Receber notificações

Adorei a matéria. Acho que vai ajudar a muitas pessoas. No meu caso, fui mãe por que quis. Jamais permitirei ajuda de minha filha, porque estou em débito com ela. Nos seus 38 anos, ela me fez infinitamente mais feliz do que o pouco que lhe ofereci.

-
-
Resposta

Artigos relacionados