Mãe revela pedidos de Natal absurdamente caros dos filhos e choca a internet

Crianças
há 7 meses

Natal, época de sonhos e desejos. Mas o que acontece quando esses desejos são influenciados pelas redes sociais? Annabel, uma mãe no TikTok, descobriu que os desejos dos seus filhos seriam mais adequados a pais ricos (o que não era o caso dela). Veja o que tinha nessa lista e como a mãe reagiu, nessa história que é a cara da era digital e reflete os desafios da maternidade no século 21.

Natal surreal: a lista da discórdia

A influência das redes sociais na vida das crianças é um tema que tem gerado muita discussão. A mãe Annabel compartilhou recentemente no TikTok a lista de Natal de seus filhos e o conteúdo chamou a atenção. “Acabei de descobrir que minha filha de nove anos acha que vivemos em uma faixa de imposto diferente”, disse a mãe, surpresa com os pedidos da filha. “Ela tem 9 anos (...) Não tem nem um único brinquedo na lista”.

O filho de 12 anos da Annabel também não ficou atrás. Ele pediu um moletom que custa mais de R$ 1.400. “Eu disse a ele que é melhor atualizar essa lista ou não vai ter nada debaixo da árvore de Natal para ele. Quem essas crianças pensam que somos? Ele acha que é isso que ele vai ganhar no Natal? Cara, a economia está difícil e somos pobres. Vamos ser realistas”, desabafou a mãe.

Realidade x desejo: os preços salgados

Para você ter uma ideia melhor do porquê de Annabel pensar que seus filhos são tão iludidos, colocamos abaixo a lista completa dos seus pedidos, com os preços convertidos. Confira:

Pedidos da filha de 9 anos:

  • Sandália de R$ 546
  • Tênis branco de R$ 605
  • Kit não identificado de R$ 208
  • Smartwatch de R$ 1732
  • Kit de skin care de R$ 422

Pedidos do filho de 12 anos:

  • Moletom de R$ 1574
  • Tênis de R$ 1415
  • Camiseta de R$ 477
  • Camiseta de R$ 397

Redes sociais: amigas ou vilãs?

Esses pedidos extravagantes levantam questões importantes sobre a influência das redes sociais nas crianças. Muitas vezes, elas desejam itens caros de roupas, sapatos e cosméticos porque veem seus influenciadores favoritos usando esses produtos. Isso pode levar a problemas de autoestima, ansiedade, depressão e até distúrbios alimentares. Além disso, as crianças podem enfrentar comentários negativos, críticas, cyberbullies e trolls da internet.

Os pais têm o desafio de ajudar seus filhos a terem um relacionamento saudável com a tecnologia. Segundo o CDC, crianças americanas entre 8 e 10 anos passam cerca de 6 horas por dia em frente às telas. Esse número aumenta para 9 horas por dia para crianças de 11 a 14 anos e cai um pouco para 7,5 horas por dia para jovens de 15 a 18 anos.

Esse tempo massivo usando a tecnologia significa que essas crianças e adolescentes não estão fazendo outras coisas, como socializar, aprender novas habilidades ou se exercitar. Portanto, é essencial que os pais orientem seus filhos sobre o uso consciente das redes sociais e o impacto que elas podem ter em suas vidas. Afinal, a popularidade alcançada por meio do estilo é uma corrida sem fim e a verdadeira felicidade não está em seguir tendências, mas em ser autêntico.

Essa é uma história de adolescentes que já sabem muito bem o valor das coisas. Mas, por outro lado, a inocência das crianças ao expressar seus desejos exagerados de Natal também pode ser surpreendente. Afinal, para eles, o céu é o limite.

Imagem de capa cocobelle2000 / TikTok

Comentários

Receber notificações

Para a menina eu daria uma vassoura, uma pazinha e produtos de limpeza. Para o menino eu daria uma enxada e uma pá. Rapidinho eles seriam conectados à realidade.

-
-
Resposta

Artigos relacionados