Gêmeos sobreviventes, ambos com menos de 1 kg, comemoram momento emocionante com capelos e becas

Crianças
há 7 meses

Kimyah e DJ estão entre os gêmeos mais jovens que sobreviveram a um parto prematuro na Cleveland Clinic. Nascidos há apenas 11 meses, com 22 semanas, eram tão pequenos que cabiam na mão de um adulto. Apesar de todos os desafios, esses guerreiros fofos demonstraram uma força incrível e agora compartilham sua história de resiliência com o mundo.

Os gêmeos prematuros sobreviventes da menor gestação

Quando Kimyah e DJ nasceram, pesavam menos de meio quilo cada um e precisaram ser levados às pressas para a Unidade de Terapia Intensiva Neonatal. Kimyah pesava apenas 340 gramas e DJ 425 quando nasceram com 22 semanas, segundo o hospital. Naquela época, suas chances de sobrevivência eram de apenas 10% a 20%, e a possibilidade de atrasos no desenvolvimento, incerta.

Foi outro momento assustador para a mãe dos gêmeos, Kimberly Thomas. Ela sabia haver algo errado quando começou a vazar o líquido amniótico, que protege o bebê no útero antes do nascimento, conforme explicaram os médicos. Ao chegar à clínica, a mãe já apresentava quatro centímetros de dilatação. “Eu estava simplesmente apavorada”, lembra.

Os médicos da Cleveland Clinic fizeram o possível para interromper o trabalho de parto de Thomas, justamente por estar apenas na metade da gestação dos gêmeos. O Dr. Firas Saker, diretor médico da Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN) da Cleveland Clinic Children’s no Hillcrest Hospital, em Mayfield Heights, Ohio, disse: “As chances de sobrevivência são muito pequenas” para bebês nascidos tão prematuramente.

No entanto, apesar de todos os esforços, Thomas entrou em trabalho de parto, e Kimyah e DJ nasceram em 12 de outubro de 2022, com apenas 22 semanas e um dia. Segundo as enfermeiras, “Kimyah era do tamanho de uma latinha de refrigerante e DJ um pouco maior”.

A família não se esquece do que os médicos disseram, e Damante Jackson, o pai dos gêmeos, lembrou: “Os doutores afirmaram ser muito difícil, que era improvável sobreviverem aos primeiros três dias”. A mãe, por sua vez, admitiu: “Sei que não vão se lembrar, mas foi difícil para eles.”

Uma história de resiliência

Em seus primeiros meses de vida, Kimyah e DJ tiveram de enfrentar vários desafios, como um colapso pulmonar e um sangramento cerebral. Mas sua família nunca desistiu deles. A mãe demonstrou uma determinação incrível ao ficar com os bebês todas as noites na UTI neonatal. No primeiro mês, ela não podia nem pegá-los no colo porque a pele dos pequenos era muito frágil.

“Eu ia para a UTIN só para conversar com meus bebês”, disse a mãe. “Acho que não houve um único dia em que não passasse pelo menos alguns minutos com eles.”

Para o Dr. Saker, o papel ativo de Kim foi crucial no crescimento das crianças, ajudando-as a “superar seus desafios”.

Apesar de todas as dificuldades, a família manteve uma atitude positiva e marcou cada pequena conquista, desde o Dia de Ação de Graças até o chá de bebê. Finalmente, em 27 de fevereiro, após 138 dias na UTIN, Kimyah e DJ estavam fortes o suficiente para ter alta, tornando-se oficialmente os mais jovens gêmeos prematuros sobreviventes, nascidos na Cleveland Clinic.

Para comemorar esse marco, as enfermeiras da clínica organizaram sessões de fotos especiais, com os gêmeos vestindo capelos e becas — uma rosa e outra, azul — para uma cerimônia de formatura no hospital. No momento em que a família deixava a clínica, a equipe médica se alinhou nos corredores aplaudindo-os, fazendo da ocasião uma despedida emocionante.

Por outro lado, a mãe fez questão de expressar seus sinceros agradecimentos a todos que os apoiaram e lhes deram um suporte inabalável. “Todos compareceram, os médicos que cuidaram deles e praticamente todas as enfermeiras”, relembrou Thomas com carinho daquele dia especial.

“Kamyah e DJ são bastante ativos e adoram explorar”, acrescentou a mãe, destacando que a jornada que passaram lhes ensinou uma lição importante: “É fundamental manter a positividade e o foco no que você quer.”

Bebês prematuros enfrentam um início de vida único e desafiador. Suas jornadas começam em um mundo que muitas vezes não estão totalmente prontos para enfrentar. Esses pequenos guerreiros podem demandar cuidados médicos intensivos. Histórias como essa nos lembram da necessidade de acreditar na maravilha da vida, especialmente quando se trata de bebês prematuros, e da incrível força de seus pais. Separamos para você um artigo sobre prematuros que se tornaram grandes figuras da História. Confira!

Comentários

Receber notificações
Sorte sua! Este tópico está vazio, o que significa que você poderá ser o primeiro a comentar. Vá em frente!

Artigos relacionados