“Fale com ele para isso não se repetir”, creche suspende cãozinho por “mau comportamento” e gera debate entre internautas

Animais
há 11 meses

Não tem como negar: ao adotarmos um bichinho, é quase automático o amor que passamos a nutrir por eles. É como se eles sempre tivessem feito parte da família. Portanto, às vezes nos pegamos falando “fofinho”, dizendo que os amamos, e claro, mimando muito. O cãozinho Jack é um desses animais de sorte, que encontrou uma boa família, além de uma tutora disposta a faltar o trabalho para ficar com ele quando o peludo foi suspenso da creche. E o motivo? Bem, ele agiu como um cachorro, que é o que ele é.

Aguida Silva é mãe de pet e, por conta disso, um dia que tinha tudo para ser comum acabou mudando de rumo. O seu cãozinho, Jack, foi notificado pela creche devido a um comportamento não apropriado para o local: ele invadiu o refeitório. “O Jack hoje não se portou bem, invadiu o refeitório, sem permissão, e comeu a comida do amigo Joaquim. E incentivou a Indiana e o Bento”, dizia o bilhete.

Devido à conduta de Jack, também conhecido no local como Serelepe, Aguida precisou faltar ao trabalho, já que o cãozinho foi suspenso por um dia. Ou seja, não pode frequentar a creche durante aquele período. O local ainda solicitou que a “mãe” conversasse com o peludo: “Fale com ele para isso não se repetir”.

A tutora pareceu ter levado tudo na brincadeira, já que gravou um vídeo em tom de humor, tendo a tal conversa com Jack, que, de fato, parece um pouco triste com o castigo, já que não pode ir brincar com os amiguinhos no dia. Porém, nem só de suspensão vive Jack. Ele também recebeu elogios após o fatídico dia: “Depois que voltou da suspensão, ele está muito bem-comportado e comunico que Jack, Motinha, foi o ajudante do dia. Desempenhou muito bem o seu papel. Auxiliando o tio em tudo: na troca de água, organização da fila e dos pratos de comida. E só entrou no refeitório com a permissão da tia”.

Nas redes sociais, o debate foi árduo, afinal, Jack é apenas um cãozinho e suas atitudes não foram nada de mais, se considerarmos que ele é apenas um animal irracional. O que significa que não tem noção de suas atitudes. Ainda assim, as consequências para ele e sua tutora foram sérias, já que Aguida não pode ir ao trabalho para ficar com o companheiro de quatro patas.

  • A creche deixou o cachorro entrar no refeitório, colocou a culpa no cachorro e depois puniu a dona com uma “suspensão”, deixando de prestar o serviço? © Beemo_poc_/Twitter
  • Eu tirava dessa “creche” na hora. Ele não é uma criança que você pode falar para os pais terem uma conversa. Esses profissionais só demonstram a falta de habilidade para lidar com o cachorro. Eles deveriam saber corrigir essas condutas. © ElaDani88/Twitter
  • Que bizarrice você pagar uma “creche” para cuidar do seu cachorro e ele ser “suspenso” por uma regra humana e você perdendo dinheiro. © forschvictor/Twitter
  • Humanizo mesmo minha cachorra, mas esse vídeo levou o papo para outro patamar. Suspensão? Conversa séria? Deixar de trabalhar por conta do cachorro? © Li1Castro/Twitter
  • Sim, gente, creche para cachorro. Tem pessoas que passam o dia inteiro fora e preferem botar o pet sob cuidados de outra pessoa, que possa dar comida, remédios, atenção. Se você acha que deixar o cachorro sozinho em casa é uma boa, problema seu! Não fiquem querendo dizer o que cada um tem que fazer. © shtryfx/Twitter

Comentários

Receber notificações

Eu já processava a creche, como assim não tinha um monitor de olho no meu bebê? Ele estava sem supervisão? Já reverteria a situação a favor do Jack 🤭

-
-
Resposta

Eu achei normal, eu tenho um satanás em forma de cachorro e sei o quanto ele é endemoniado, nenhuma creche de pets iria suportar o meu cachorro! 🤣🤣🤣... nem eu suporto! 🥲♥️

-
-
Resposta

Artigos relacionados