Como são os sistemas escolares em diferentes países

Curiosidades
há 11 meses

Em algumas escolas ao redor do mundo, o ano letivo começou há pouco tempo, enquanto em outras, como no Brasil, está em pleno andamento, caminhando para o final. Junto com o ano escolar surgem também as discussões sobre o sistema educacional adotado. Alguns não estão satisfeitos com um fardo pesado, uma vez que as crianças não têm muito tempo livre, enquanto outros acreditam que, ao contrário, elas devem estar ocupadas durante todo o dia.

Incrível.club estudou as peculiaridades do processo escolar em diferentes partes do mundo, já que as regras e tradições de um país podem ser completamente diferentes de outro.

Holanda

O ano letivo começa no final de agosto ou no início de setembro, dependendo da região.

Os alunos de até 10 anos na Holanda não têm tarefas e, até os 12 anos, não têm exames ou provas. O conhecimento é avaliado em uma escala de 10 pontos. A nota de aprovação é 6.

As escolas holandesas oferecem aulas dedicadas à educação sexual e aos prejuízos causados por drogas e álcool. Os alunos até fazem exames e recebem notas.

No país levam muito a sério as faltas e os atrasos nas aulas. Em caso de ausências consecutivas sem um motivo especial, podem multar o aluno e até mesmo prender seus pais por um mês, enquanto o estudante adolescente deve realizar um trabalho socialmente útil.

Alemanha

O ano letivo geralmente começa na segunda semana de setembro. As notas são dadas apenas depois da terceira série e somente se os pais concordarem. A partir do quarto ano, são obrigatórias. Adota-se um sistema de 6 pontos: a melhor avaliação é 1, a pior é 6.

Após a escola primária, dependendo de suas habilidades, dos desejos de seus pais e dos seus próprios, os alunos são divididos em grupos: a escola principal ou básica, a realschule ou o ginásio. Depois da escola principal, pode-se entrar num centro de treinamento vocacional ou ir trabalhar em profissões como motorista ou vendedor. Os graduados da realschule têm a opção de frequentar
uma escola profissionalizante ou continuar estudando, o que abre para eles a possibilidade de que entrem nas universidades.

Durante os intervalos, as crianças são obrigatoriamente levadas para brincar ao ar livre nos pátios.

Nas escolas da Alemanha, as crianças são ensinadas a andar de bicicleta de acordo com as regras. Elas passam nos exames da polícia e recebem uma carteira de motorista de verdade.

Coreia do Norte

O ano letivo começa em 1 de abril. O primeiro semestre dura até 31 de julho. O segundo começa em 1º de setembro e termina em 31 de dezembro.

A educação escolar na República Popular Democrática da Coreia é feita de acordo com o modelo do sistema educacional soviético. Além das matérias principais, os estudantes têm aulas de política, como “moral comunista”, “política do partido comunista” ou “a vida do grande Kim Il-sung”.

Aos 10 anos, os estudantes norte-coreanos são obrigados a ingressar na União das Crianças. Inicialmente, são aceitos os alunos com excelentes notas, depois com notas boas ​​e depois os outros. Os membros da União usam gravatas vermelhas.

Até hoje é aceito levar estudantes para atividades agrícolas e de construção no país. A excursão mais extraordinária, segundo a memória de alguns ex-alunos, foi o percurso da pena de morte.

Coreia do Sul

O primeiro semestre começa em 1º de março e, o segundo, no final de agosto.

Cada aluno das escolas coreanas recebe um número sequencial: sala de aula, número do grupo e número do aluno de acordo com a lista, que não é elaborada conforme o alfabeto, como estamos acostumados, mas pela data de nascimento.

Para garantir direitos iguais de receber educação, todos os anos estudantes e professores trocam
de sala de aula.

Alunos coreanos nas primeiras séries preparam-se para o exame de graduação. Graças a ele, os alunos em séries mais altas passam 5 dias por semana na escola, às vezes até 22-23 horas. Nos finais de semana participam de atividades criativas e têm aulas particulares. Na véspera do exame, as igrejas na Coreia do Sul estão muito cheias, porque os pais rezam para que seus filhos sejam aprovados no exame. Nesse dia, as estradas são bloqueadas para que os alunos não cheguem atrasados ​​devido ao trânsito. Além disso, os voos de aviões são proibidos, de modo que seu ruído não atrapalhe as crianças.

Suíça

O ano letivo começa em meados de agosto ou início de setembro.

Antes de entrar na escola, um psicólogo conversa com a criança para avaliar a maturidade mental. Se decidir que ela ainda não está pronta para estudar na escola, ele aconselhará os pais a esperarem mais um ano.

Algumas escolas suíças contam com um dentista, além de um psicólogo, cujos serviços são pagos pelo Estado. Os estudantes são proibidos de levar celulares para o colégio, mas podem ir ao banheiro ou beber água sem pedir permissão.

Para responder às perguntas nas aulas, os alunos não levantam as mãos, mas sim o dedo.

Além disso, nas aulas de educação física do país as crianças aprendem a brincar de elásticos. Existem até manuais sobre tal disciplina.

Bulgária

O ano letivo na Bulgária começa em 15 de setembro.

De 6 a 14 anos, a educação é obrigatória e, após a oitavo ano, os adolescentes podem entregar seus documentos para estudar no ginásio ou se dirigir às escolas técnicas para obter uma educação secundária especializada.

Nas escolas, o sistema de classificação de 6 pontos é usado, onde a melhor nota é 6.

Quase não há tarefas de casa, exceto que às vezes é pedido que os estudantes memorizem um poema ou façam uma tarefa de música. Os outros trabalhos são feitos na escola ou durante o tempo livre depois do turno. As escolas búlgaras não se distinguem de acordo com números, mas seus nomes homenageiam uma personalidade famosa, como “Professor Konstantin Gulubov”, “Miguel de Cervantes”, “Cirilo”, etc.

Bali

O ano letivo aqui começa em meados de julho. As férias de verão duram apenas um mês.

Em Bali, na Indonésia, comemora-se muito o Dia do Conhecimento, não apenas quando um novo ano escolar começa, mas a cada 210 dias. O dia do conhecimento é sempre um sábado. Nesta data, os balineses adoram a deusa do conhecimento e da sabedoria e os alunos cantam e dançam.

Nas escolas locais as crianças usam o mesmo uniforme. No primário, normalmente é vermelho e, no ensino médio, azul. Nas festas, usam gravatas e chapéus coloridos.

Os nomes das crianças em Bali não são tão variados, eles são dados dependendo da ordem de nascimento da criança na família. Se uma filha nasce primeiro, seu nome é Vayan; se é um menino, Putu. A segunda filha ou filho: Madi ou Kadek, respectivamente; o terceiro: Nyoman ou Koman; o quarto é Ketut, independentemente de ser filha ou filho. O quinto filho é chamado o da mesma forma que o primeiro e é assim que se repete. Para que os professores não se confundam nas escolas, cada aluno recebe um apelido, por exemplo, “O filho de um açougueiro de rua Legian” ou “A filha de um escultor de Ubud”.

República Tcheca

O ano escolar começa em 1º de setembro.

No ensino básico, as escolas tchecas quase não têm notas, e uma escala de 5 pontos é usada no ensino fundamental e médio. No país, a classificação mais alta é 1 e a mais baixa é 5.

Os alunos, duas vezes por ano, têm férias: no verão e no inverno. No verão, cada escola organiza acampamentos para os estudantes, nos quais fazem cursos de dois meses de preparação para ingressar na universidade.

Na estação fria, os alunos do ensino médio fazem um curso de inverno obrigatório, quando viajam para as montanhas para aprender a esquiar.

Além disso, as danças clássicas são muito populares na República Tcheca, e há uma infinidade de atividades criativas para aprender a dançar.

O que achou dessas diferenças? Em qual sistema você gostaria de matricular seus filhos?

Imagem de capa urf / Depositphotos

Comentários

Receber notificações
Sorte sua! Este tópico está vazio, o que significa que você poderá ser o primeiro a comentar. Vá em frente!

Artigos relacionados