17 Vendedores compartilharam seus momentos mais marcantes no trabalho com clientes

Histórias
há 5 meses

Todo mundo que trabalha muito com pessoas, seja como vendedor ou garçom, sabe em primeira mão que, de cada 10 clientes, sempre há um que é lembrado para sempre. Alguém certamente tirará todos do sério, e alguém, pelo contrário, trará uma vibe tão boa que deixará todos de bom humor.

Eu trabalhava em uma agência de viagens e atendi um casal. Com seu orçamento limitado, eles queriam ir para alguma ilha. Oceano azul, palmeiras. Expliquei que isso era caro e que seria melhor outra viagem. Eles não quiseram ouvir e até me ameaçaram. Bem, por fim, eu os mandei para o Quirguistão. Não sei o que fizeram lá, por onde passearam e tudo mais, mas eles ficaram felizes com a viagem. E depois ainda voaram para lá mais duas vezes. © Chamber № 6 / VK

  • Meu amigo e eu trabalhávamos em um pequeno restaurante, onde fazíamos café aromático e doces. Uma vez um senhor entrou com uma bolsa pesada. Começamos a conversar, e ele me contou sobre ter viajado por muitos anos pelo mundo, conhecendo novas culturas e gostos. O velhinho aparecia todo dia por duas semanas, e uma vez apareceu com uma mala, dizendo que iria se aventurar em uma nova viagem. Por fim, ele compartilhou conosco a receita de seu bolo preferido, o qual hoje vendemos no nosso restaurante e se tornou um favorito entre os clientes. Espero muito que possamos o ver novamente algum dia. © Chamber № 6 / VK
  • Na juventude eu trabalhava em uma papelaria. Um senhor aparece e pediu uma recarga de caneta. Entreguei, e ele disse: “Pedi uma preta!” Dei uma recarga preta, ele testou no papel e soltou: “Nossa, é assim que a caneta azul de vocês escreve?” © IraLira / ADME
  • Eu trabalhava em uma loja de conveniência em um posto. Podia acontecer de as pessoas roubarem algo, normal. Mas o que nunca me esqueço foi quando se aproximou uma senhora elegante em um conversível, entrou na loja e tentou roubar uma lanterna. Eu percebi o que ela fazia, pedi para colocar no lugar, ela começou a gritar e saiu da loja correndo. Não entendi o que foi aquilo. Será que era pegadinha ou ela perdeu uma aposta? © Overheard / VK
  • Trabalho em uma central de serviços de telefonia, e há terminais para recarga de celular. Muitas pessoas pedem para trocar notas grandes, o que fazemos raramente, porque precisamos de troco, e uma boa parte dos clientes fica indignada com isso. Algumas pedem para configurar o celular delas de graça, outras para enviar foto por e-mail, e umas, para limpar a memória do aparelho. Ei, não sou voluntário! Qualquer serviço deve ser remunerado! © Overheard / VK
  • Uma vez um cliente reclamou que a pasta de dente que ele comprava conosco estava mais barata em outro lugar. Ele até tirou o telefone para mostrar uma planilha comparando os preços da mesma pasta em diferentes lugares. Eu apenas me virei para ele e, calmamente, disse: “Então vá comprar a pasta de dentes onde é mais barato”. © stewyk06 / Reddit
  • Minha amiga trabalha como vendedora. Ela ligou dizendo que estava apaixonada e me contou a história. Ele apareceu com as compras no caixa, e eles começaram a bater papo e marcaram um encontro. O cartão bancário dele tinha um desenho especial do pet: um labrador lindo. Saíram por uns seis meses. Ele trabalhava muito e vivia viajando pelo trabalho. Bem, alguns dias, minha amiga apareceu aqui chorando. Uma mulher vestida maravilhosamente bem apareceu na loja com três crianças uma delas de colo, e um cachorro. Ela pagou com um cartão... com um desenho de labrador. Após alguns segundos, minha amiga percebeu que havia visto aquele cartão antes. Então a mulher soltou: “Meu marido e as crianças insistiram e insistiram que queriam um cãozinho. Agora, ele cresceu e quem tem que passear com todo mundo sou eu”. © Overheard / Ideer
  • Trabalho no aeroporto com passageiros e nunca vi tanto drama por nada como desta vez. Uma senhora há pouco disse que eu era apenas uma servidora e que iria escrever uma reclamação para eu ser demitida. Por quê? Porque pedi para verificar os documentos dela. Segundo ela, que faz isso é apenas a alfândega. © Overheard / VK
  • Não é o primeiro ano que trabalho em uma farmácia. Nossa cidade é pequena, conheço praticamente todos os clientes. Há uma senhorinha que sempre aparece com uma nova receita. Há uma homem que está sempre com a garganta doendo. E há um jovem casal: uns dois ou três anos atrás, eles compraram um teste de gravidez. Eles queriam uma criança, mas não deu certo. Há pouco tempo, o rapaz chegou nervoso pedindo um novo teste. Ele estava com lágrimas nos olhos de tanta felicidade. Eles conseguiram. Estou tão feliz por eles! © Ward 6 / VK
  • Um senhor apareceu na nossa floricultura, jogou umas cinco rosas no balcão e gritou: “Comprei essas rosas anteontem, e hoje já morreram”. No dia eu estava trabalhando, mas não lembrava daquele homem. E meus argumentos perguntando em que condições as rosas haviam sido mantidas pelos últimos dois dias não resultaram em nada. Ele estava me fulminando com aqueles olhos cheios de raiva e então soltou a seguinte fase: “Olha, esse dinheiro que gastei não significa nada, eu só quero honestidade!” Achei estranho aquele valor, levei o senhor até a seção daquelas rosas, mostrei o valor e disse: “Senhor, está vendo o preço, se você comprou cinco, você não só pagou a mais como também deve ter comprado em outro lugar”. Pausa. Ele mudou de expressão, começou a olhar para os lados e, após suas bochechas ficarem vermelhas, ele soltou: “Opa”. Voltou ao caixa com o maior olhar de vergonha e nem se desculpou... © Marisha Koltunova / ADME
  • Trabalho em um supermercado na seção de brinquedos. As luzes se apagaram uma vez, todos foram para o centro da loja, começaram a contar histórias, brincar. Depois vimos que havia brinquedos com luzes no meu departamento. Espalhamos eles pelo chão e, para combater o tédio, ligamos umas caixas de som e botamos música para tocar na loja. Para finalizar o turno, ainda brincamos de esconde-esconde. Foi muito divertido, mesmo com todos os funcionários tendo mais de 25 anos. © Chamber 6 / VK
  • Uma senhora estava escolhendo meias. Ela tirou um par da embalagem, olhou para elas e as jogou no chão. Eu disse:
    — Senhora, você não pode abrir os produtos se não vai comprar.
    — Como vou saber o tamanho?
    — Está escrito.
    — Quem presta atenção no que está escrito? Que tipo de serviço é esse? Quer que eu vá embora sem comprar?
    Eu apenas respondi:
    — Se você não encontrar nada aqui, há outras lojas. Provavelmente encontrará algo em outro lugar.
    A mulher ficou calada, se virou e foi em direção à saída.
  • Uma história de um vendedor de tecidos.
    — Olá, vocês têm couro?
    — Temos couro sintético, você pode ir ao segundo departamento.
    — Não, quero couro natural, um pedaço inteiro de uns cinco metros.
    Comecei a rir:
    — Senhor, me mostre uma vaca de cinco metros.
    Por uns cinco minutos ele ficou pensativo, até eu explicar como o couro natural era feito e por que os pedidos dele não eram realizáveis. Ele saiu de lá com couro sintético e muito satisfeito. © jokersoft / Pikabu
  • Uma senhora se aproximou do caixa com três cestas de compras lotadas de produtos. Após eu dizer o total da compra, ela tirou o cartão. Pagamento recusado. Então, a mulher pôs o cartão novamente na bolsa e, sem dizer nada, saiu da loja. Minha gerente pediu para todas as pessoas atrás dela irem para outro caixa, enquanto eu finalizava a transação recusada e guardava todos os itens de volta no lugar, um por um. © QuintinPairofchinos / Reddit
  • Uma vez uma senhora apareceu na nossa loja para escolher botas. Ela era bem exigente: este modelo não era suficiente, aquele outro não era bonito. Finalmente, escolheu algo e se sentou para provar. Ela começou a calçar as botas e logo se incomodou dizendo que não lhe serviam, pois o tamanho estava errado. Fui até lá ajudá-la. O que aconteceu foi que ela nem se deu ao trabalho de desamarrar os cadarços. Expliquei por que era necessário. Ela revirou os olhos, desamarrou os cadarços e tentou novamente. Serviu. Mas ela não gostou do formato do dedo do pé. O formato do dedo do pé. Ela calçou o próprio calçado e foi embora.
  • Uma senhora ligou e começou a gritar pelo telefone que ela havia pedido ração molhada para seus cãozinhos: “E o que vocês me deram?! Como podem fazer isso?!” e por aí vai. Com dificuldade, consegui interrompê-la e perguntei o nome da ração, visto que não temos molhadas para cachorro na nossa filial. E sim, por fim, a grande surpresa: ela não comprou conosco. Então, deu uma risada e soltou: “Ah, que seja”. E desligou. © Mother of Many Cats / ADME
  • Minha mãe trabalhou em uma loja por vários anos. Havia um senhor estranho que aparecia na loja algumas vezes por semana. Ele chegava, pegava vários livros da prateleira e ficava parado lendo uma quantidade absurda de livros. Por fim, ele ficava até minutos antes de a loja fechar e não comprava nada. Ele vinha com bastante frequência, e todos achavam ele estranho, mas ele apenas lia e não fazia mal a ninguém. Após alguns anos, minha mãe conheceu meu pai e começou a sair com ele. Depois de certo tempo, ela finalmente conheceu os sogros e, como se fosse pegadinha, conheceu aquele senhor que sempre lia na loja por horas e não comprava nada. Ele hoje é meu avô. © Hawq_ / Reddit

Sim, trabalhar com pessoas pode ser imprevisível. A propósito, há alguns anos, vendedores de lojas de roupas caras contaram francamente o que realmente acontece nos bastidores das grandes lojas.

Imagem de capa Chamber №6 / VK

Comentários

Receber notificações
Sorte sua! Este tópico está vazio, o que significa que você poderá ser o primeiro a comentar. Vá em frente!

Artigos relacionados