Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

11 Personagens que Joaquin Phoenix interpretou antes de viver o Coringa

Semanas após sua chegada aos cinemas, o filme Coringa vem sendo muito comentado por conta da produção impecável, intensidade das cenas e cuidadosa fotografia. Porém, o que não sai da boca do povo é a surpreendente atuação de Joaquin Phoenix como o mítico vilão dos quadrinhos de animações e filmes ligados ao universo Batman. A partir de agora, o nome do ator ficará para sempre marcado na história cinematográfica, mas você parou para se perguntar como Phoenix trilhou sua carreira, que claramente está em seu ponto mais alto?

O Incrível.club reuniu os melhores papéis já vividos por Joaquin Phoenix antes de encarnar o famoso Coringa. São produções que tiveram grande relevância na história profissional do ator e na do próprio cinema contemporâneo.

1. Abbé de Coulmier (Contos Proibidos do Marquês de Sade, 2000)

Apesar de Contos Proibidos do Marquês de Sade não ter sido o filme de estreia do ator, trata-se de uma produção que catapultou sua carreira no ano 2000. Como sugere o título em português, o longa gira em torno da figura do Marquês de Sade. Phoenix interpreta o abade Coulmier, um sacerdote que tenta manter a moral enquanto comanda o manicômio onde o Marquês é internado. O nobre, apesar de estar trancafiado, continua escrevendo, entregando seus textos em segredo para Madeleine, uma jovem lavadeira que vê nele um ídolo. A história toma outras dimensões quando Coulmier se apaixona pela jovem, e sofre ao ver a grande influência que o Marquês exerce sobre ela. É assim que começa uma tragédia envolvendo o oculto e o proibido.

2. Imperador Cômodo (Gladiador, 2000)

Gladiador foi muito útil para ampliar a fama internacional do ator. Lançada no mesmo ano que Contos Proibidos do Marquês de Sade, o filme fez estrondoso sucesso nas bilheterias, e abriu caminho para outras produções que misturaram ação e histórias épicas. A interpretação de Phoenix como o imperador Cômodo rendeu boas críticas, pois não restaram dúvidas de que Phoenix conseguiu, com maestria, construir um vilão ingrato como o imoral filho do também imperador Marco Aurélio.

Muita gente ainda lembra bem da icônica cena em que Cômodo vota contra o gladiador protagonista, enviando-o à morte.

3. Merrill Hess (Sinais, 2002)

Depois do sucesso obtido nos cinemas com um filme de trama histórica, Phoenix passou para um gênero bem diferente: a ficção científica. Em 2002, estreava Sinais, a história de Graham, um ex-pastor que vive em uma área rural com os dois filhos pequenos e o irmão mais novo, Merrill.

Trata-se de uma família marcada pela tragédia, que tenta sobreviver em meio à solidão e que, de repente, precisa lidar com uma invasão extraterrestre. Graham e Merrill percebem que precisarão vencer seus próprios demônios se quiserem encarar aquele que é o acontecimento mais estranho de suas vidas.

4. Jack Daglish (Hotel Ruanda, 2004)

Lançado em 2004, Hotel Ruanda é um longa-metragem ambientado no massacre civil que ocorreu em Ruanda, na África, em 1994.​ O personagem de Jack Daglish, interpretado por Phoenix, é quem filma a devastadora matança entre tutsis e hutus, grupos étnicos em conflito. Em meio à barbárie, o hotel acaba se tornando um local crucial para o desenvolvimento da história, já que é lá onde os refugiados se escondem.

O filme foi indicado a vários Oscars, sendo bem recebido pelo público e pela crítica. Com isso, Phoenix ganhou ainda mais reconhecimento.

5. Lucius Hunt (A Vila, 2004)

A Vila também estreou em 2004, e foi o segundo filme em que Phoenix trabalhou com o diretor M. Night Shyamalan (Sinais foi o primeiro deles). Na produção, o ator dá vida a Lucius, homem que vive em uma vila situada em um vale rodeado de muito verde.

O filme parece ser ambientado no século XIX. Os moradores locais são pessoas que dão valor a antigos costumes, e estão sempre alertas em relação às criaturas que habitam as matas da região. Sabe-se que as criaturas são perigosas e representam riscos à vida da comunidade. Diante disso, existe uma trégua entre os moradores e as criaturas, quando fica estabelecido que os territórios de ambos precisam ser respeitados. Contudo, quando um morador fica gravemente ferido, alguém terá que atravessar a floresta em busca das substâncias necessárias para curar o homem, colocando a trégua em risco.

6. Johnny Cash (Johnny & June, 2005)

Em 2005, Joaquin Phoenix voltava às telonas, dessa vez como protagonista do filme Johnny & June, baseado na vida do músico Johnny Cash. Phoenix encarou a tarefa de viver o artista, dando a ele um toque todo pessoal, em uma atuação tida como impecável.

O filme foi aclamado pela crítica, o que ficou claro com a indicação de Phoenix ao Oscar de melhor ator. Ele não levou a estatueta para casa, mas obteve ainda mais respeito e a consolidação do seu trabalho como astro de primeira grandeza.

7. Bobby Green (Os Donos da Noite, 2007)

Em 2007, chegava aos cinemas Os Donos da Noite. Na produção, o ator personificou Bobby Green, homem responsável por uma boate chamada “El Caribe”. Bobby vive entre a ilegalidade do lugar que administra e a clandestinidade de sua vida, longe de seu pai e irmão. Integrantes da Polícia de Nova Iorque, os parentes desaprovam a vida desregrada de Bobby. A boate tem um cliente assíduo, um traficante de drogas russo que é preso em uma operação policial liderada pela equipe do pai do protagonista.

O filme é um drama que se desenrola em cenários urbanos, envolvendo máfias e conspirações policiais. Novamente, Phoenix encarna um vilão com uma personalidade marcada por diversas tonalidades trágicas.

8. Freddie Quell (O Mestre, 2012)

Esse é um filme que chama atenção pela premissa. Lançado em 2012, O Mestre conta a história de Freddie Quell, um veterano da Segunda Guerra Mundial com problemas de alcoolismo e vício em sexo. Ele sofre de transtorno do estresse pós-traumático, e tenta se adaptar à vida após o conflito. Quell conhece Lancaster Dodd, líder de um movimento filosófico chamado “A causa”. No grupo, Quell encontra conforto para seus problemas.

Graças a uma atuação contundente sobre os tormentos vividos por um homem e sua busca desesperada para reencontrar o equilíbrio, Phoenix foi novamente indicado ao Oscar de melhor ator. Novamente, ele não saiu vencedor, mas acabou com qualquer dúvida que pudesse existir sobre seu preparo para interpretar papéis que exijam intensa dedicação, tanto física quanto mental.

9. Theodore Twombly (Ela, 2013)

Sem dúvidas, 2013 também foi um grande ano na vida de Joaquin Phoenix. O filme Ela deu ao ator a chance de construir um personagem com história bem peculiar: Theodore Twombly se apaixona por um sistema operacional.

O longa agradou a crítica, que foi só elogios para o protagonista. O sucesso foi tanto que Ela ganhou o Oscar de melhor roteiro. A produção consolidou Phoenix como um ator único, multifacetado e capaz de viver qualquer personagem, por mais complexo que fosse.

10. Joe (Você Nunca Esteve Realmente Aqui, 2017)

Lançado em 2017, Você Nunca Esteve Realmente Aqui tem como protagonista Joe, um veterano de guerra e ex-agente do FBI. Na produção Phoenix vive um homem solitário que passa seus dias em uma antiga casa em Nova York ao lado da mãe idosa. Sua vida parece estar tranquila em meio ao isolamento, até que um político importante o convoca para uma missão: resgatar sua filha sequestrada.

A obra traz a interpretação de Phoenix de uma maneira mais intensa do que nunca. A violência de seu olhar, a força de seus movimentos e a rispidez de sua voz fazem dele um homem capaz de absolutamente tudo.

11. John Callahan (A Pé Ele Não Vai Longe, 2018)

A Pé Ele Não Vai Longe é uma comédia dramática que chegou aos cinemas em 2018. Com um tom irônico, sarcástico e até subversivo, o filme conta a trajetória de John Callahan, que fica paraplégico após sofrer um acidente de trânsito. Desejando se livrar da dependência em álcool e contando com o apoio da namorada e do melhor amigo, ele passa a frequentar um programa de reabilitação, onde descobre seu talento para desenhar.

A produção foi mais um desafio para o ator, já que ele precisou encarnar um homem cadeirante que, apesar das dificuldades apresentadas pela vida, mantém o ânimo necessário para seguir em frente.

Em sua opinião, qual o melhor filme de que Joaquim Phoenix participou? Acha que, com Coringa, ele finalmente ganhará um Oscar? Comente!