Incrível

11 Informações falsas nas quais toda a Internet acreditou

1-11
521

O fenômeno das chamadas fake news (as notícias falsas), em si, não é recente. Ele existe desde que o mundo é mundo, na forma de boatos que, antes do surgimento da Internet, eram difundidos no boca a boca. A questão é que, com o surgimento das redes sociais e dos aplicativos de mensagens, a questão ganhou proporções muito maiores. Uma notícia falsa que, antes levava dias para se propagar, hoje é transmitida em minutos para um enorme universo de pessoas, podendo destruir a imagem e a reputação de gente inocente.

Como forma de evitar a proliferação dessas notícias, o mais seguro a fazer é pesquisar nos chamados “verificadores de notícias” (em inglês, fact checkers) que possuem equipes de jornalistas dedicadas a checar a veracidade das notícias com base em fatos e documentos. Aqui, aquiaqui, você pode acessar alguns dos principais verificadores de notícias brasileiros.

Incrível.club trabalha evitar a proliferação dessas notícias falsas, seja nas redes sociais, nos sites ou nos apps de notícias. E incentiva você, leitor, pesquisar a fonte e a veracidade de uma notícia antes de compartilhá-la com seus amigos. E apresentamos, aqui, alguns dos mais curiosos boatos da história da Internet.

1.

Em 2017, na Internet, foi publicada uma foto da “viúva de Rockerfeller sorrindo em seu funeral”. Muitos usuários acreditaram na autenticidade da publicação, que obteve mais de 17 mil retweets em apenas 4 dias. Os internautas criticaram a protagonista da publicação com comentários sarcásticos como “que alívio” e “finalmente!”

Na verdade, no post foi utilizada uma foto do filme Jackie, protagonizado por Natalie Portman. O autor da publicação declarou que realmente acreditava que a atriz era a viúva de Rockefeller. Somente depois de ter sido corrigido por vários comentaristas, percebeu seu erro e eliminou a publicação. Mas a imagem já havia se propagado pela rede e muitos usuários acreditam na veracidade dessa mentira.

2.

Outro caso em que fotos de um filme foram divulgadas como eventos reais. A mulher na imagem não é chefe de polícia, mas sim a atriz e modelo australiana Pia Miller no set da série Home and Away.

3.

A informação sobre um chinês chamado Liao Gaoming, que teria sido condenado a 10 anos de prisão por levar os turistas a Tcheliabinsk (uma grande cidade industrial na Rússia) em vez de em Chernobil viralizou. Os usuários acreditaram em sua autenticidade e começaram a brincar com a questão — disseram que Chernobil é mais seguro por conta da poluição de Tcheliabinsk. Mas a fonte original da notícia era um site de humor. Muita gente, sem checar a fonte da informação, compartilhou a história.

4.

Há muitos mitos sobre os primeiros anos do cinema e o trabalho dos irmãos Lumiere, tidos como os criadores da “sétima arte”. Um caso lendário é o de A chegada do trem na estação, considerado erroneamente o primeiro filme da história. Na verdade, durante a primeira sessão do cinema, foram mostrados 10 filmes e o primeiro deles era Saída do Pessoal Operário da Fábrica Confiança. O filme sobre a chegada do trem não estava entre eles, tendo sido mostrado apenas um ano depois. E os espectadores não saíram correndo durante a projeção da sala imaginando que o trem fosse “escapar da tela” e atropelar todo. Isso era impossível porque vivia-se a chamada Era do cinema mudo (portanto, não havia som) e as imagens eram em preto e branco.

5.

Ops, será que Francisco era fã de Black Sabbath quando jovem? Bem, alguns fãs de heavy metal que gostam do papa até se animaram com a notícia, mas a verdade é que se tratava apenas de uma montagem em Photoshop. Na fotografia original, o pontífice aparece vestido de preto sem nenhuma estampa assim.

6.

As imagens acima são de uma avó da Flórida (EUA) chamada Yoli Ball. Ela realmente tirou as fotos para anunciar a venda de sua casa. Só que, diferentemente do que foi divulgado, a mulher de 86 anos não deixou nenhum comentário assim. O comentário original que sua neta de 15 anos publicou se tornou viral e, ao longo desse processo, foi acumulando uma série de detalhes falsos — como na famosa brincadeira do telefone sem fio.

7.

A história tem vários aspectos verdadeiros e outros tantos falsos, como é bem comum acontecer com fake news. De fato, Krikalev passou 311 dias no Espaço, conquistando o recorde de pessoa que passou mais tempo fora da Terra — esse recorde durou por 10 anos e foi superado em 2015 por outro russo. E, de fato, Krikalev estava no Espaço quando ocorreu a “desintegração” da União Soviética, motivo pelo qual, saiu da Terra como soviético e retornou já como russo. A questão é que o cosmonauta não foi abandonado no Espaço; ele simplesmente aceitou permanecer na estação Mir como engenheiro de voo de outra tripulação.

8.

Os cientistas explicam que dormimos bem quando chove por razões completamente diferentes:

  • durante a chuva, a pressão atmosférica baixa e nos pulmões entra menos oxigênio;
  • devido à falta de sol, no corpo é produzida mais melatonina, o hormônio do sono;
  • o cheiro da terra depois da chuva que aparece devido à mistura de óleos vegetais com geosmina tem um efeito calmante nas pessoas;
  • o som da chuva cria o chamado ruído rosa, que possui uma frequência de 20 Hz a 20 mil Hz, reduz a atividade cerebral e melhora o sono.

9.

Não se trata exatamente da primeira foto de um gato, mas provavelmente de uma das primeiras. Não se sabe com precisão quando foi feita, mas estima-se que o bichano tenha sido clicado entre os anos de 1880 e 1890. Na verdade, os primeiros gatos fotografados foram três e o autor foi o britânico Harry Pointer. As fotos foram feitas em seu estúdio e antes ainda de 1890.

10.

A Disney nunca anunciou um remake desse tipo. E a imagem no tuíte é uma obra do artista Boris Kiselitsky que não tem nada a ver com o estúdio de cinema. Além disso, esse Stich foi pintado uns dois anos antes de o anúncio falso ser propagado.

11.

“Morra de inveja, Rembrandt!”

A foto, em que aparecem as crianças sentadas com seus smartphones com o telão de fundo de A Ronda Noturna, de Rembrandt, provocou muita indignação na rede. Os comentaristas não perderam a oportunidade de criticar a geração da Internet e de chamar a imagem de “metáfora do nosso tempo”.

“Para que saibam, as crianças usam seus iPhones como parte do tour pelo museu”.

Só que, embora seja verdadeira, a foto foi colocada fora de contexto, como ocorre frequentemente com as fake news. Na verdade, as crianças usavam os celulares justamente como um instrumento de apoio multimídia para entender melhor as obras do museu. O Rijksmuseum, museu na Holanda, onde está exposta a pintura, possui um app para isso. Ele oferece informação adicional sobre cada obra na exposição, assim como miniconferências. E era exatamente o que os alunos estavam conferindo em seus smartphones.

Cabe mencionar que as crianças não ignoram a exposição “ao vivo”. Acima há uma foto do grupo tirada em outro momento do passeio: elas estão sentadas no tapete contemplando um quadro.

Você costuma pesquisar antes de compartilhar as notícias? Conhece os riscos das fake news? Conte para nós!

Imagem de capa HarriettSG / Twitter
1-11
521