Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

11 Vezes em que os escritores de um livro não ficaram satisfeitos com sua adaptação cinematográfica

Muitas adaptações de obras literárias para o cinema, mesmo que tenham sido premiadas e recebido boas críticas e sejam admiradas ou conhecidas por todos, não cumpriram com as expectativas de seus autores. Isso pode acontecer por diferentes razões, de uma simples questão de opinião até a dificuldade para o autor de se desprender de um livro que lhe custou tanto trabalho.

Incrível.club apresenta 12 filmes que, embora tenham sido sucessos de bilheteria, não agradaram totalmente os autores da obra original.

1. Percy Jackson e o Ladrão de Raios — Rick Riordan

Rick Riordan, autor de Percy Jackson e o Ladrão de Raios, comentou que mesmo que tenha sido consultado para esclarecer alguns pontos, quando viu o que estava sendo feito no roteiro e no set, preferiu se afastar, para sua própria paz de espírito, porque não ficou muito satisfeito com a adaptação cinematográfica de seu livro. Riordan considerou que o filme pegou apenas alguns fragmentos do romance e desprezou outros muito importantes.

2. A Teia de Charlotte — E. B. White

A razão de E. B. White não ter gostado da adaptação de sua obra para o cinema tem a ver, principalmente, por considerar inapropriado uma canção interromper as cenas quase o tempo todo. Também disse que a feira Blue Hill, que tentou retratar perfeitamente no livro, havia se tornado muito fantasioso na filme, a ponto de compará-la à Disney World.

3. Solaris — Stanislaw Lem

Embora o autor do livro tenha participado muito de perto na criação do roteiro, mais tarde declarou não ter gostado da versão do diretor. As diferenças surgiram porque Andrei Tarkovsky, que dirigiu o filme, queria a base na história inspiradora, mas a parte artística diferente e independente. Essa ideia não pareceu muito apropriada a Lem, pois seu desejo era que a adaptação fosse absolutamente fiel à obra original.

4. Entrevista com o Vampiro — Anne Rice

Anne Rice, na verdade, não ficou descontente com a adaptação para as telonas de Entrevista com o Vampiro, exceto pelo fato — para ela nada insignificante — de Tom Cruise interpretar Lestat. Essa decisão não agradou a escritora, pois considerava que o ator não contava com a elegância característica do vampiro protagonista. Ela até tentou fazer com que a produção mudasse os papéis de Brad Pitt e Tom Cruise, mas isso não aconteceu. Embora valha a pena mencionar que, quando viu o trabalho concluído, não ficou completamente decepcionada com a atuação de Cruise.

5. Forrest Gump — Winston Groom

Apesar de o filme Forrest Gump — O Contador de Histórias ter sido muito aclamado e tido uma grande popularidade, Winston Groom, o autor do romance original em que se baseou, não gostou tanto. Ele explicou que, durante a produção, foram omitidas muitas partes do roteiro e algumas cenas importantes. Seja como for, a obra ganhou várias estatuetas do Oscar e o autor gostou muito de ser mencionado na cerimônia de premiação.

6. Psicopata Americano — Bret Easton Ellis

O escritor Bret Easton Ellis considera que o filme Psicopata Americano apresenta diversos erros em relação ao romance original, segundo declarou em uma entrevista para a Rolling Stone, pois seu livro não foi pensado como uma obra cinematográfica, mas literária. Além disso, foram feitas algumas mudanças no texto para a linguagem audiovisual que também considera ruins. É preciso mencionar não ser essa a única adaptação a não lhe agradar, já que o escritor nunca foi um grande entusiasta das adaptações de seus livros.

7. A Fantástica Fábrica de Chocolate — Roald Dahl

A principal razão de Roald Dahl não se convencer com a adaptação de sua obra literária para as telonas é o fato do Willy Wonka do cinema não ser fiel ao original, pois, em vez de conservar o personagem obscuro e quase perverso, decidiram convertê-lo em um homem encantador e bom. Além disso, o roteiro não lhe agradou e tampouco gostou do trabalho do diretor. Possivelmente esse seja o motivo de nenhum dos outros livros dessa série ter sido adaptada ao cinema.

8. Sahara — Clive Cussler

Clive Cussler não ficou satisfeito com a forma como sua obra literária foi adaptada para o cinema, pois a produção não lhe permitiu tomar decisões no processo da criação do roteiro nem nas filmagens. Mais do que isso, o autor percebeu que ignoravam suas sugestões. Curiosamente, o filme não fez muito sucesso nas bilheterias quando estreou.

9. Um Estranho no Ninho — Ken Kesey

Esse filme de Milos Forman recebeu vários prêmios e foi aclamado pela crítica. No entanto, Ken Kesey, o autor do romance que lhe serviu de base, não concordou muito com a produção. Embora no princípio da criação do roteiro tenha tido uma participação próxima, mais tarde decidiu se distanciar, devido a diferenças com a produção quanto aos atores escolhidos e o ponto de vista da narrativa.

10. A Liga Extraordinária — Alan Moore

Ao escritor Alan Moore não lhe pareceu nada aceitável a adaptação de sua HQ para as telonas. Ele é um fervoroso crítico das adaptações e se deu conta muito cedo de que a essência de seu romance gráfico e a do filme eram completamente diferentes, por isso decidiu se afastar um pouco da produção.

11. Meu Maior Amor — J. D. Salinger

O escritor J. D. Salinger ficou muito decepcionado com Meu Maior Amor (1949) — uma adaptação de seu conto Tio Wiggilly em Connecticut —, devido ao tom melodramático que não condizia com sua obra. Talvez essa seja a razão de mais tarde ter recusado propostas de diversos diretores e atores para uma adaptação cinematográfica de seu carro-chefe, O Apanhador no Campo de Centeio, que nunca teve uma versão para a telona.

Para você, os autores têm razão de não serem fãs das adaptações de suas obras? O que acha das versões cinematográficas dessas histórias?

Compartilhar este artigo