Incrível

Me casei com um turco e estou disposta a contar como é morar em Istambul

2---
37k

“Svetlana, a esposa do sultão turco” é o nome irônico do blog de uma mulher que há alguns anos mora em Istambul. Svetlana Aktcha cresceu em São Petersburgo e lá conheceu seu futuro marido turco, que na época estava viajando pela Rússia.

Vamos juntos com o Incrível.club descobrir como é a vida dessa russa na Turquia. E, ao mesmo tempo, vamos descobrir por que o café da manhã lembra um jantar, e qual das tradições americanas os moradores locais não suportam.

Eu realmente me sinto casada

Todo mundo me falava que um casamento com um turco não daria certo. Depois do primeiro ano de casados, quando as paixões normalmente começam a perder a força, comecei a receber novos conselhos. Diziam, por exemplo, que eu não deveria ter um filho com ele, porque em caso de divórcio eu nunca mais veria a criança.

Hoje nós temos dois filhos. Nosso relacionamento mudou? Sim, com certeza. Eu realmente entendi que sou casada. “Mamãe é linda e papai está trabalhando”. Sim, agora eu posso dizer isso com um sorriso, depois de ter trabalhado por 12 anos, 5 dos quais sem folgas nem feriados.

Em uma família russo-turca muitas vezes temos problema com a tradução

Meu marido e eu nos conhecemos em São Petersburgo no final de 2010 e logo começamos a nos comunicar em russo.

“Mentiradora!” — um dia ele gritou isso para mim no telefone, vendo um comentário de um homem no meu feed de uma rede social. “Mentiradora”, na cabeça dele, seria uma derivação da palavra “mentira”. Naquela época ele ainda não conhecia muitas palavras em russo. Tudo isso parecia engraçado para mim, e eu ria disfarçadamente.

Mas tudo mudou depois de alguns anos, quando eu fiquei na mesma situação. Uma vez eu espirrei e alguém me disse: “Chok yeshe” (“Saúde”), e eu respondi: “Sen de get” (“Você também terá”).

As crianças na rua são chamadas de monstros e bruxas

“Monstro”, “filhote de burro”, “sapinho”, “filho de cachorro”: assim podem se referir ao meu filho na rua, e eu escuto isso sorrindo. Por quê? Porque eu passo por tudo isso pela segunda vez, já que a minha filha mais velha geralmente era chamada de “feia” ou “bruxa”.

Isso acontece porque as pessoas aqui têm medo de dar azar aos bebês. Por isso, não ousam elogiá-los, nem chamá-los por palavras carinhosas.

Eu tenho que usar vestidos e cozinhar cordeiro

Meu marido odeia quando eu ando com uma camiseta longa pela casa. Aliás, quando estou vestida assim eu não posso sair nem na sacada. É que na Turquia os prédios são bem grudados, e os vizinhos podem me ver de suas janelas.

Ele não gosta quando eu cozinho carne de porco em casa e a sirvo para as crianças. Diz que não é saudável e que tem cheiro ruim. Mas cá entre nós, cordeiro às vezes tem um cheiro muito pior.

Os turcos entendem de comida

Eu não gosto do café da manhã daqui. Por muito tempo, tive um complexo sobre isso: que tipo de blogueira eu sou, ainda mais turca? E por que esse café da manhã tem azeitonas, salsichas e geleia?

Quase todas as sobremesas são de alguma maneira cobertas com um xarope de açúcar muito doce. Os pratos principais são preparados com pasta de tomate e uma quantidade absurda de óleo. E aqui em cada esquina vende-se shawarma, que é chamado pelos de döner kebab, cujo significa é “espeto giratório”. Por causa da maneira incomum de assar a carne, a gordura desce escorrendo pelos lados, mas como ela não cai no fogo, não retorna ao alimento com partículas nocivas.

Andar pela casa calçado é praticamente um crime

Se você veio para fazer uma visita, não se esqueça de tirar o sapato na porta. Não ouse dar um passo de sapato, até mesmo no corredor. Aqui é inaceitável andar pela casa calçado. Os turcos ficam chocados com os americanos nesse quesito. E sempre tire os sapatos antes de entrar em uma mesquita, que é considerada uma casa para todos.

É muito raro alguém não trocar seu presente de ano novo

Todo dia primeiro de janeiro, como a maioria das pessoas na Turquia, nós vamos ao shopping. Para quê? Para trocar os presentes. Acontece que em todos os eventos especiais os turcos se dão roupas de presente.

E não há nada de surpreendente nisso, porque a indústria de roupas é muito boa por aqui. Neste ano, eu e meu marido compramos suéteres para nossas mães e para nós mesmos. Nem todas as roupas novas nos serviram em tamanho, mas tudo bem. Quando você faz compras, sempre pede um selo de troca, para que o presenteado possa trocar por alguma coisa sem problemas em qualquer loja da mesma rede.

Você terá que desembolsar um bom dinheiro para os estudos dos seus filhos

Não vou mentir que uma boa educação na Turquia é para os inteligentes ou para os ricos. Você só pode inscrever seu filho no Jardim da Infância gratuito a partir dos 4 anos, e apenas 4 horas por dia (das 8h às 12h). Geralmente no Jardim de Infância existem grupos que podem ficar mais tempo, obviamente por um valor extra, pelo qual se pode prolongar a estadia da criança até as 17 horas.

Em escolas particulares é preciso pagar por tudo, como a comida e o uniforme escolar e esportivo. Desde a primeira série a criança já tem um iPad, que ela leva às aulas para fazer algumas tarefas online. O custo é calculado anualmente, e podem acreditar, é alto (em geral, a partir de € 3.000 por ano).

Nas maternidades são muito comuns os partos por cesariana

Na Turquia as mulheres dão à luz em hospitais particulares. Os preços para o parto variam de € 150 a € 3.000. Esse custo também cobre em parte o seguro estadual, que e é obrigatório.

Aqui fazem muitas cesarianas. É mais conveniente para o médico, e muitas mulheres, por medo do parto normal, pedem para fazer a cirurgia. O pagamento ao hospital é calculado por diária. Por isso, depois de um parto normal você já pode ir para casa no dia seguinte, mas depois de uma cesariana é preciso esperar ainda mais um dia.

Nem todo mundo se casa por amor

Hoje existem muitos casais jovens no país que não escondem seu relacionamento de seus pais, viajam juntos e, às vezes, chegam até a alugar um apartamento juntos. A maioria, estudantes que mudaram para outra cidade.

Mas em cidades pequenas esse tipo de liberdade não é aceitável. As tradições conservadoras ainda são fortes no leste do país, onde primos podem se casar por acordo, mas não podem nem pensar em sair juntos para um encontro antes do casamento.

O turismo médico vem ganhando força no país

Um verdadeiro fenômeno vem ocorrendo na Medicina por aqui: enquanto as tecnologias e equipamentos nos melhores hospitais locais estão no mesmo nível dos maiores hospitais americanos e europeus, os preços são cerca de 20 a 30% mais baixos.

Na maioria das vezes as pessoas vêm para fazer cirurgias estéticas: implantes nos seios, harmonização facial, rinoplastia e preenchimento labial. Nas ruas de Istambul você pode encontrar muitos homens com bandagens na cabeça. Isso significa que recentemente eles estiveram no hospital fazendo um transplante de cabelo.

Outro procedimento popular por aqui é a injeção de botox no estômago. Isso não é uma intervenção cirúrgica, apenas uma ação que neutraliza a função de alguns músculos para diminuir o apetite.

O custo de vida na Turquia

Para planejar o orçamento das suas viagens, logicamente você não pode esquecer os custos das coisas mais importantes. Vamos considerar, por exemplo, um distrito de Istambul chamado Avcılar.

O aluguel de uma casa de praia por lá custa cerca de € 1.000 por mês. Já alugar um apartamento pode sair, mais ou menos, € 200 por mês. O aluguel de um carro de porte médio sai por € 31 por dia, enquanto uma bicicleta custa € 15 a diária.

Uma cesta básica de supermercado para uma semana custa cerca de € 30 por pessoa. Uma xícara de café sai por 78 centavos de euro, e uma xícara de chá, a metade disso. A conta média por pessoa no jantar em um restaurante com vista para o mar e com bebida alcoólica custa é de € 43. Já um jantar em uma pizzaria local tem valor por volta de € 6.

E não se esqueça também de visitar este hamame, ou banho turco. Eles são, em sua maioria, monumentos históricos. Por exemplo, o Galatasaray Hamamı (na foto) foi construído no século 15 por ordem do Sultão Bajazeto II. Esse local também é famoso por conta de uma visita de John Travolta, que deixou lá € 100 de gorjeta.

Viajar de trem pelo país é muito confortável. Aqui circulam trens muito modernos, parecidos com o Sapsan, da Rússia. Os primeiros dois vagões de cada trem são para a classe executiva. Vale a pena comprar as passagens para esses vagões, porque a diferença para a classe econômica é de apenas 50% a mais. A classe executiva tem apenas 16 lugares, wi-fi e, a cada 30 minutos, são oferecidas comidas e bebidas inclusas no preço.

Nas feiras não se pode confiar em ninguém, e é preciso verificar tudo

Os turcos sabem falar bonito, servir e fazer descontos “grandes”, mas eles também têm seus truques. Por isso, sempre verifique as sacolas que embalam muito bem na hora da venda. Nas feiras, escolha você mesmo as frutas e verduras. Pegue tudo de melhor, é seu direito. Os moradores locais fazem exatamente isso, e se encontram um tomate podre, por exemplo, chegam até a jogá-lo no vendedor.

As recordações da intelligentsia russa

No início do século XX chegaram a Istambul (na época Constantinopla) alguns intelectuais russos. Porém, a maioria deles veio sem dinheiro, por causa de perseguição revolucionária. Foram eles que abriram a taverna “Rosa Preta”, onde cantou Alexander Vertinsky, grande poeta, cantor e ator. Os turcos, mesmo sem entender russo, ficaram encantados com seu talento. Perto dela estava também o restaurante russo “Rejance”, onde eram servidas tortinhas e borsch, uma sopa tradicional do Leste Europeu. A intelligentsia russa de Istambul se reunia naquele lugar.

Nesta foto eu estou perto do “Rejance”, que está fechado desde 2011 e no local só há escritórios. A “Rosa Preta” também está fechada. Os prédios que abrigavam esses lugares ficam na Avenida Isticlal, que começa na Praça Taksim.

As características de um turco nativo

Você tem todo o direito se considerar um turco nativo se:

  • depois de beber um café da tarde, vira a xícara para descobrir o que o seu destino está lhe preparando;
  • ao ver convidados indesejados na porta de casa mostra uma alegria contagiante, assim os convidados acreditam que foi para eles que você fez a receita do seu bolo favorito;
  • não está atrasado, apenas demorando;
  • quando está em um restaurante com os amigos, não pensa em quanto ficou a conta. Você simplesmente paga e os convence de que a próxima é por conta deles;
  • dirigindo o carro você não tem vergonha de buzinar à vontade para todo mundo ouvir (gritar fora da janela também é bom);
  • iogurte para você não é uma sobremesa, mas um aditivo a qualquer refeição comum; ⠀
  • beija todo mundo na bochecha na chegada e na saída, mesmo se está vendo a pessoa pela primeira vez na vida.

Bônus: uma pequena entrevista com meu marido

Hoje, pela primeira vez, meu marido topou dar uma pequena entrevista para mim. Então, aqui vai, especialmente para vocês:

— O que é amor para você? ⠀

— Adorar, dar valor e... respeitar.

— Dizem que na vida é preciso experimentar tudo. Existe algo que você nunca vai provar?

— Eu nunca provaria “salada de maionese com peixe e beterraba” (risos) ou algum tipo de geleia de carne. Aspic também é nojento. Isso não combina com o meu paladar, apesar de me considerar um “cidadão do mundo”.

— Como você vê sua vida daqui uns 20 anos? ⠀

— Meus filhos já vão estar na faculdade. Eu quero muito viajar pelo mundo com eles e com minha linda esposa.

Conte para nós, você mudaria sua vida assim, radicalmente, e se casaria com uma pessoa de outro país?

2---
37k