Incrível
Incrível

Como seria o corpo humano “ideal” do futuro

Com a ajuda da tecnologia e da evolução, os humanos conseguiram superar e sobreviver a condições extremamente adversas na Terra e não há nada que possa nos parar. Será? Seria ótimo saber que estamos preparados para enfrentar qualquer tipo de situação, mas há um detalhe que pode impedir que isso aconteça: nossos corpos. Sim, aparentemente o corpo humano ainda não apresenta a evolução adequada para enfrentar as adversidades que o futuro nos reserva.

Pensando nisso, o Incrível.club decidiu juntar as melhores e mais exclusivas características dos animais para pensar em como seria a versão “ideal” do corpo humano. No final, mostramos como seria esse corpo se juntássemos todas essas características.

Orelhas de gato que nos permitem ouvir um alfinete cair a quilômetros de distância

Em geral, nossos ouvidos são bastante discretos e elegantes, mas em comparação com outros animais não temos uma boa audição. Apesar de o ouvido humano ser moldado para coletar o som e ecoá-lo para o ouvido interno, ele só é capaz de ouvir poucos sons e poucas frequências, o que significa que não podemos ouvir os mesmos sons que outros animais conseguem ouvir claramente.

Diferentemente dos humanos, as orelhas pequenas e cônicas dos gatos são especialmente projetadas para detectar sons e vibrações de longa distância. As orelhas de um gato também podem se mover na direção do som, por causa de 30 conjuntos de músculos flexíveis que permitem que eles se inclinem 180 graus em direção aos sons que nós, humanos, temos mais dificuldade para ouvir.

Pele de molusco

Hoje em dia, o tempo e o clima são imprevisíveis e muitas vezes alcançam temperaturas e condições bastante extremas. Nesse sentido, o mais prático seria termos uma pele que pudesse se adaptar a qualquer tipo de mudança, ou seja, uma pele semelhante a de um molusco, como uma lula gigante.

pele de uma lula gigante pode mudar de cor e camuflar-se de acordo com o ambiente e por vontade própria. Mas quando paramos para pensar, percebemos que isso também acontece conosco. Pessoas que vivem em regiões de clima mais quente desenvolvem peles mais escuras, diferente de quem vive em áreas com neve, que costumam ter a pele mais pálida. No entanto, essas mudanças demoram muito tempo para acontecer; ou seja, nossa pele demoraria muito tempo e uma grande mudança no estilo de vida para se adaptar. Vemos, portanto, que em relação à adaptabilidade a pele dos moluscos é muito melhor do que a nossa.

Chega de dores nas costas; caminharemos como gorilas

Aparentemente, sentir dores nas costas com frequência é algo que só acontece com os humanos, afinal de contar ficar levantando o tempo todo para caminhar sobre duas pernas gera um estresse que acaba sobrecarregando demais a parte de baixo das costas.

O gorila é um de nossos parentes mais próximos e poderia ter problemas nas costas se andasse como nós, mas isso não acontece porque ele se apoia nos braços enquanto caminha. Ou seja, para manter o equilíbrio o gorila anda de quatro, o que impede o aparecimento de dores à medida que envelhece. Por falar nisso, vale destacar que existe um exercício para as costas cujo nome é ’postura do gorila’.

Pescoço mais longo, como o de um cisne

A asfixia é um perigo que, como seres humanos, não podemos evitar, e ela pode acontecer por diferente motivos, inclusive durante a alimentação. Ou seja, quando um alimento ou algum outro objeto fica preso na garganta, nossas vias aéreas ficam obstruídas e o oxigênio não consegue passar para os pulmões.

Diferentemente dos humanos, os cisnes raramente engasgam, sobretudo por conta da anatomia da garganta. O que acontece é que o pescoço fino do cisne tem duas passagens, uma para o ar e outra para comida, impedindo qualquer risco de asfixia.

Cavidade nasal mais longa, como de um cachorro, para acabar de uma vez por todas com os resfriados

Resfriados e dores de cabeça acontecem com frequência, sobretudo quando o tempo muda de maneira muito brusca. Em geral, isso acontece por conta da anatomia dos seios da face, que não drenam corretamente tudo que inalamos. Ou seja, as secreções ficam presas e nós ficamos resfriados.

Diferentemente dos humanos, os cachorros e outros animais com focinhos mais longos raramente sentem dores de cabeça, porque suas cavidades nasais são mais pronunciadas. Ou seja, os seios da face drenam muito melhor as secreções e impedem que os animais fiquem resfriados.

Ser uma “supermãe” com uma bolsa como a de um canguru

Segundo alguns estudos, os bebês estão ficando cada vez maiores e por isso nem sempre passam pelo canal da mãe. O resultado disso é o aumento no número de partos por cesariana. Mas claro que ter um filho envolve muitas outras dificuldades. Cuidar do bebê após a cirurgia pode ser muito cansativo, o que muitas vezes impede a mãe de curtir o bebê nas primeiras semanas.

Diferentemente dos humanos, os cangurus têm outro método de parto. Os filhotes nascem em um estado anterior ao nosso, após apenas 34 dias de gravidez. Mas eles ficam dentro das bolsas da mãe até ficarem totalmente desenvolvidos, o que demora, em média, 6 meses. Isso permite que as mães realizem diferentes tarefas, já que suas patas ficam livres.

Enxergar melhor com olhos e visão de polvo

Embora sejamos uma espécie altamente evoluída, nossa visão deixa bastante a desejar, e os óculos e as lentes de contato estão aí para comprovar. Além disso, temos alguns pontos cegos, áreas dos olhos onde as imagens ao nosso redor passam despercebidas. É como se nossos olhos nos enganassem e não nos deixassem ver alguns objetos que estão na nossa frente.

Polvos e outros cefalópodes, por outro lado, não têm pontos cegos e podem ver tudo que há na frente deles. Os olhos os ajudam em situações de perigo, sobretudo na escuridão. Acho que seria bom se os humanos tivessem uns quatro olhos desses, para evitar maiores problemas, não é mesmo?

Correr mais rapidamente com pernas de avestruz

Os humanos adoram participar de competições e sempre estão dispostos a mostrar quem é o mais rápido em campeonatos mundiais e Jogos Olímpicos. No entanto, nossas pernas ainda precisam ficar muito mais fortes para poder sobreviver no futuro, porque tanto as pernas como os pés dos humanos apresentam uma série de “problemas”.

Um animal que vive de uma maneira diferente da nossa por conta das pernas é o avestruz. Suas pernas robustas e seus dois dedos grandes ajudam a correr mais rapidamente, sempre com muita força e equilíbrio. Além disso, as pernas permitem que eles deem chutes em possíveis predadores.

Diminuição do risco de ataque cardíaco por conta de um coração semelhante ao de um cachorro robusto

Você já deve ter ouvido que o coração humano é um órgão bastante frágil, tão frágil que muitas vezes as pessoas dizem que estão com o coração partido. Mas o estado de um coração é influenciado pela dieta e pela quantidade de exercícios que a pessoa realiza. Um ataque cardíaco, por exemplo, acontece quando uma parte do nosso coração sofre uma perda de sangue por causa de uma artéria entupida.

Assim como os humanos, os cachorros também sofrem ataques cardíacos. No entanto, o risco é muito menor em comparação conosco porque as artérias coronárias estão conectadas e não separadas, como acontece com o coração humano. Isso significa que se um cachorro sofre um ataque cardíaco por causa de uma artéria entupida, a outra artéria ajuda a bombear mais sangue para o outro lado.

Respirar mais profundamente por conta de um peito maior, como o dos pássaros

Aparentemente, nossos pulmões não são os melhores para atividades muito desafiadoras e cansativas, como escalar montanhas e correr maratonas. Trata-se, na verdade, de uma falha humana em decorrência da proporção entre corpo e pulmão e do estilo de vida que a maioria das pessoas segue.

Quando o assunto é respiração, as aves provaram ser muito mais eficientes do que nós. Apesar do pequeno tamanho elas desenvolveram um par único de pulmões, acompanhados de bolsas de ar que permitem movimentos muito ágeis e que facilitam muito a respiração.

Bônus: todos os recursos combinados para formar o humano “ideal”

O que você achou dessas características? E, se pudesse escolher, que característica animal você adoraria ter?

Incrível/Curiosidades/Como seria o corpo humano “ideal” do futuro
Compartilhar este artigo
Você pode gostar destes artigos