Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

A ciência explica por que a viagem de volta parece mais curta mesmo quando fazemos o mesmo caminho

11--
454

Quando Alan Bean voltava para a Terra após a missão que o levou para a Lua, ele pensou em algo que você provavelmente já pensou quando saiu de férias: a viagem de volta parece mais curta que a de ida. Na realidade, a maioria de nós sente isso após uma viagem, e os cientistas parecem ter encontrado uma resposta para esse interessante fenômeno.

Nós, do Incrível.club, sempre tivemos muita curiosidade sobre essa sensação e decidimos compartilhar com você o que aprendemos sobre ela.

Até mesmo um caminho diferente parece mais curto

No início, os cientistas pensavam que o “efeito da viagem de volta” estava relacionado com a sensação de familiaridade com o trajeto: como já passamos pelo mesmo caminho, ficamos mais atentos a tudo que vemos e não somos tão afetados pela sensação do passar do tempo até chegarmos em casa. No entanto, essa ideia acabou sendo descartada, já que o mesmo efeito foi percebido em trajetos diferentes, ou inclusive em viagens de avião.

É assim que nosso corpo mede e vive a experiência do tempo

Mas o que importa aqui não é medir o tempo, mas entender como o tempo é percebido por nossa memória. Durante a viagem, não sentimos nenhuma diferença em relação à passagem do tempo, mas quando a viagem acaba e chegamos em casa sentimos que um trajeto foi mais curto que o outro.

Além disso, quando saímos de casa, geralmente temos uma programação concreta sobre o horário que devemos chegar ao nosso destino, normalmente porque temos compromissos marcados. Isso nos obriga a prestar mais atenção no tempo: olhamos para o relógio com mais frequência e acabamos com uma sensação de que o tempo não passa.

Somos otimistas em relação à viagem

Quando saímos de férias, ficamos entusiasmados e sentimos que o destino demora para chegar. Por outro lado, quando nos preparamos para voltar, pensamos que o trajeto irá durar o mesmo tempo, mas esquecemos que nós não somos mais os mesmos; ou seja, não sentimos a mesma alegria vinculada à expectativa das férias. E é justamente o sentimento de expectativa que nos faz pensar que demoramos mais tempo para chegar ao destino do que para voltar para casa.

Podemos sentir o mesmo efeito enquanto vemos um vídeo

Para completar os estudos, os cientistas decidiram testar se a sensação ao ver um vídeo é a mesma. Eles exibiram dois vídeos da mesma pessoa andando de bicicleta, um em que ela estava indo e outro em que estava voltando, ambos com sete minutos de duração. O participante do experimento tinha de observar se sentia o “efeito da viagem de volta”. O resultado mostrou que o mesmo acontece em vídeo, ou seja, sentimos que o ciclista voltou mais rápido do que foi.

Você já teve essa sensação durante alguma viagem? E isso já aconteceu mesmo fazendo outro trajeto de volta? Conte a sua experiência nos comentários.

11--
454