Incrível
Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração
Incrível

15+ Particularidades do estilo de vida dos amish — comunidades religiosas fechadas que vivem sem eletricidade e segundo os próprios costumes

Os amish são integrantes de comunidades religiosas fechadas que, mesmo no século XXI, mantêm um estilo de vida antigo — eles não usam eletricidade, Internet e redes sociais, e preferem utilizar a carroça como principal meio de transporte. No entanto, costumam participar ativamente da vida sociopolítica do país e vendem passeios turísticos para quem quiser conhecer o dia a dia de sua comunidade. Os amish e seu estilo de vida peculiar são o tema deste post.

Nós, do Incrível.club, pesquisamos sobre o estilo de vida amish e suas tradições e estamos prontos para compartilhar nossas descobertas com você. Confira!

  • Os amish são bastante conhecidos pelas fotos de pessoas vestindo roupas à moda antiga em carroças puxadas por cavalos dentre os carros nas estradas dos Estados Unidos. Mas a principal característica que torna essa comunidade tão conhecida é a escolha por não utilizar qualquer tecnologia ou comodidade moderna. Seus membros vivem sob regras bastante rígidas e isolados do resto da sociedade, preferindo o trabalho manual em vez do uso de máquinas e constroem famílias com uma média de seis filhos. Atualmente, existem mais de 300 mil amish ao redor do mundo. E a maior parte de suas comunidades ficam no Canadá e nos Estados Unidos. No mais, as regras e tradições podem variar de acordo com o agrupamento.
  • Não há carros nas comunidades amish. Mas eles podem usá-los como transporte na condição de passageiro, como em táxis, ônibus, trens ou carros de vizinhos dispostos a transportá-los, por exemplo. Isso não vai contra às tradições e permite que os integrantes do grupo possam se deslocar até pontos mais distantes sem muitas dificuldades. Além disso, eles podem contratar terceiros de fora de sua sociedade para transportar seus membros ou mercadorias. Apesar disso, os amish não usam avião, pois o consideram um meio de transporte muito moderno.

  • Os amish proibiram o uso de bicicletas. No entanto, a utilização de um tipo de transporte que parece a mistura de um patinete com uma bicicleta é bastante comum entre seus integrantes. Talvez esse modo de deslocamento esteja em segundo lugar em termos de popularidade, perdendo apenas para as tradicionais carroças. É bastante comum ver jovens amish indo para a escola nesses “veículos”. A propósito, eles são chamados de Amish scooter e são produzidos por uma empresa especializada na qual trabalham apenas integrantes da comunidade, e a produção é vendida on-line para quem for de fora e quiser comprar.

  • O tabu acerca da eletricidade tornou-se um dos principais símbolos que separam os amish do resto do mundo. Afinal, isso os impede de usar o rádio, a televisão e todo tipo de eletrodoméstico. No entanto, com o tempo as tradições acabam se adequando à realidade: apesar da proibição sobre o uso da energia elétrica, é permitido o uso de objetos movidos à bateria.

  • Além disso, algumas comunidades usam motores pneumáticos ou hidráulicos em máquinas de lavar roupa ou de costura. Enquanto eletrodomésticos como fogões, geladeiras, aquecedores de água e lampiões domésticos funcionam a gás.

  • Não há uma definição estrita sobre o que deve integrar a alimentação dos amish. E por isso eles não se importam de provar um hambúrguer de uma rede fast-food de vez em quando. Isso, muitas vezes, pode ser uma surpresa e tanto para os outros clientes do restaurante, assim como encontrar uma carroça parada no estacionamento.

  • Os amish costumam colocar aipos em vasos para uma cerimônia de casamento. Essa planta tem um significado simbólico para a comunidade. Ela também é usada para decorar a casa dos noivos e é incluída nos alimentos servidos durante o casamento. E claro, todo o aipo utilizado é produzido na horta local.

  • rumspringa é um período da vida dos amish que começa na adolescência e termina com a tomada de uma decisão muito importante: permanecer na comunidade e então ser batizado na igreja ou deixá-la de vez. Durante esse período, o jovem pode adotar o estilo de vida que quiser, ir para onde desejar e fazer o que tiver vontade. A propósito, em 2002 foi feito o filme documentário Devil’s Playground (Parquinho do Diabo, em tradução livre) retratando esse período da vida de um amish. Além disso, também já foram produzidos alguns reality shows mostrando as reações dos jovens amish à vida na cidade grande.

  • Se durante o rumspringa um jovem decidir levar um estilo de vida que contradiga as tradições e crenças amish, isso não o impede de retornar à comunidade se assim desejar. Mas caso um indivíduo decida retornar, ser batizado e então abandonar a comunidade, os amish passarão a evitá-lo. E o mesmo acontece se o jovem decidir permanecer no “mundo da eletricidade e tecnologia”. O tempo que os jovens têm para se decidir após o rumspringa e se a família deve evitá-lo ou não varia de grupamento para grupamento.

  • Cerca de 90% dos amish retornam para a sua comunidade após o período de rumspringa e aderem à igreja. O restante passa a viver nas cidades, levando um estilo de vida moderno. Um exemplo disso é Kate Stoltz, que participou do reality show Breaking Amish (Rompendo com os Amish, em tradução livre) e optou por deixar a comunidade após o fim do programa. Hoje em dia, Kate é modelo, designer de moda, apresentadora de TV e mora em Nova York.

  • Este é Colby Rasmus, um jogador da Liga Principal de Beisebol dos Estados Unidos. Ele também optou por deixar a comunidade amish e acabou se tornando um jogador de beisebol profissional. Enquanto integrantes da comunidade, os amish não têm permissão para jogar em times profissionais.

  • No que diz respeito ao beisebol, é preciso destacar que esse é o esporte mais popular entre os jovens amish. E não só os garotos podem jogar, mas as mulheres também — elas só têm de continuar vestindo seus tradicionais vestidos longos durante as partidas. No mais, o voleibol e basquetebol também são bastante populares entre os mais jovens.

  • Muitos membros das comunidades amish envelhecem de forma mais lenta do que as outras pessoas de fora de sua sociedade, pois apresentam uma mutação genética responsável por prolongar a sua vida em cerca de 10 anos, segundo cientistas do estado americano de Illinois.

  • Outra particularidade do estilo de vida dos amish é que os bonecos de seus filhos não devem ter rostos. Bonecos que possuam olhos, orelhas e boca são proibidos. Essa tradição está relacionada à crença de que demônios poderiam entrar nesses brinquedos.

  • A maior parte dos amish vive no estado americano da Pensilvânia. Atualmente, há mais de 200 pontes cobertas nesse estado, enquanto no século XIX seu número era de mais de 1500. O condado de Lancaster é especialmente famoso por causa delas. Lá existem 29 pontes desse tipo e são organizados até passeios turísticos que passam por dentro delas. E todas são tombadas como patrimônio histórico hoje em dia.

    A grande quantidade dessas pontes no estado de maior população amish não é mera coincidência — as comunidades locais as construíram porque cerca de dois séculos atrás havia madeira relativamente barata na região, que era muito usada na construção em geral, especialmente em suas vilas. No entanto, o processo para construção das pontes em si era custoso. E, por isso, elas eram cobertas com um telhado, de forma que ele protegesse a estrutura da chuva e prolongasse a sua vida útil.

  • Algumas comunidades fizeram de sua cultura uma proposta atraente para os turistas curiosos. Há opções que vão desde lojas on-line de souvenirs até passeios de buggy pelo território onde vive a comunidade. E dentre outras opções, alguns grupos permitem até que turistas pernoitem em suas casas.

  • O ordnung, um conjunto de regras e costumes amish, proíbe o uso de joias e acessórios. E é por isso que os integrantes dessa comunidade não usam alianças de casamento e as mulheres evitam qualquer tipo de maquiagem.

  • As mulheres amish nunca cortam os cabelos depois do casamento. Elas os enrolam formando um coque na parte de trás da cabeça e usam uma touca para cobrir tudo. E mesmo que uma mulher tenha cabelos bastante atraentes, nunca irão elogiá-la por isso. Afinal, os amish acreditam que os cabelos não devem ser motivo de orgulho, e isso é uma das razões pelas quais eles devem permanecer cobertos.

Você conseguiria abrir mão da eletricidade e de todos os confortos da tecnologia moderna para viver o estilo de vida amish? O que seria mais difícil para você: viver alheio à sociedade ou não ter acesso à Internet e às redes sociais? Conte para a gente na seção de comentários.

Compartilhar este artigo