Incrível
Incrível

14+ Evidências de que a vida na Idade Média era mais emocionante do que qualquer filme de ação moderno

A Idade Média muitas vezes é retratada como uma época sombria de atraso e de escuridão. Mas a verdade é que as coisas não eram exatamente assim. Ao contrário dos estereótipos, as pessoas não classificavam como bruxas todas as mulheres belas e também não lutavam aguerridamente contra a ciência. E muitas delas observavam regras de higiene.

Nós, do Incrível.club, preparamos uma lista de fatos curiosos sobre a Idade Média que, para nós mesmos, se mostraram verdadeiras revelações. Esperamos que você também se surpreenda. Confira!

  • Na Idade Média não existia o conceito da infância. A maioria das pessoas não tinha certeza a respeito da própria idade. Os recém-nascidos eram considerados maus por natureza. A infância começou a ser vista como uma etapa separada da vida apenas no século XVII. Na mesma época, os bebês começaram a ser tratados como criaturas inocentes que precisam de proteção.
  • Para se casar, não era necessário organizar uma grande cerimônia. A principal condição para formalizar a união era a vontade dos próprios noivos. O matrimônio podia ocorrer em qualquer lugar, até mesmo em uma taverna. No entanto, em caso de casamento sem testemunhas, podiam surgir problemas para comprovar a legalidade do relacionamento.
  • Em alguns países europeus, o marido e a mulher podiam acertar um conflito ou uma disputa doméstica por meio de duelos conjugais. No entanto, como um homem é, geralmente, mais forte do ponto de vista físico, seus movimentos eram limitados pelas regras do combate.
  • Um dos pontos de encontro dos habitantes da cidade era o cemitério. Lá, as pessoas se reuniam para ouvir o pregador, realizar procissões festivas e até mesmo sessões julgamento.
  • No início da Idade Média, a área de floresta era medida “em porcos”. Essa unidade de medida se referia à área necessária para alimentar um porco por um ano, geralmente cerca de um hectare.
  • Acredita-se que os únicos ricos na Idade Média eram os nobres. No entanto, já no século XIII, alguns burgueses eram tão abastados que podiam até possuir castelos. Esse era o caso de Artaud de Nogent, a quem Enrique, o conde de Champagne respeitava muito — tanto que até o chamava de “senhor vilão”.
  • Até o século XVI, as pessoas andavam de um jeito completamente diferente. O fato é que a maioria delas simplesmente não possuía sapatos e cobria os pés com trapos. Havia até mesmo aqueles que andavam descalços. Os mais abastados usavam uma espécie de calçado de couro grosso, mas sem sola; portanto seus pés sentiam cada objeto no chão. Para evitar machucar os pés ou pisar em algum objeto, as pessoas costumavam andar em “passos de bailarina”, primeiro esticando a perna para a frente e, em seguida, pisando apenas na pontinha do pé.
  • Na Idade Média, as pessoas gostavam de rir. Acreditava-se que alguém que ria tinha sangue bom e era saudável. No entanto, essa prática passou a ocorrer somente a partir do século XII. Antes, o riso era considerado algo repreensível e podia ser percebido como um sinal de problemas com o baço.
  • Falar sobre as necessidades fisiológicas não era algo vergonhoso. E as regras de etiqueta nessa área pareceriam um tanto estranhas para uma pessoa moderna. Por exemplo, Erasmo de Roterdã afirmava que é indelicado cumprimentar uma pessoa que está se aliviando.
  • Nos castelos, os banheiros eram construídos separadamente. Os teutônicos, por exemplo, preferiam construir uma torre independente sobre um rio ou riacho. Tal edifício se denominava dansker. De acordo com uma versão, essa palavra veio do nome da cidade de Danzigue (também conhecida como Gdansk) que se rebelou contra a Ordem Teutônica mais de uma vez. Segundo outra versão, é associada à palavra dansk, traduzida da língua prussiana como “molhado”. Como descobrir onde ficava o banheiro no castelo? Pelas manchas cinzentas sob as janelas da torre. O fato é que todo o seu conteúdo era jogado fora pela janela.

Dansker do Castelo Kwidzyn

  • Muitas coisas que usamos até hoje foram inventadas na Idade Média. Acredita-se que o ponto de interrogação tenha sido criado pelo cientista Alcuíno de Iorque, conselheiro do imperador Carlos Magno.
  • A palavra “romance” também é uma herança a Idade Média. Derivada de romanicus e do adverbio romanice, ela era usada para designar uma obra escrita em latim moderno para a época.

Ilustração para o manuscrito Romance da Rosa (entre 1420 e 1430)

  • O termo “computador” também tem sua origem associada à Idade Média. Ele vem da palavra latina computus, que se refere ao processo de cálculo da data da Páscoa no calendário cristão. Portanto, de certa forma, podemos dizer que o clero daquela época usava computadores.
  • Podemos dizer, ainda, que os primeiros memes também foram inventados na Idade Média. Na época, já existiam imagens engraçadas que acompanhavam alguns textos. Eram os chamados drôleries, ilustrações de caráter cômico que ficavam à margem dos manuscritos. Podiam retratar galos com cabeças humanas; cães com máscaras de rosto humano; arqueiros voando para fora da boca de peixes e dragões parecidos com pássaros com cabeça de elefante nas costas.
  • Um dos temas mais recorrentes para os drôleries eram os coelhos violentos lutando entre si. Presumivelmente, esses desenhos ridicularizavam os cavaleiros, que podiam ser atacados até por esses orelhudos fofos.

E você, gostaria de viajar no tempo e visitar a Idade Média?

Incrível/Curiosidades/14+ Evidências de que a vida na Idade Média era mais emocionante do que qualquer filme de ação moderno
Compartilhar este artigo
Você pode gostar destes artigos