Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

13 Objetos que foram criados para serem usados por homens ou por mulheres, mas agora são considerados unissex

Quando você pensa em um sapato de salto alto, você imagina um homem ou uma mulher? E a cor rosa, acha que ela normalmente é relacionada com algo mais masculino ou feminino? As histórias de alguns objetos e de algumas cores que usamos hoje em dia são muito mais antigas do que imaginamos, e nem tudo que conhecemos foi pensado para ser usado da forma como vemos atualmente.

Pensando nisso, o Incrível.club vai contar a história de alguns objetos bastante conhecidos e que não eram usados da forma como muitos de nós estamos acostumados. Confira!

1. Sapatos com salto alto foram criados para guerreiros e açougueiros

Originalmente, o salto alto era usado por guerreiros persasaçougueiros egípcios. Por estar um pouco mais alto era possível o açougueiro realizar seu trabalho sem sujar os sapatos. Eventualmente, os homens do século XVII também adotaram o look e aproveitaram esses centímetros a mais, até que as mulheres mergulharam de vez na tendência.

2. O rosa era uma cor que sugeria virilidade

No passado, a cor rosa era considerada viril e elegante e era bastante usada pelos homens. Com a chegada do século XIX, a opinião das pessoas foi mudando e essa cor passou a ser identificada como romântica, sobretudo pela proximidade com o vermelho. O rosa foi pouco a pouco sendo considerado um tom emocional, terno e feminino.

Essa mudança de percepção foi rapidamente usada pelas empresas de publicidade, que passaram a criar muitos produtos na cor rosa, gerando sempre uma imediata identificação com o feminino. Essa tendência ainda aparece em roupas e escovas de dente hoje em dia, para citar apenas dois exemplos.

3. A ioga foi desenhada por monges e era praticada exclusivamente por discípulos homens

Praticada por monges como uma disciplina que permitia conectar o corpo com as técnicas de respiração, meditação espiritual e posturas de flexibilidade, a ioga é um sistema complexo que mistura espírito, intelecto, respiração e mente e que ao longo do tempo foi se adaptando a diferentes tipos de pessoas e regiões.

Atualmente, a prática mais comum é chamada de “Asana”. A ioga foi popularizada como uma prática que mistura relaxamento e exercício e ficou muito popular tanto entre mulheres como entre homens.

4. As botas UGG eram moda entre os surfistas

Macias, quentes e lindas. Essas botas surgiram na Austrália nos anos 1960, e eram usadas ​​por surfistas. Depois, foram introduzidas na cultura do surf do Reino Unido e dos Estados Unidos na década de 1970. E elas eram usadas para esquentar rapidamente os pés dos surfistas quando saíam da água gelada.

Eventualmente, a bota de pele de borrego (cria da ovelha e do carneiro) ficou popular entre as namoradas dos surfistas. A equipe de publicidade da empresa Deckers aproveitou a ideia e pediu para que várias celebridades usassem a marca para aumentar a visibilidade e as vendas do novo produto.

5. Antes do século XIX, as mulheres ocidentais não precisavam tirar os pelos do corpo

Se você já viu algum filme que a história se passa antes de 1900 e que nele as mulheres aparecem depiladas, bom, o trabalho de pesquisa para o longa não foi bem-feito. Depilar o corpo era uma prática dos homens e que existia sobretudo por causa dos pelos faciais: os homens tiravam a barba para ter um aspecto mais delicado, típico da época de Alexandre Magno, que encorajava os membros de seu exército a tirar os pelos do rosto, por exemplo. As primeiras lâminas de barbear foram encontradas em algumas culturas da Idade do Bronze: eram placas metálicas bem finas, geralmente em um formato de meia-lua. Algumas delas ainda tinham uma espécie de cabo para segurar.

Como a maioria das mulheres não tinha de lidar com pelos no rosto, apenas após o século XX as empresas de cosméticos começaram a lançar campanhas para elas, impulsionadas pela moda das saias e das mangas curtas, que deram lugar ao ideal de pele macia e limpa em jovens mulheres.

6. A maquiagem era usada para destacar e favorecer os traços masculinos

Durante muito tempo, em várias regiões do mundo existiram tendências que incluíam o uso de cosméticos em homens jovens. Um bom exemplo é o delineador, usado para deixar o rosto parecido ao de um gato; outros exemplos são a pele branca ou mesmo as bochechas rosadas.

Foi apenas durante a Era Vitoriana (1837-1901) que a maquiagem passou a ser uma tendência feminina. No entanto, ela ainda era considerada de mau gosto e voltou com mais força entre as mulheres quando, alguns anos depois, a moda se tornou mais livre.

7. Os relógios de pulso foram inventados para mulheres

Em geral, no passado, os homens usavam relógio de bolso. Você já deve ter visto em algum filme homens importantes tirando o relógio do bolso, vendo as horas, fechando-o com um “clique” e colocando-o de volta no bolso. Algumas pessoas dizem que o primeiro relógio de pulso do mundo foi criado por Abraham-Louis Breguet para Caroline Murat, Rainha de Nápoles, em 1810.

As mulheres não tinham os mesmos privilégios e tudo mudou quando a irmã de Napoleão, Caroline Murat, pediu a um joalheiro famoso que fizesse um relógio que encaixasse em seu punho.

A praticidade e a inovação, que tornou o produto mais resistente, fizeram com que ele passasse a ser um objeto essencial para os soldados. Pouco a pouco, ele se tornou um acessório indispensável na vida de homens e de mulheres.

8. Nomes como Ashley, Leslie e Sasha eram de meninos

Ashley, Leslie e Sasha eram alguns nomes originalmente masculinos e que pouco a pouco passaram a ser usados também por mulheres. No entanto, em algumas regiões eles passaram a ser quase exclusivamente femininos. Podemos citar dois exemplos para ilustrar: o músico Ashley Higgins nasceu nos anos 60, quando o nome ainda era comum entre meninos, diferente de Ashley Tisdale, atriz que nasceu nos anos 80, quando ele já era associado a meninas.

9. Os absorventes femininos surgiram a partir de materiais usados por soldados feridos

Algumas situações requerem flexibilidade e praticidade, e ser uma enfermeira do exército durante um conflito certamente é uma delas. A falta de tempo para lavar constantemente os materiais sanitários fez com que as enfermeiras francesas do século XIX criassem uma pequena “almofada” barata que ajudava na absorção.

A vantagem oferecida pelo produto fez com que muitas empresas passassem a criar outros itens com a mesma ideia: produtos descartáveis e adaptáveis a diferentes necessidades.

10. Os chapéus Fedora e Panamá surgiram a partir de desenhos feitos exclusivamente para mulheres

Esses chapéus foram criados para serem usados por mulheres. O chapéu Fedora, por exemplo, foi chamado assim por causa da personagem de uma obra de teatro, originalmente interpretado por Sarah Bernhardt.

A popularidade da personagem e o estilo chamativo fizeram com que o chapéu fosse reproduzido muitas vezes. Hoje, ele é um acessório que dá um toque fresco e único ao look tanto de homens como de mulheres.

11. A calça legging era uma parte fundamental da roupa medieval masculina

O uso das leggings foi parte da indumentária europeia durante a história, principalmente porque ela era prática para os homens que montavam a cavalo; além disso, deixava o corpo bonito e era usada com malhas coloridas de materiais variados para dar mais elegância, algo que agradava aos cavaleiros medievais.

Embora as leggings nunca tenham perdido força entre os homens em diversos campos da arte (como balé ou ginástica), hoje em dia elas são mais usadas por mulheres, seja com blusas folgadas ou com roupas de esporte. Há ainda as que usam embaixo de vestidos, saias ou até de shorts.

12. A programação computacional era considerada um trabalho feminino

A importância dos computadores no século XX deu lugar ao campo da programação como uma profissão feminina. No entanto, a crise americana dos anos 1970 e as propagandas de computadores caseiros acabaram atraindo os homens, o que desestimulou a entrada de mulheres na área. Além disso, a ideia do “rapaz nerd e tecnológico” colocou a programação como algo masculino.

Ou seja, a crise de 1970 pode ter provocado uma diminuição no número de mulheres que queriam entrar nessa nova área, mas a publicidade também ajudou nisso ao posicionar os computadores caseiros como “brinquedos para meninos”.

Hoje em dia, essa ideia ainda persiste em muitas regiões, embora o interesse por parte das mulheres tenha equilibrado um pouco a proporção de homens e mulheres que trabalham com programação.

13. As perucas eram parte da vestimenta dos homens do século XVII

Você já viu alguma imagem de um juiz com uma túnica e uma peruca branca? Esse estilo está baseado na vestimenta do homem europeu do século XVII, quando homens da elite usavam perucas feitas com crina de cavalo, uma tendência forte entre os membros das classes média e alta. E, as perucas ainda continuam sendo parte do estilo formal em salas de audiência entre juízes e advogados da Inglaterra.

Atualmente, usar perucas no dia a dia é mais uma questão de moda. Elas são muito populares entre as mulheres, incentivadas principalmente por celebridades como Katy Perry e Lady Gaga, que sempre aparecem com novos modelos, sempre muito criativos e coloridos.

Qual desses estilos gostaria de adotar? E que outros produtos tradicionalmente masculinos ou femininos você gosta de usar? Comente!

Compartilhar este artigo