Incrível

10+ Coisas do cotidiano que deixarão de existir daqui a algumas décadas

4-3-
31k

Há apenas 50-100 anos, as obras dos grandes escritores de ficção falavam sobre dispositivos capazes de permitir comunicação a distância por som e vídeo, assim como os satélites que transmitiriam os sinais. Ninguém imaginava que isso se tornaria realidade. Agora temos aparelhos celulares, internet, drones, micro-ondas. Todos, e muitos outros, fazem parte do nosso cotidiano.

Nós, do Incrível.club, decidimos tentar prever o que nos espera daqui a uns 20 anos. E em 100? Calma, não vamos apressar as coisas. Queremos ver as mudanças com nossos próprios olhos, e até os médicos inventarem a fórmula da vida eterna, vamos nos ater a um futuro mais próximo. Confira a lista abaixo!

Plástico

Garrafas PET e sacos de lixo já estão com os dias contados: hoje já há sacolas feitas com amido de milho e garrafas de materiais biodegradáveis. Por enquanto, os custos de produção para tais alternativas são bastante altos. O resultado? Ecoprodutos ainda não cabem no bolso de qualquer um. Apesar dos obstáculos, essa iniciativa está se desenvolvendo cada vez mais e, em 20 anos, vamos lembrar das garrafas de plástico como um passado muito distante.

Espaço pessoal

Há alguns anos, foi lançada a temporada de Black Mirror sobre as classificações nas redes sociais. Lembra? Muitos espectadores afirmaram: “Este será o nosso futuro”. Os espaços pessoais estão, de fato, se encurtando — redes sociais, sistemas de busca, câmeras de segurança, banco de dados, biometria, sistema de reconhecimento facial. Ufa! Há maior dificuldade de fazer qualquer coisa sem ser percebido. Basta um pouco mais de tempo para nos acostumarmos com essa nova realidade.

Concepção natural

10+ Coisas do cotidiano que deixarão de existir daqui a algumas décadas

Ah, o progresso tecnológico! Também afetará a gravidez. Para a fertilização in vitro (FIV), os embriões são selecionados com muito cuidado. Graças a este método, é possível evitar a propagação de muitas doenças genéticas e aumentar a expectativa de vida. Há uma opinião de que daqui a 20 anos as mulheres engravidarão — mais frequentemente — por meio da FIV. Isso será visto como uma medida de prevenção de saúde. É possível que as pessoas que optarem pelos métodos tradicionais sejam vistas como irresponsáveis e levianas.

Fios

Telefone sem bateria? No mínimo, leve preocupação. No máximo, total desespero. Ainda mais frustrante: estar com o power bank na bolsa, mas sem o cabo para conectar. Porque o esqueceu em casa, no carro, na outra bolsa. O problema é tão recorrente que diversas empresas começaram a levar o assunto mais a sério. Estamos apenas no começo, mas os primeiros passos nos dão certeza de que não teremos mais problemas com fios de telefone em um futuro próximo. O objetivo tem sido o enfoque em tecnologias sem fio capazes de carregar os aparelhos em qualquer lugar.

Ouro

10+ Coisas do cotidiano que deixarão de existir daqui a algumas décadas

Nosso planeta tem reservas de ouro limitadas e, portanto, o esgotamento dos recursos naturais é perfeitamente plausível. O serviço de Geologia dos Estados Unidos estima que existam ainda cerca de 50 mil toneladas desse metal no solo. Dessas, de 2,5 a 3 mil toneladas são extraídas anualmente. De acordo com os dados, a matemática nos diz que nos restam apenas 17 anos de ouro.

Lojas

No Amazon Go não há mais atendentes de caixa. As compras são pagas automaticamente quando o cliente sai da loja.

A necessidade de ir a uma loja física vem diminuindo com o tempo. Em breve, não haverá demanda para justificar a presença de lojas. Os clientes, no entanto, gostam de encostar nos produtos e vê-los em mãos antes de comprá-los. Para isso, serão criadas zonas especiais para que as pessoas possam fazer o test drive daquilo que quiserem comprar. Você poderá testar os tênis novos em uma pista improvisada ou vestir um casaco de inverno em um ambiente a −30 ºC, por exemplo. Legal, né?

Além disso, haverá sistemas de reconhecimento facial na entrada de tais estabelecimentos para que seja traçado o perfil do cliente, assim como suas preferências de compras. Isso permitirá aos vendedores virtuais oferecem mercadorias de acordo com os gostos de cada um. Nada de caixa: os pagamentos serão realizados automaticamente ao sair da loja.

Correios

Em muitos países, as agências de correio estão perdendo a relevância. Em sua maioria, não são mais rentáveis: as pessoas não estão mais enviando cartas umas às outras já há algumas décadas. Para encomendas, há locais em que os serviços FedEx e UPS são os mais buscados. E mensagens importantes agora chegam por e-mail. Por isso, a longo prazo os correios não têm muitas chances de competir com os gigantes comerciais.

Engarrafamentos

Acredite se quiser, mas tudo indica que não haverá mais engarrafamentos. Em um futuro próximo, carros serão conduzidos por inteligências artificiais. Os computadores poderão analisar o caminho e calcular todas as situações possíveis que podem acontecer. Portanto, falhas do motorista — que causam grande impacto no trânsito — serão reduzidas ao mínimo. Caso haja agrupamento de veículos, um sistema poderá consertar em tempo real os semáforos para que o fluxo correto seja restaurado.

Antibióticos

10+ Coisas do cotidiano que deixarão de existir daqui a algumas décadas

Desde que os antibióticos surgiram, as pessoas os têm usados com tanta frequência que muitos micro-organismos se tornaram resistentes a eles. Nos próximos 10-20 anos, a administração não controlada de tais medicamentos deverá diminuir consideravelmente. Em pouco tempo, teremos bactérias que produzirão antibióticos capazes de tratar doenças específicas. Em outras palavras, pacientes receberão anticorpos que terão a função de combater as infecções do corpo.

Mas o objetivo principal dos cientistas é parar de combater os micróbios e achar uma maneira de conviver — pacificamente ­— com eles.

Fósforo

10+ Coisas do cotidiano que deixarão de existir daqui a algumas décadas

Há fósforo até nos tabletes de limpeza das máquinas de lavar louça.

Se disséssemos que os minérios de fosfato no mundo estão se acabando, você ficaria preocupado? Muitos diriam que não. Mas em vão: usamos fósforo o tempo inteiro. Ele é mais utilizado na produção de fertilizantes fosfatados para a agricultura. Sem fósforo, a produção de muitos produtos seria significativamente reduzida. Hoje usamos esse elemento cinco vezes mais do que 50 anos atrás. E não podemos esquecer que a população só está crescendo e, consequentemente, o consumo desse mineral.

Cientistas afirmam: em cerca de 80 anos as reservas naturais de fósforo se esgotarão. Caso a população continue a crescer com a mesma velocidade de agora, isso poderá ocorrer ainda mais cedo — em 20-40 anos. A boa notícia é que há uma pesquisa em curso para desenvolver formas de economizar esse mineral, assim como sistemas de reutilização dele.

Agricultura

Os campos de trigo, milho e girassol deixarão de existir. Áreas urbanas estão crescendo rapidamente e, consequentemente, as regiões férteis estão sendo afuniladas na mesma velocidade. Mas não há motivo para pânico. Existe uma solução: fazendas verticais substituirão as tradicionais. Trata-se de estufas altas, como depósitos, onde as plantas serão cultivadas em suportes verticais.

startup Plenty, especializada nesse setor, recebeu recentemente um investimento de 200 milhões de dólares (cerca de R$ 1,1 bilhão) do fundo SoftBank Vision para desenvolver o projeto. Um dos investidores principais é o criador da Amazon, Jeff Bezos. Ao que tudo indica, as hortas verticais não estão assim tão longe da realidade.

O que você acha que desaparecerá nos próximos 20 anos? E por quê? Comente!

4-3-
31k