Monogamia na natureza. 10 animais de um único parceiro a vida toda

A monogamia caracteriza a espécie humana porque geralmente está relacionada à inteligência. No entanto, deve-se mais a fatores biológicos do que sociais ou culturais, de acordo com um estudo conduzido por cientistas da East Carolina University, Estados Unidos, no ano de 2010. Mais que uma escolha livre baseada em ideais poéticos, é uma das muitas estratégias da natureza para preservar a continuidade das espécies em condições adversas.

Embora isso seja a minoria, existem dezenas de criaturas no planeta cujas vidas representam perfeitamente uma tragédia de Shakespeare. Apesar de muitos dos espécimes sustentarem sua fidelidade em fatores que estão longe de ser românticos, alguns criam laços afetivos tão fortes que a ausência do outro pode causar sua morte.

Hoje, no Incrível.club, você vai acreditar novamente no amor depois de conhecer as espécies mais fiéis e românticas do reino animal. Talvez, aprendendo um pouco sobre os desígnios da natureza, você seja capaz de entender melhor as relações humanas.

1. Lobos

Segundo as pesquisas de Christopher Opie, Antropólogo da University College de Londres, estima-se que apenas 5% dos mamíferos sejam monogâmicos. Um deles é o lobo cinzento –geralmente trata-se de um casal protetor e leal ao longo de sua vida.

Eles vivem em bandos, organizados em famílias formadas por um pai, uma mãe e seus filhotes.

2. Papagaios

Os pássaros são os mestres do amor eterno; estima-se que 90% deles sejam monogâmicos. As espécies mais inteligentes, como no caso dos psitaciformes, são capazes de conceber sentimentos de paixão, ciúme e sofrimento, além de passar por brigas e reconciliações.

O papagaio é uma das criaturas mais inteligentes e sociais do planeta (algumas são comparáveis ​​ao chimpanzé). A maioria de suas espécies geralmente escolhe um parceiro para a vida toda.

Eles cuidam um do outro e nunca perdem uma oportunidade de mostrar seu carinho com beijos e carícias. A falta do parceiro pode deixá-lo doente de tristeza e até matá-lo, se estiver em cativeiro.

3. Cisnes

Por sua elegância e lealdade, eles são um símbolo de amor puro e verdadeiro. Os cisnes costumam ter relacionamentos duradouros e até eternos com o parceiro. A dificuldade de encontrar relações sexuais, juntamente com as dificuldades de migração, faz com que permaneçam pragmaticamente ao lado de seus parceiros de vida. Eles podem até morrer de coração partido se o parceiro falecer: foi o caso do cisne Gvidon, de um zoológico russo, que não suportava viver sem sua amada companheira e morreu de uma grande depressão.

4. Ratos do campo

Apesar da má reputação dos roedores, pequenos ratos do campo chegam a esta lista quebrando estereótipos com seus relacionamentos fiéis e duradouros. Eles geralmente vivem como um casal durante toda a vida, em que um ajuda o outro a cuidar dos filhotes, coletar alimentos e construir suas tocas.

5. Albatroz

O albatroz escolhe um parceiro para a vida, mas leva anos para tomar a decisão final, porque quer ter certeza de escolher o caminho certo. Quando o pássaro laureado com as asas mais longas do mundo finalmente encontra seu amante, ele declara seu amor eterno fazendo acrobacias pelo ar.

6. Gibões

Estes pequenos primatas da Ásia e da Europa são as criaturas mais semelhantes aos humanos nesta lista. Tanto machos quanto fêmeas desfrutam de condições iguais e são muito semelhantes na aparência, tamanho e comportamento. Depois de se conhecerem, ambos passarão a vida inteira acompanhando um ao outro, cuidando e se ajudando mutuamente na luta pela sobrevivência.

Divórcios também são possíveis nesta espécie; eles não hesitam em encontrar um novo parceiro se o que tem se afasta ou não é muito fértil.

7. Pinguins

As simpáticas aves de smoking lutam como um casal contra todas as dificuldades que podem prejudicar o bem-estar de seus filhotes. Com danças e músicas, podem escolher seu par entre milhares de pinguins e manter a parceria até a morte.

Embora às vezes devam se separar para viajar em busca de comida, cruzando centenas de quilômetros, eles sempre retornam um para o outro.

8. Lontras e castores

Esses roedores semiaquáticos são tão bons em construir buracos quanto relacionamentos amorosos estáveis ​​e duradouros. Juntos, como casal, constroem suas barragens e ninhos nos rios e córregos da América do Norte, América do Sul e Eurásia, nos quais se dedicarão a cooperar um com o outro para a manutenção da casa e o cuidado dos filhotes.

9. Cavalos-marinhos

Os Sygnathidae são uma família de peixes definida por sua misteriosa fragilidade, seus peculiares corpos rígidos, sua estranha maneira de nadar e, claro, o fato de que o macho é quem passa pelo processo de gravidez.

Suas características físicas surreais, juntamente com o fato de que são símbolos do amor eterno, fazem deles as verdadeiras fadas do fundo do mar. Eles tendem a ser indivíduos monogâmicos que acompanham, cuidam e acariciam seu parceiro pelo resto de suas vidas.

10. Corujas

Anteriormente, foi mencionado que 90% das aves são monogâmicas, por isso não deve ser surpresa pra você que esta lista seja fechada com chave de ouro por uma delas. É sobre essa criatura mística noturna relacionada à magia e à sabedoria.

A coruja macho pede a fêmea em casamento com um grito enquanto oferece um delicioso rato morto de presente; se ela aceitar, dirá sim com um rosnado, e então os recém-casados ​​irão juntos para viver felizes para sempre no calor de seu ninho.

Alguns animais criam laços afetivos tão fortes que a ausência do outro pode causar sua morte.

Segundo o escritor e cientista Josh Gabbatiss num um artigo para a BBC, estudos recentes mostram que a monogamia está nos genes e tem como principais objetivos a segurança da prole e a proximidade perpétua de um parceiro do sexo oposto.

Como acontece com os seres humanos, mesmo os indivíduos mais fiéis podem ter um deslize se as condições apropriadas forem apresentadas, já que todo ser vivo na terra tem como instinto natural a transmissão de seus genes (e não pode lutar contra isso). Como Freud sustenta: somos todos polígamos reprimidos.

Descartes, no século XVII, indicou que os animais são máquinas sem almas; seres puramente instintivos e incapazes de conceber sentimentos como seres humanos. Você acha que depois de conhecer essa lista pode refutar o pai francês da geometria analítica e da filosofia moderna?

Você conhece alguma outra criatura que possa embelezar este artigo com suas histórias românticas? Então, conte-nos na seção de comentários e não se esqueça de se juntar à comunidade Incrível para continuar desfrutando de conteúdos interessantes!

Compartilhar este artigo