6 Razões por que remover as garras do seu gato é uma ideia egoísta e brutal

Apenas se imagine acordando um dia e descobrindo que uma das partes do seu corpo está faltando. Embora pareça meio assustador, é exatamente como os gatos se sentem depois de passar pelo procedimento de arrancamento de suas garras. Os donos de gatos geralmente acreditam erroneamente que a operação é tão simples e indolor quanto uma manicure, mas a verdade é que isso pode causar sérios problemas de saúde como atrofia das patas e é, inclusive, proibido em alguns países por causa da crueldade que representa.

Nós, do Incrível.club, acreditamos que as pessoas nem sempre devem colocar seus interesses em primeiro lugar e, em vez disso, devem proteger os direitos de todos os seres vivos. Por esse motivo, decidimos lançar alguma luz sobre esse tópico controverso e explicar por que remover as garras do seu gato é considerado desumano.

1. É basicamente a remoção dos dedos do gato

As garras dos gatos não são equivalentes às unhas humanas, portanto, sua remoção não pode ser comparada a aparar as unhas. As garras dos gatos são a parte do último osso dos seus dedos. Portanto, esse processo inclui não apenas a remoção das garras, mas também uma série de amputações ósseas com todos os ligamentos e tendões. Se um procedimento semelhante fosse realizado em um ser humano, isso significaria a remoção de um dedo na sua última articulação.

2. Deixa o gato com dor

Embora o procedimento seja considerado de rotina em muitos países, estudos mostram que 20% a 50% dos gatos que têm as garras removidas sofrerão algum tipo de complicação após a operação. O que pode incluir dor, sangramento, dano do nervo radial e outras complicações associadas à cirurgia, como risco de infecção ou abscessos. O gato também pode sofrer de dor crônica nas articulações, porque, em longo prazo, arrancar as garras afeta o equilíbrio e a força muscular do animalzinho.

3. Causa sérios problemas comportamentais

Arranhar é um comportamento natural para qualquer gato. Eles começam a fazer isso já com oito semanas de idade e é a maneira que eles usam para marcar seu território, se livrar de lascas mortas de unhas e esticar os músculos. Quando o gato tem suas garras removidas, sofre de estresse emocional porque não consegue mais arranhar. Isso também pode tornar o gato mais agressivo e propenso a morder, além de influenciar negativamente suas interações com outros gatos.

4. Torna os músculos do gato mais fracos

A remoção das garras impede o gato de esticar seus músculos. Isso, por sua vez, afeta negativamente a força muscular dos ombros, costas e pernas, e pode até causar atrofia muscular. Esse procedimento também altera a maneira como o gato anda, causando desconforto e arruinando sua postura.

5. Piora o senso de equilíbrio do gato

A remoção das garras prejudica o senso de equilíbrio do gato. Os felinos confiam nas garras para ajudar a manter a posição do corpo estável quando andam ou pulam e para fornecer controle sobre os músculos. Quando as garras são removidas, um gato precisa encontrar uma nova técnica que permita que ele se mova sem nenhum desconforto. Isso aumenta o risco de lesões durante saltos ou quedas e traz desconforto adicional ao gato.

6. Transforma o gato em uma criatura indefesa

Os veterinários não recomendam que os proprietários de gatos permitam que seus animais de estimação que tiveram garras removidas frequentem áreas externas. O gato não será capaz de se proteger de qualquer perigo ou escapar rapidamente porque não consegue escalar. O gato se torna vulnerável e perde seus meios de autodefesa. Os donos devem ser extremamente cuidadosos para impedir que seus gatos escapem de casa, caso as garras deles tenham sido removidas.

Você já ouviu falar das complicações da remoção das garras? Conhece alguma história sobre animais de estimação que tiveram que passar por esse procedimento? Compartilhe sua experiência nos comentários.

Compartilhar este artigo