Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

20+ Gatinhos que decidiram não esperar o destino — eles escolheram o seu próprio dono

Os gatos costumam ser animais solitários e, em suas pequenas mentes, se sentem no direito de subir, entrar e deitar onde quiserem. No mais, gostam de invadir casas. Bem, não importa muito quem vive lá — sempre haverá alguém para fazer um carinho na barriga e alimentá-los.

Nós, do Incrível.club, adoramos a insolência desses bichanos. No post de hoje, mostraremos 20+ gatinhos que simplesmente conquistaram um novo lar e um humano para chamar de seu. E, no final, um bônus de uma situação bastante curiosa ainda espera por você. Confira!

“Minha casa, meu cachorro, mas este gato não é meu. Estou confusa”

“Fui para a sala e olhei para o lugar onde o Colby, um dos meus gatos de cor branca e laranja, estava sentado. Olhei novamente e percebi que não era o Colby, logo imaginei que fosse seu irmão, que é idêntico a ele, o Jack. Olhei novamente e então percebi que não era nenhum deles. Não sou a dona deste gato. O que está acontecendo?”

“Moro em um prédio de cinco andares. E temos muitos gatos de rua morando ao redor que são alimentados pela vizinhança. Portanto, de início não prestei muita atenção a uma gatinha que estava sentada perto do portão da entrada do edifício, mas decidi chamá-la e ela veio, ronronou e pediu carinho. Em seguida lhe disse: ’Vamos para casa?’ Subi as escadas, ela foi me seguindo, até que abri a porta do apartamento e disse: ’Por favor, entre, senhora gata!’”

“Ela entrou, deu uma volta e cheirou tudo. E foi assim que a Vacilia veio morar comigo. Fomos ao veterinário e ela está saudável e tem cerca de 5 meses, só faz dormir o tempo todo” © AlekseyMB / pikabu

“Meu banheiro, mas esta não é minha gata. Ela pertence aos meus vizinhos, mas como eles não têm uma portinha para a entrada dela, a felina passa muito tempo conosco. Primeira vez que se senta no banheiro enquanto tomo banho”

“Minha casa, meu marido, mas este gato não é meu! De alguma forma acho que o Percy nos adotou!”

“Era um dos meus últimos dias de férias e decidi ir ao trabalho na sexta-feira para ver como estavam as coisas e o que me esperava na segunda-feira. Não havia vaga perto do escritório, então estacionei no lugar reservado apenas para funcionários. Quando estava saindo do estacionamento, um gatinho surgiu e começou a miar”

“Sem pensar duas vezes o resgatei e o levei para casa. Publiquei imediatamente em várias redes sociais para encontrar alguém que pudesse adotar o pequeno. Então pensei por 10 minutos e apaguei todos os anúncios. Aparentemente, era o destino em ação. Agora ele mora conosco e nos faz felizes todos os dias. A propósito, se chama Belyash” © Shuridze777 / pikabu

“Meu marido sempre quis um gato laranja desde a infância. Procuramos por vários meses para adotar um e nunca encontramos. Parece que existem muito laranjas, mas se você procurar por um especificamente, não consegue achar nenhum. Um dia, meu marido foi em uma loja de conivência à noite e, no caminho de volta, um gatinho o seguiu miando e chorando”

“O gatinho já tinha cerca de 5/6 meses, mas chamou imediatamente a atenção do meu marido porque.... era LARANJA! Eles andaram juntos por uns quarteirões e, quando meu marido estava perto de casa, me ligou e disse: ’Espere por convidados’. Ele trouxe para casa essa pequena criaturinha trêmula que escondia o rosto no braço dele. O bichano tem o hábito de esconder o rosto até hoje. Ele não estava muito sujo, então inicialmente pensamos que estivesse perdido. Fomos ao veterinário no dia seguinte e o gatinho tinha vários problemas, então deduzimos que não tinha dono ou simplesmente não se importavam com ele. Então o adotamos, e o chamamos de Russky” © Tullma / pikabu

“Foto da casa da minha sogra, e este não é o gato dela (mas agora é, e já tem até brinquedo e cobertor)”

“Recebi uma mensagem do meu marido: ’Não, definitivamente não, nem pense nisso’. Fiquei perdida, não estava entendendo nada. Eu estava trabalhando e fiquei bastante confusa porque ele já devia estar a caminho do trabalho naquela hora”

Acontece que ele estava atrasado para o escritório e, quando ia sair, abriu a porta de casa e um gatinho correu para dentro. Quando cheguei mais tarde e nossos dois gatos adultos me trouxeram o filhotinho, fiquei chocada, mas instantaneamente entendi o que meu marido quis dizer com aquela mensagem. Postamos em vários locais perguntando se alguém tinha perdido um gatinho e bati em todas as casas por perto, mas ele não era de ninguém. Meu marido então lhe deu um nome e se recusou a levá-lo para um abrigo. Então, no fim, o adotamos. © Stephie Baugh / facebook

“Moro no térreo e às 3h da manhã ouvimos algo arranhando o vidro da janela, me levantei para ver o que era e tinha um gato no parapeito. Sentei-me com ele um pouco na cozinha e depois o levei para fora. Na noite seguinte, o bichinho veio com a intenção de ficar e eu não me opus”

“Cheguei em casa e os meus filhos, aparentemente, adotaram um novo gatinho. Os meus outros três gatos e meu cachorro não estão muito felizes”

“Um gatinho estava sentado debaixo da minha janela. Assim que me viu, subiu nos meus braços. Fiquei com o medo de ele ter feridas, então o deixei lá e corri para casa. Um minuto depois ouvi um gato miando na minha porta. Conheçam o Chernyshevsky!”

“Conheça o Biggy. Ele apareceu em nosso quintal e não demorou muito até que descobrisse que conseguiria comida, então começou a ficar morando por lá. Duas semanas depois tivemos de levá-lo ao veterinário porque ele estava com um problema para urinar. Acabamos gastando 1.000 dólares e, no fim, ficamos com o bichinho. É o melhor gato que já tivemos. Muito carinhoso e leal, e se dá muito bem com os nossos três poodles”

“Estava fazendo café na cozinha quando ouvi um barulho estranho vindo da janela. Abri as cortinas e encontrei esta coisa fofa se agarrando na rede e exigindo que eu abrisse a porta para ele entrar. Como poderia resistir? É claro que o deixei entrar”

“Encontrei este carinha nas ruas ano passado. Ele me seguiu, então o adotei. Ele precisava de uma casa, e definitivamente conseguiu uma”

“A vista da da janela da cozinha dos meus pais. Eles não têm gatos...”

“Faz dois meses que o tirei da rua, não consigo entender por que ninguém queria adotar esta grande coisinha fofa”

“Um tempo atrás, cheguei em casa depois da minha corrida e encontrei meu marido, que sempre falou não gostar de gatos, fazendo chá com este garoto ruivo bem folgado jogado no meio da cozinha”

“Nossa cama, mas este gato não é nosso. É do vizinho que, por sinal, sempre o deixa fora de casa e nunca demonstrou se importar muito com ele. É um bichinho maravilhoso que já foi muito maltratado nas ruas. O nosso cachorro também o ama. Ele se sente seguro na nossa cama”

“Estava voltando para casa e uma gata pulou de uma lata de lixo e começou a me seguir. Então a levei para minha casa, lhe dei um pouco de comida e decidi levá-la de volta para a rua. O apartamento é alugado e minha esposa tem alergia, mas decidi ligar e lhe contar a história. No fim, ela concordou que deveríamos adotá-la e que eu precisava ir atrás da gata”

“Coloquei uma jaqueta e corri para procurar pela gata. Andei cerca de 15 minutos pelo quarteirão olhando em todos os cantos e latas de lixo, mas não a achei. Então pensei que ela tivesse voltado para casa. Mas lembrei que não tinha visto perto da escola, e quando cheguei perto, ela apareceu miando. A levei para casa. Após duas semanas de treinamento, a gatinha aprendeu tudo e já se acostumou com o apartamento, descobri que gatos vira-latas também são perfeitos” © IAmBrute / pikabu

“Estava viajando em um ônibus intermunicipal quando percebi pelo canto do olho um vulto avermelhado passando. Era uma gatinha, toda suja e coberta de algum tipo de óleo, correndo de um lado para o outro no ônibus. Até que, do nada, ela pulou no assento ao lado do meu”

“Decidi chamá-la de Ducya. E ainda encontro resquícios do óleo do motor ou sei lá o que era aquilo no pelo dela até hoje. E sim, agora ela é minha. Só que, para a gatinha, é o contrário” © jumbo05 / pikabu

“Esta gata tenta entrar discretamente na minha casa para encontrar comida e brincar com os meus dois gatos. Ela ainda tem medo de mim e não deixa que me aproxime muito, mas tenho certeza de que seremos amigas um dia. A chamo de Margaret, que já reconhece esse nome”

“Meu marido construiu um gazebo no nosso jardim. E já no primeiro dia uma gatinha bastante magra veio se aconchegar por lá. De início, não deixava que a gente chegasse muito perto e criássemos uma relação mais próxima, mas ela nunca chegava atrasada para o jantar”

“Em setembro, então, decidi que queria que ela morasse com a gente em casa. Bastou apenas abrir a porta e a gata já entrou correndo no corredor de casa indo encontrar as suas tigelas de água e ração, depois desaparecendo pelos quartos. Precisei de algumas horas para encontrá-la. A chamamos de Taranka” © Mymotivation / pikabu

“A casa é minha, mas a gatinha não! Ela me seguiu entrando sorrateiramente pela porta da frente e então pulou no sofá. Foi completamente inesperado. Como ela não tinha nenhuma coleira, decidi chamá-la de Miss Pring, já que fez um barulho tipo ’pri-i-i-i-ing’ para chamar a minha atenção”

“Estava em outra cidade fazendo um trabalho. Então, quando estava andando na rua para voltar para o carro e ir para casa, um gatinho correu para debaixo das minhas pernas. O peguei nos braços e o levei para o carro comigo. Abri a porta e o pequeno correu para dentro dele”

“O bichinho não perdeu tempo — se jogou no banco do passageiro e adormeceu. Telefonei então para a minha esposa e lhe perguntei se queria um gatinho. Ela respondeu: ‘É macho ou fêmea?’ Dei uma olhada rápida sob o rabo do dorminhoco e disse: ‘Macho’. E mandei uma foto para ela. ‘Traga ele’ — minha esposa disse no final. Tínhamos ainda um dia inteiro de estrada pela frente até chegar em casa e ele foi meu companheiro o tempo todo. Dormia no banco do passageiro ou no meu colo. Hoje em dia é um gato preto muito bonito cujo leve estrabismo é um charme a mais e não o atrapalha em nada” © axegrin / pikabu

Bônus: “Meu gato simplesmente desapareceu no mês passado. Só vim encontrá-lo de novo há uma semana, o trazendo de volta para casa comigo. Só que hoje o meu original voltou. Agora tenho dois gatos idênticos em casa”

Como você conheceu o seu gatinho? Foi ele quem o adotou ou o contrário? Conte para a gente na seção de comentários.