Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração
Incrível

16 Provas de que nunca nos contentamos em ter apenas um gato

Todo mundo que já adotou um gato pelo menos uma vez na vida sabe que é simplesmente impossível resistir à cena de um deles triste sob a chuva ou conseguir expulsar uma gata grávida que entrou em casa. E mesmo que você perceba que já tem alguns felinos para chamar de seus, será tarde demais e os novos já terão conquistado sua casa e o seu coração.

Nós, do Incrível.club, encontramos 16 relatos de internautas que, quando menos perceberam, encontraram suas casas repletas de gatos e de muito amor. Confira!

1. “A Tika costumava comer os pepinos da minha estufa no jardim, mas assim que o inverno começou, ela veio até a minha varanda implorar por comida. A adotamos. A Tika comia bem, ganhou algum peso, mas um tempo depois, de repente, deu à luz. E a gente pensando que ela só estava gordinha”

“Na época, pesquisei na internet como fazer o parto de uma gata, mas deu tudo certo. Meu marido disse: ’Se nascer um filhote laranja, ficaremos com ele’. E eu complementei em seguida que se nascesse um cinza, poderíamos ficar também. No fim, nasceram um macho laranja e uma fêmea cinza e ficamos com os dois. Desde então já ganhei alguns cabelos grisalhos, mas pelo menos tenho gatinhos”.

2. “Por volta das 22h este carinha apareceu na frente da loja em que trabalho. Deixei que entrasse. Ofereci-lhe um pouco de leite e pãezinhos. Ele devorou tudo, nem se dando ao trabalho de mastigar antes de engolir. Esse já é o quinto gato que aparece desde o início de 2019, e sempre no meu turno...”

No fim, o gato era, na verdade, uma fêmea. E o internauta decidiu adotá-la, dizendo: “Depois do quarto, o quinto não é problema”.

3. “Era 2017. Ouvi um barulho no quintal e decidi ir checar o que era. Lá achei um gatinho preto sentado e miando sob a cerca de concreto. E foi assim que o Sam apareceu em nossa casa”

“Dois anos depois decidimos adotar o segundo gato, para que o Sam não se sentisse solitário destruindo o apartamento. Lendo os anúncios, encontrei uma scottish fold de 2 anos com olhinhos tristes e me apaixonei na hora. E foi assim que a fria, mas bastante afetuosa Mura, entrou para o nosso clã”.

“E o último membro da família fugiu da floresta e veio até mim no trabalho. Ficou sentada por perto até a noite. Meu expediente já tinha acabado havia meia hora quando meu marido desistiu de argumentar, perdeu a paciência e disse que poderia pegá-la, então fui para casa, colocando a gatinha dentro de uma caixa de papelão. Seu nome é Eluna”.

4. “Moro em uma casa. Mês passado saí para passear com o meu cachorro quando escutei um chiado no jardim. Segui o barulho e acabei descobrindo isto”

“Temos 2 cachorros, por isso não podíamos adotar esta família. Decidimos alimentá-los, mas sem tirá-los do lugar, e ir vendo como a situação ia correndo. Mas então ontem, quando estava saindo para passear com o cachorro de manhã cedo, olhei para o telhado e vi um outro filhote andando ali. Era outra família de gatinhos.

Ficamos em choque. Não sei por que todos os gatos do bairro estão decidindo usar minha casa como maternidade. No fim, no início da tarde de ontem tínhamos uma gata cinza com quatro filhotes no jardim e uma laranja com mais quatro filhotes morando na varanda”.

“No fim, as gatas acabaram juntando forças e amamentam juntas os filhotes. Até comem da mesma tigela, não brigam por comida e, no geral, se dão bem.

E essa foi a história de como em, literalmente um mês, a nossa família ganhou 10 novos membros. Alguns conhecidos já disseram que vão adotar os filhotinhos, mas os que sobrarem e suas mamães permanecerão conosco”.

5. “Sou conhecida como a Sveta dos cinco gatos. Tudo começou quando minha filha trouxe uma gatinha da rua apenas para ’alimentá-la’”

“Moramos em uma casa com jardim. E como era impossível manter a gata dentro de casa, depois de um tempo Manyunya deu à luz quatro filhotes. Mais quatro para a família. Todas fêmeas”.

6. “Minha vizinha cuidava de uma gata que morava em seu local de trabalho. Quando ela decidiu ir embora, seu chefe disse que não iria mais manter a gata ali. Mas a minha vizinha já tinha cinco em casa. No fim, decidiu que onde comem cinco, também comem seis, e adotou o bichinho”

7. “Este é o terceiro — e último — gato da minha vida”

8. “Agora temos três gatos... Um dos nossos trouxe o terceiro para casa hoje”

9. “Meu gato grandão e com manchas trouxe o cinza para casa. Certamente, o mais experiente disse ao novato: ’Venha comigo, conheço pessoas que dão comida das boas!’ E ele veio se abrigar aqui”

10. “Nosso gato trouxe uma fêmea para nossa casa de campo. E esta acabou dando à luz na propriedade. Ela e seus filhotes não são muito sociáveis. Construí uma casinha para eles no quintal de trás”

11. “Uma gata de rua decidiu trazer o seu filhotinho para dentro da minha casa hoje. O pequeno era extremamente agressivo, mas ela estava bem calma. Depois a gata ainda trouxe outro filhote para conhecer meu jardim”

12. “’Se adotarmos um terceiro gato todo mundo vai pensar que somos doidos’ — disse meu marido. Conheçam Phoebe, nosso novo bichinho de oito semanas”

13. “Temos dois gatos bastante normais. Mas acho que não tivemos muita sorte ao adotar o terceiro”

14. “O primeiro — Loki — nós resgatamos da rua no meio do outono. E um ano depois isso se repetiu mais duas vezes com o Smoke e o Flopi”

“O quarto nós adotamos de um amigo cuja gata deu à luz e lembrava bastante um gatinho da propaganda do Whiskas.

Eles são muito diferentes uns dos outros — cada um tem suas manias, seus brinquedos prediletos e lugares favoritos para tirar uma soneca. Todos são castrados, e não temos nenhum problema com mau cheiro ou qualquer outra coisa em casa, apenas muita alegria e um ’ronronar’ constante. Como dizem por aí, os gatos transformam sua vida!”

15. “Um convidado inesperado. Ao que tudo indica, ele será o meu terceiro gato. Sinceramente, não queria mais um, mas o bichinho me conquistou”

16. “Uma vez vi o anúncio de um gatinho preto no Facebook e convenci o meu marido de que devíamos adotá-lo. Assim o fizemos. Então, alguns meses depois, ele disse: ’Estava pensando, talvez devêssemos adotar outro gato?’”

“Mas acabamos deixando essa ideia de lado, pois cuidar de dois nos pareceu loucura. Aí um dia, completamente por acaso, vimos um garotinho alimentando um gato com tortinhas no mercado. Na hora percebi que o bichinho não viveria por muito tempo naquela situação. Tive de adotá-lo. Um tempo depois nossa televisão começou a falhar e meu marido foi verificar o que tinha acontecido com a antena. Quando retornou, trouxe um gato laranja gordo com ele. O deixamos entrar para que pudesse ’comer’ um pouco”.

“Os gatos seguintes foram resgatados de uma vala por vizinhos e pelo meu marido na rua. Ah, e alguns deles graças a grupos no Facebook também. Toda vez dizíamos: ’Este será o último’. A última adoção foi a de № 15 — tinha achado uma gatinha na rua e a trouxe para casa apenas para ’alimentá-la’. No fim, ela acabou ficando com a gente”.

Quantos gatos você tem em casa? Pensa em adotar mais? Compartilhe seu relato conosco na seção de comentários.

Compartilhar este artigo