14 Criaturas que não estamos acostumados a temer, mas deveríamos

Infelizmente, a natureza nos surpreende não só com belos animais, mas também com criaturas perigosas que podem estar à espreita mesmo nos lugares aparentemente seguros. Poucas pessoas sabem, por exemplo, que uma joaninha comum pode ser perigosa, ou que tocar o local onde uma lagarta “peludinha” acabou de rastejar pode causar irritação na pele.

Seguindo a lógica da expressão popular “uma pessoa prevenida vale por duas”, o Incrível.club preparou uma lista com os animais que devem ser evitados.

Lagarta processionária

A lagarta processionária (espécie Thaumetopoea pityocampa), popularmente conhecida como lagarta-do-pinheiro, é perigosa e não deve ser tocada. O contato com o local onde o inseto passou e deixou cair seus “pelinhos” já é suficiente para causar dermatites. Em humanos, pode se manifestar na forma de irritação cutânea severa e outras consequências.

  • Habitat: comum na Europa, Norte da África, Oriente Médio, Índia e Rússia.

Peixe-escorpião preto

O peixe-escorpião preto (espécie Scorpaena porcus) pode ser encontrado com mais frequência na zona costeira. Ele passa a maior parte do tempo no fundo rochoso, à espera de uma presa.

As espécies maiores costumam viver nas profundezas, por isso pescadores e mergulhadores correm maior risco. Os espinhos que trazem nas costas contêm uma substância química que causa muita dor, e o muco que entra na ferida também provoca inflamação, por isso é melhor não tocá-lo.

  • Habitat: parte oriental do Oceano Atlântico, Mar Mediterrâneo e Mar Negro.

Mariposa de cauda marrom

A mariposa de cauda marrom (espécie Euproctis chrysorrhoea) e suas lagartas, que se tornam especialmente ativas no meio do verão, têm pelos venenosos. Qualquer contato com esse inseto pode causar uma erupção na pele muito desagradável que chega a durar semanas. A área em que a pessoa tocar a mariposa ficará vermelha e coçará. Os locais preferidos desses insetos são parques com árvores caducifólias e pomares com frutos maduros.

  • Habitat: na Europa Ocidental e Oriental, Ásia Menor e Central.

Sapo-de-barriga-de-fogo

Os sapos-de-barriga-de-fogo (gênero Bombina) têm manchas vermelhas, laranjas ou amarelas escuras em sua barriga. Quem tocá-lo poderá ser envenenado com bombesina, a substância que cobre a pele desse anfíbio. Em humanos, causa irritação severa nas membranas mucosas, febre e dor de cabeça.

  • Habitat: Europa e áreas da Ásia com clima moderado.

Besouro aquático e suas larvas

A larva dos besouros aquáticos (família Dytiscidae) é grande e pode atingir até 5 cm, o que a torna um predador. Se tocada, pode picar dolorosamente. O besouro aquático, que cresce a partir dessa larva, também tem uma picada dolorosa, que se assemelha a um furo na pele com um objeto pontiagudo. Um inchaço ou protuberância se forma no local picado, que desaparece após duas ou três semanas.

  • Habitat: comum na Europa, Ásia, no norte da África.

Lesma vermelha

A lesma vermelha (espécie Arion Rufus) pode crescer até 18 cm e é extremamente voraz. Elas não só podem comer quase tudo que aparece pelo caminho, como também são portadoras de nematoides, parasitas prejudiciais aos humanos e animais.

Habitat: amplamente distribuídas na Europa Ocidental, incluindo França, Holanda, Alemanha, Polônia, Suíça e partes do sul das Ilhas Britânicas. Recentemente, essas lesmas também apareceram na Rússia.

Besouro Meloe proscarabaeus

Os besouros da espécie Meloe proscarabaeus são perigosos e incapazes de voar. Caso a substância secretada por eles entre em contato com a pele, provocará bolhas e queimaduras, difíceis de cicatrizar.

  • Habitat: quase toda a região paleártica, exceto o Extremo Norte.

Cobra-chicote-do-Cáspio

Essa serpente (espécie Dolichophis caspius) não é venenosa, mas o seu carácter extremamente agressivo mais do que compensa essa desvantagem. É possível reconhecer a sua preparação para um ataque através da sua postura enrolada em círculos: é assim que ela se prepara para pular, tentando sempre acertar o rosto ou o pescoço da presa.

  • Habitat: sul e sudeste da Europa e leste do Cazaquistão.

Pulga-do-mar

A pulga-do-mar ou pulga-da-areia (espécie Talitrus saltator) não pica com tanta frequência, mas se isso acontecer, uma erupção cutânea desagradável e irritação são inevitáveis. Elas são frequentemente encontradas no litoral e nas algas, das quais se alimentam.

  • Habitat: rios de água doce, mares, fundo dos oceanos ou em águas subterrâneas. Podem ser encontradas no Cáucaso, Ucrânia e Europa Ocidental.

Inseto barqueiro

O barqueiro (espécie Notonecta glauca) é um inseto aquático que, embora pareça inofensivo, é melhor não tocá-lo. Sua picada pode perfurar a pele.

  • Habitat: espalhados por toda a Europa e Rússia. Vivem em água parada.

Mosquito-tigre-asiático

O mosquito-tigre-asiático (espécie Aedes albopictus) pode ser facilmente reconhecido por suas listras brancas características, no corpo e nas patas. Esses insetos podem ser perigosos porque são transmissores de doenças como a dengue, Chikungunya e febre Zika.

Castor

Os castores passam o tempo frio em suas tocas, mas às vezes saem para buscar alimento embaixo d’água. Lembrando que esses roedores podem ser agressivos e, em caso de perigo, o castor defenderá seu território. Portanto, ao avistar esse animal é melhor manter distância e se afastar para evitar consequências desagradáveis.

  • Habitat: Espanha, França, Europa Central e Oriental, Escandinávia e Rússia.

Besouro-bombardeiro

Os besouros-bombardeiros (designação comum a diversas espécies de besouros da família dos carabídeos) são assim chamados porque, quando sentem uma ameaça, lançam um jato fervente de seu abdômen.

É perigoso tocá-lo ou pegá-lo, já que, provavelmente, o inseto vai se defender e possivelmente causará uma queimadura química na sua pele. É ainda pior se o produto químico entrar em contato com os olhos.

  • Habitat: podem ser encontrados no sul da Eurásia.

Joaninha

Algumas espécies de joaninhas estão longe de ser inofensivas. Por exemplo, a joaninha da espécie Harmonia axyridis é perigosa porque pode morder com suas mandíbulas fortes, especialmente se estiver com fome.

Embora sua picada não seja venenosa, ela pode deixar um inchaço doloroso e, às vezes, causar uma reação alérgica. A mais comum é a rinoconjuntivite alérgica, que ocorre quando a pessoa toca os olhos com a mão que encostou o inseto.

  • Habitat: As joaninhas da espécie Harmonia axyridis são nativas do leste da Ásia

Você já viu alguma dessas criaturas antes ou sabia dos seus riscos? Comente.

Compartilhar este artigo