Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

10 Animais que saíram do risco de extinção e continuam sendo vistos no planeta

O mundo natural tem um valor inestimável, e toda ação da humanidade causa um impacto na possibilidade de preservá-lo ou destruí-lo. Para nossa alegria, existem espécies que vêm aumentando sua população a ponto de terem deixado de correr risco de extinção. E não negamos que enxergamos em uma notícia tão boa uma segunda oportunidade para deixar um planeta melhor de herança para as gerações futuras. A União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN) desenvolveu uma classificação ou Lista Vermelha para determinar o grau de risco a que os animais estão expostos. A escala vai de “extinto” a “pouco preocupante”.

Incrível.club preparou uma lista com animais que saíram do risco de extinção graças aos esforços de humanos decididos a protegê-los. Além disso, queremos mostrar belos filhotes que terão um papel importante como o futuro de sua respectiva espécie.

1. Lobo-cinzento

O lobo-cinzento é um dos mamíferos que mais se espalharam pelo planeta, mas a destruição de seu habitat, o envenenamento e a caça desenfreada comprometeram a espécie. Entre 1982 e 1994, os lobos estiveram na lista de espécies ameaçadas de extinção da União Internacional para a Conservação da Natureza.

2. Rinoceronte-branco do sul

A situação do rinoceronte-branco já melhorou muito quando o assunto é a preservação da espécie. O animal saiu da lista dos animais ameaçados, graças a programas de conservação e reintrodução. Em um censo realizado em 2007, a população do animal estava em 17.500, chegando à marca dos 20 mil exemplares na natureza.

3. Urso-cinzento

Os esforços de preservação permitiram que a história do urso-cinzento tivesse um final feliz. Hoje, ele está no status pouco preocupante na lista da UICN. Durante a década de 1960, estimava-se que existissem entre 600 e 800 exemplares. Atualmente, o número de ursos aumentou em até cinco vezes comparando com a população de 1975.

4. Peru-selvagem

O peru-selvagem é uma variação do peru doméstico. O cerco constante ao seu habitat natural fez com que o número de indivíduos caísse dramaticamente. Acredita-se que, em 1930, sua população nos Estados Unidos chegava a apenas 30 mil aves. Os programas de captura e reintrodução dos animais deram bons resultados, fazendo com que eles entrassem em status pouco preocupante.

5. Jacaré-norte-americano

Em 1967, o jacaré-norte-americano foi catalogado como espécie em perigo de extinção nos Estados Unidos. O resultado disso foi que, apesar do constante cerco ao seu habitat, o animal conseguiu expandir sua população. Em 1987, o Serviço de Pesca e Fauna Silvestre do país retirou o bicho da lista diante do número restabelecido dos répteis.

6. Castor-americano

Assim como os seres humanos, os castores são capazes de modificar o ambiente à sua volta. Contudo, houve uma grande demanda pela pele do animal no começo do século XIX. Felizmente, os esforços empregados deram resultado, e os castores escaparam da lista de risco da UICN.

7. Raposa-das-ilhas

Esse animalzinho é a segunda menor raposa do mundo, atrás apenas do feneco da África. A história envolvendo seu risco de extinção tem a ver com uma queda drástica na população ocorrida em 1990: o número de indivíduos foi de 450 para 15 exemplares apenas. Hoje, graças ao trabalho de gente comprometida, a espécie está na categoria de quase ameaçada, contando com um número crescente de animais.

8. Leão-marinho-de-steller

leão-marinho-de-steller é um animal que vive ao norte do Oceano Pacífico e tem dimensões ligeiramente menores que as da morsa ou do elefante-marinho. Há alguns anos, seu risco de extinção atingiu níveis alarmantes, decorrente do desaparecimento de 70% a 80% de sua população, ocorrido na década de 1970. Para sorte do planeta, a espécie está enquadrada como quase ameaçada na escala da UICN.

9. Bisão-americano

O bisão ou búfalo-americano foi e continua sendo parte importante da paisagem norte-americana tradicional. No século XVII, eles eram contados aos milhões, mas a caça levou a espécie à beira da extinção por volta de 1880, quando havia menos de 100 indivíduos vivendo em liberdade. De uns tempos para cá, iniciativas com o fim de proteger esses animais foram colocadas em prática e permitiram que o bisão deixasse a lista dos ameaçados de extinção para entrar na de quase ameaçados.

10. Chiru

O chiru, o antílope tibetano, esteve muitos anos no centro das atenções por estar ameaçado de extinção. No início do século XX, estimava-se que existisse um milhão de exemplares, mas em 1990, o número de indivíduos tinha caído drasticamente, chegando a apenas 75 mil. Felizmente, os esforços para proteger a espécie têm dado frutos: a estimativa era que houvesse 150 mil chirus em 2009. Em 2016, o animal deixou o status de risco de extinção, ficando classificado como quase ameaçado.

Você sabia que os animais citados acima correram risco de sumir do planeta? Em sua opinião, hoje em dia quais espécies merecem uma proteção especial para que não desapareçam? Comente!