Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

20 Internautas contaram quais foram as maiores loucuras que fizeram em nome de uma paixão

723-
553

É normal sentirmos vontade de mimar a pessoa amada quando estamos apaixonados e, muitas vezes, acabamos fazendo loucuras em nome desse amor. Quem nunca gastou uma pequena fortuna com um presente ou escreveu aquela carta quilométrica, que atire a primeira pedra. Pois, como citado na famosa música do Legião Urbana: “Ainda que eu falasse a língua dos homens e dos anjos, sem amor eu nada seria.”

Incrível.club ama inspirar você. Para isso, selecionamos 20 comentários de seguidores, de uma página de humor do Facebook e do Instagram, que confessaram quais foram as maiores loucuras de amor que foram capazes de fazer. Não se esqueça de nos contar se fez algo parecido.

  • Fiz um potinho de frases fofas, fiz carta, um desenho, comprei aliança, uma caixa de bombom e mais dois presentes — tudo isso com um mês de namoro. Agora, posso dizer que estamos noivos (não oficialmente). ©Pryscyla Nascimento/Facebook

  • Tínhamos dois meses de namoro no aniversário dele e eu dei 600 reais em roupas, um tênis, mandei fazer um letreiro e fiz uma faixa declarando todo o meu amor e pendurei de fora a fora no muro da quitinete. O relacionamento durou quatro anos. ©Kennia Gurgel/Facebook

  • Acho que a maior “doideira” foi quando eu fiz um plano todo elaborado pra conseguir o número de uma garota que eu gostava (ainda assim, gosto dela). Eu fui junto com um amigo à padaria onde ela trabalha para poder, talvez, pedir o número dela. Chegando lá, ela não estava; então eu e o meu amigo voltamos com um saco cheio de salgadinhos. No dia seguinte, descobri que já tinha o perfil da garota no Facebook. Chamei ela no chat e, dez segundos depois, a conversa acabou porque a gente não se deu muito bem. ©Lucas Kjkkj/Facebook

  • Perdi o contato de uma moça por quem eu era apaixonado e ela perdeu o meu também então; eu, lembrei o nome da rua dela que ficava no município vizinho e sabia que a casa era azul. Convenci minha irmã a ir comigo procurar a casa dela. Depois de procurar muito e, com a ajuda de uma “frota” de pessoas que nem me conheciam mandando mensagens umas para as outras, finalmente conseguimos achar a menina. Conversamos e trocamos números novamente. ©Maike Lima/Facebook

  • Eu gostava de um rapaz que morava perto da minha casa. Fazia uns quatro anos que eu já estava interessada nele. Certo dia, decidi fazer uma carta me declarando e coloquei na caixa de correio da casa dele. Acabei ficando “no vácuo”, mas minha amiga, sabendo do meu sofrimento, decidiu dar uma de FBI e acabou conseguindo o número dele. Eu mandei mensagem e ele me contou que era gay. Eu disse que estava muita feliz pela escolha dele e que esperava que ele fosse feliz! ©Eduarda Lopes Silva/Facebook

  • Uma vez, entreguei chocolates e uma cartinha para um desconhecido debaixo de chuva. Pedi, então, para ele entregar na casa do crush. Ele entregou e quem acabou comendo o chocolate foi o irmão do garoto, isso no auge dos meus 15 aninhos. ©Daniele Morais/Facebook
  • Tinha acabado de me encontrar com a menina. No final, fomos para casa, cada um em seu próprio carro, coincidentemente na mesma direção. Paramos em um engarrafamento absurdo e vários ambulantes se aproximaram do meu carro e um deles vendia flores. Comprei dele um buquê de rosas e pedi pra entregar no carro dela. A cara de surpresa que ela fez foi demais. ©Pedro R. Barsotti/Facebook
  • Peguei o microfone de um homem que estava fazendo propaganda de uma loja e fiz uma declaração e pedi em namoro. No final, ela não aceitou e ainda saiu andando. ©Geraldo Junior/Facebook
  • Eu ficava com uma menina e estava toda apaixonadinha. Então, cai na bobeira de fazer aquela brincadeira que você pede, nas redes sociais, para enviarem SMS para um número com a mensagem: “Todo mundo que mora ’em tal lugar’ sabe que a Agatha ama a fulana”. Só sei que chegou SMS até da Grécia. Ainda comprei um girassol, tomei uma chuva desgraçada e perdi todos os papéis em que escrevi cartinhas nessa chuva. No fim, ela recebeu um girassol “cambeta” e uma paçoca. O rolo não durou nem duas semanas depois disso. ©Agatha Amancio/Facebook

  • Eu já esperei o rapaz em uma rua escura às 22h30 para me declarar quando ele passasse de bicicleta, mas só tomei um terceiro fora... enfim... coisa de adolescente. ©Laís Andrade/Facebook

  • Já mandei pendurar uma faixa em frente à casa de um namorado no dia do aniversário dele. Depois, descobri que teve festa na casa dele e eu nem ao menos fui convidada. ©Suelen Rodrigues Pinto/Facebook

  • Fui dormir na casa de uma menina porque a família dela estava viajando. De manhã, a família dela voltou antes do horário combinado e eu tive de ficar escondido embaixo da cama dela por oito horas. ©Alberto Silva/Facebook

  • No Natal, tirei minha ex no amigo secreto, comprei uma cesta chocolate e duas alianças que custaram os olhos da cara. Pedi em casamento na frente de toda minha família e amigos no Natal. Na hora ela aceitou, né? Claro! Mas depois terminou. ©Viih Nogueiras/Facebook

  • Na minha adolescência, estava apaixonado por uma amiga e era meio que recíproco (pelo menos era o que eu achava). Um dia, eu estava animado para me declarar e blábláblá, saí com uns amigos, comprei um buquê enorme com um cartão e fomos para um churrasco. À noite, fui até a casa dela e, como a rua estava cheia, chamei por ela. Entreguei o buquê e me declarei. Ela jogou o buquê para o lado e rasgou o cartão na frente de todo mundo. Recolhi os pedaços do cartão e depois levaram o buquê para minha casa. E quase apanhei da minha mãe por ter gastado tanto dinheiro com a garota. ©Thompson Rodrigo/Facebook

  • A coisa mais louca que eu fiz na vida foi viajar cerca de 12 horas pra ficar com um garoto que, depois, me deixou. Penso naquela grana toda que eu gastei na viagem e fico triste por não ter gastado tudo em lanche fast-food. ©Gabriela Leimann Engroff/Facebook

  • Decorei meu carro com bexigas e cartões em formato de corações com “parabéns”, tudo isso para a minha ex. No final, ela nem gostou muito e ficou com maior cara de vergonha. ©Iza Vilela/Facebook

  • Eu tinha sonhado com o meu primeiro marido anos antes mesmo de conhecê-lo. Um dia, fui passar férias com meus pais e vi o rapaz do sonho. Fui à casa dele como se nós já nos conhecêssemos e fiquei o dia todo atrás do garoto. Quando chegou a noite, ele acabou ficando comigo porque eu não iria embora enquanto ele não me desse atenção. Ele acabou gostando de mim e, com seis meses, já estávamos morando juntos. O casamento durou cinco anos. ©Katia Santos/Facebook

  • Nossa! Uma vez, escrevi umas 30 folhas com declarações de amor, comprei chocolates e mais umas coisinhas. Coloquei em uma caixa lindíssima e fui à sala do garoto, na hora da aula, tudo com a ajuda do diretor e de uma professora. No final, um monte de gente me chamou de corajosa, mas, na verdade, paguei foi o maior mico. ©Hellen Vitória/Facebook

  • Marquei com meu namorado de sair. Começou a chover e eu resolvi esperar por ele na chuva. Fiquei no lugar marcado por mais de uma hora esperando, desisti e fui para casa. Chegando lá, tinha uma mensagem dele no meu celular: “Vou não, está chovendo muito”. ©Isabelly Sofiati/Facebook

  • Passei dias escrevendo bilhetes com vários motivos pelo qual eu amava a pessoa. Gastei meu único dinheiro comprando um potinho de vidro para colocar todos os papéis dentro. Depois de uns três dias, a pessoa falou que não sabia lidar com tudo aquilo e me bloqueou. ©Ivanilce de Almeida/Facebook

Gostou das loucuras de amor dos internautas? Já fez ou conhece alguém que tenha feito algo parecido? Conte para nós nos comentários.

723-
553
Compartilhar este artigo