11 Filmes que acabam com os estereótipos sobre as mulheres e mostram a realidade do seu dia a dia

São muitas as ideias preconcebidas e os estereótipos ligados à figura da mulher e esses estereótipos vêm sendo mostrados nos filmes repetidamente ao longo dos anos. É possível, no entanto, perceber uma mudança nessa abordagem em algumas obras produzidas nos últimos anos. Sim, sabemos que ainda há um longo caminho a percorrer, mas pouco a pouco o cinema vem derrubando barreiras.

Nós, do Incrível.club, queremos ajudar a acabar com esses estereótipos. E é por isso que reunimos uma pequena lista de alguns dos filmes que mostram um conceito muito distante dos clichês.

1. Driblando o Destino

filme da diretora britânica de origem indiana Gurinder Chadha foi lançado em 2002, como uma amostra da diversidade cultural que existe na Europa. Mas essa não é a única mensagem transmitida pelo filme, que também apresenta a história das mulheres no mundo do futebol, esporte em que elas sempre estiveram relegadas a segundo plano. É um filme divertido e interessante em que as mulheres tomam as rédeas e demonstram sua grande habilidade em um mundo que não é exclusivo dos homens.

2. Estrelas Além do Tempo

Estrelas Além do Tempo conta a história de Katherine Johnson, Mary Jackson e Dorothy Vaughan, três brilhantes mulheres afroamericanas, matemáticas e engenheiras que conquistaram a admiração e o respeito da equipe da NASA, em que as questões de raça e gênero eram uma enorme barreira. As três foram pioneiras em suas áreas e realizaram cálculos matemáticos essenciais para o sucesso de várias missões espaciais.

3. Terra fria

Esse filme baseado em fatos reais conta a história de Lois Jenson, que, em 1975, volta a morar com os seus dois filhos em sua cidade natal e busca trabalho na mineradora local. A vida dela é retratada pela personagem Josey Aimes, interpretada pela atriz Charlize Theron. Essa mulher foi uma das primeiras mineiras, trabalho historicamente associado à figura masculina. Por isso, as mulheres que ali trabalhavam eram constantemente intimidadas, ameaçadas, assediadas e obrigadas a se calar por medo de perder o emprego. Por fim, a protagonista encontrou coragem para levar o caso à Justiça e foi capaz de entrar com uma ação coletiva, que resultou em uma decisão a seu favor.

4. Mulheres do Século 20

Um longa que, em alguns países (como a Espanha) foi lançado diretamente em DVD, sem a exibição em salas de cinema — o que muitos especialistas lamentaram, dada a incrível qualidade da produção. O filme fala sobre três mulheres de diferentes gerações que tentarão guiar e acompanhar um jovem com grande crise de identidade. Essa não é apenas uma história otimista, mas que também nos mostra a importância do amor, das diferenças comportamentais e dos diferentes pensamentos de gerações em relação a temas como feminismo, liberdade e igualdade de gênero. Uma produção imperdível e indispensável.

5. Joy: O Nome do Sucesso

Joy: O Nome do Sucesso tem um elenco excepcional (Robert De Niro, Jennifer Lawrence, Édgar Ramírez e Bradley Cooper) e conta a verdadeira história da inventora do esfregão, uma mulher que rompeu com os padrões da sua época. Joy Magano é uma humilde trabalhadora que, de repente, precisa carregar todo o peso da casa sobre os seus ombros e sustentar os filhos e o restante da sua família. Uma mulher que se reinventou e deixou o anonimato para se tornar uma inventora próspera e proprietária de um vasto império de produtos de limpeza doméstica. Joy se tornou, ainda, um dos rostos mais conhecidos no ramo do telemarketing.

6. As Sufragistas

Esse é um filme histórico que mostra a conquista do direito ao voto pelas mulheres na Grã-Bretanha. A trama, no entanto, vai além e ecoa as dificuldades e a realidade das mulheres que aderiram ao movimento feminista em busca da igualdade. As protagonistas, cansadas de serem pisoteadas, de receberem menos, de serem menosprezadas, exploradas e molestadas, “levantam-se” em protesto pela conquista do direito ao voto e pela melhoria das condições de vida. O filme nos coloca na posição de verdadeiras testemunhas da repressão, seja por parte das autoridades ou até mesmo dos maridos. Uma história que “grita” pela liberdade e pela igualdade de gênero.

7. Lady Bird: A Hora de Voar

Lady Bird: A Hora de Voar é um filme que trata do amadurecimento de uma mulher que não luta para conseguir um príncipe encantado, mas para conquistar seu espaço na sociedade. A trama mostra uma visão libertadora e atual do que significa crescer e perseguir sonhos, cumprir metas e construir uma vida e um futuro de acordo com o que se deseja e se necessita.

8. Histórias cruzadas

Esse filme, aclamado tanto pela crítica quanto pelos espectadores, mostra os tempos difíceis da segregação racial, especialmente para as mulheres afroamericanas que trabalhavam em casas de pessoas ricas e que eram submetidas a todos os tipos de abuso e assédio. Mas também mostra a dinâmica patriarcal vigente nas famílias ricas. A filha de uma dessas famílias, Skeeter, terminou a faculdade com a ilusão de se tornar uma grande escritora, algo não aceito na época. Porém, aos 23 anos, ela escreve uma pequena coluna sobre conselhos de limpeza em um jornal local e se sente desprezada e desvalorizada por ser mulher. A mãe da jovem a pressiona constantemente para encontrar um marido e ter filhos. Afinal, na comparação com outras garotas que já deram esse passo, ela estaria “ficando para trás” na visão da família. Por fim, a jovem conhece a impressionante história da afroamericana que a criou, assim como a de muitas outras mulheres na mesma situação, e decide escrever sua história para mostrar a realidade ao mundo.

9. Erin Brockovich, uma Mulher de Talento

Julia Roberts foi a encarregada de dar vida à personagem Erin Brockovich na telona. Erin é uma mãe solteira de três filhos que conseguiu um pequeno cargo em um escritório de advocacia. Essa mulher vai lutar para ser reconhecida na sua área, apesar de ser menosprezada pelos colegas. E conseguirá resolver sozinha um caso suspeito e complicado ao mesmo tempo em que é capaz de cuidar da sua família.

10. Lionheart

Um filme nigeriano de 2018 que conta a história de uma mulher que decide assumir as rédeas dos negócios da família depois que seu pai adoece. Ela terá de lidar com a discriminação no trabalho e o sexismo cultural para resgatar a empresa e mostrar o seu enorme valor.

11. Suprema

Um filme baseado na história verídica de uma advogada chamada Ruth Bader Ginsburg, que luta para encontrar seu lugar e se firmar no mundo do Direito, tornando-se juíza da Suprema Corte dos Estados Unidos. Ruth faleceu no dia 18 de setembro de 2020, aos 87 anos. Interpretada por Felicity Jones, ela é uma mulher que busca despertar a consciência feminista e a igualdade de gênero e que acabou apresentando um importante caso de discriminação de gênero, com o qual conseguiu reivindicar o papel da mulher e lançar as bases para a igualdade nos Tribunais.

O cinema pode ser, sim, uma forma de chamar a atenção e despertar o debate sobre temas que precisam evoluir em nossa sociedade, como a questão de igualdade de gênero.

O que você achou das mensagens transmitidas por esses longas? Qual deles chamou mais a sua atenção?

Compartilhar este artigo