Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

O que é a Síndrome de Felícia e por que temos vontade de apertar o que é fofo

2-41
275

Você se lembra da Felícia, a garotinha ruiva que adorava apertar os bichinhos fofinhos na franquia de desenhos Tiny Toon? Ela os abraçava bem forte, deixando-os espremidinhos! Quanto mais os animais tentavam escapar, mais a menina fazia questão de demonstrar todo seu amor. Tal comportamento, porém, não existe apenas nas animações infantis.

Alguns estudos já explicaram de onde vem a vontade de “esmagar” e morder tudo aquilo que é considerado fofo. E nós, do Incrível.club, vamos falar sobre a Síndrome de Felícia, condição que ganhou esse nome graças à personagem da TV. Será que você já passou por isso?

Você já viu um cãozinho filhote e ficou com vontade de espremê-lo diante de tanta fofura? Ou quase não resistiu às bochechas de um bebê fazendo graça e sentiu o desejo de apertá-las? Então, provavelmente, você teve um episódio da chamada cute aggression (ou “agressividade fofa”, em tradução livre).

termo é usado para explicar o que acontece quando uma pessoa demonstra comportamentos normalmente considerados agressivos, como segurar forte, amassar e morder, mas sem ter a intenção de machucar. Mais ou menos igual à Agnes, do filme Meu Malvado Favorito, que não consegue conter sua “raiva” no momento em que ganha um unicórnio de pelúcia felpudo e adorável.

“É tão fofinho!!!”

Uma pesquisa realizada pela Universidade de Yale reuniu três grupos de pessoas: o primeiro grupo assistiu a uma série de imagens de animais fofos, o segundo foi apresentado a fotos de bichos engraçados e o terceiro, por fim, observou gravuras neutras. Todos receberam um pedaço de plástico-bolha para espremer durante a análise.

Após o fim do experimento, constatou-se que os participantes que viram a sequência de figuras fofas estouraram mais bolhas. “Algumas coisas são tão adoráveis que simplesmente não aguentamos”, concluiu Rebecca Dyer, uma das investigadoras do processo.

Outro estudo trouxe novas informações sobre o tema. Desenvolvido na Universidade da Califórnia pela psicóloga e neurocientista Katherine Stavropoulos, a sua pesquisa revelou que esse fenômeno parece estar diretamente ligado ao sistema de recompensa do cérebro, que é acionado quando experimentamos uma sensação prazerosa e positiva.

Nos momentos em que isso é potencializado e sentimos uma grande satisfação, como acontece ao vermos algo muito fofo, aparentemente nosso cérebro tenta equilibrar a explosão de emoções, trazendo uma reação oposta. É aí que surge a “agressividade fofa”. Em outras palavras, “é tão fofinho que dá vontade de esmagar”! Situação semelhante ocorre também, por exemplo, quando uma pessoa está transbordando de felicidade e vai às lágrimas, característica geralmente associada à tristeza.

Um usuário do Reddit compartilhou o que sente quando é afetado pela Síndrome de Felícia:

Às vezes, me esqueço que tenho força ao expressar afeto pelas pessoas. Não sei estar perto da minha mãe sem esmagá-la ao tentar lhe dar um abraço, espremer suas bochechas ou morder seus braços gordinhos. Com meu noivo, quando não estou fazendo o mesmo, pulo em cima dele, gosto de mordê-lo, beliscá-lo e juro que não faço por maldade. Minha cachorrinha talvez seja quem mais sofra comigo. Ela está o tempo inteiro no meu colo sendo feita de massa de pão por mim e, quando não, perturbo sua paz puxando suas orelhas longas, apertando as dobrinhas das costas e barriga e “amassando” o focinho dela contra o meu rosto.

Bastante diferente, não é mesmo? Você já tinha ouvido falar dessa síndrome? Mande para a gente, nos comentários, uma foto de algo muito fofo que faz parte da sua vida e você tem vontade de apertar! 🧸

2-41
275
Compartilhar este artigo