Incrível
Incrível

9 Profissões que já foram necessárias no dia a dia, mas agora estão só nas lembranças

Já pensou viver, hoje em dia, sem os serviços de delivery ou dos programadores de aplicativos? Há algumas profissões que, sem nos darmos conta, fazem toda a diferença no nosso bem-estar. E antigamente também era assim. No entanto, muitas dessas funções não fariam mais sentido no nosso cotidiano. Pensando nisso, fomos pesquisar profissões muito necessárias em outras épocas, mas que deixaram de existir com a chegada da tecnologia. Veja a lista que preparamos.

1. Acendedor de postes

Quantas vezes você já parou para pensar sobre quem acende as luzes urbanas quando anoitece? Pois é, nós também não tínhamos refletido sobre isso antes! Atualmente, a iluminação tem sensores que captam a alteração da luminosidade natural e acionam as lâmpadas. Mas nem sempre foi assim.

Antes da chegada dos postes elétricos (que começaram a surgir lá pelo final do século XIX), havia os acendedores de postes. Esses profissionais circulavam por toda a cidade para garantir que as ruas ficassem iluminadas. Eles também eram responsáveis por reabastecer o gás dos lampiões, se este acabasse no decorrer da noite. Ao amanhecer, refaziam a rota para apagar todas as luzes.

2. Arrumador de pinos de boliche

Quem gosta de boliche conhece bem a emoção de ver todos os pinos derrubados em uma só jogada. Se repararmos no fundo da pista, a cada strike vemos um processo mecânico que retira e reorganiza os pinos para deixar o cenário arrumadinho para o próximo competidor.

Se voltássemos cerca de dois séculos na história, encontraríamos um jeito diferente de ajeitar as jogadas. Por volta do século XIX, existiam os arrumadores de pinos de boliche. O trabalho deles era remover e substituir as peças nas pistas entre cada rodada. Para exercer a função, ficavam no final das pistas e faziam todo o trabalho manualmente.

3. Vendedor de enciclopédia

Nada de Google, assistentes virtuais ou bases de dados digitais. Até bem pouco tempo atrás, nossa forma de conhecer um pouco mais sobre a vida, o universo e tudo mais eram as enciclopédias. Você provavelmente tem uma tia ou avô que ainda mantém a coleção!

Mas, se não havia os e-commerces, como coleções inteiras chegavam às nossas casas? Naquela época, havia os vendedores de enciclopédia passando de porta em porta. Geralmente, reuniam a vizinhança ou os parentes e davam pequenas palestras sobre a importância do material. Era venda garantida — ou não!

4. Operador de mimeógrafo

Essa não vai tão longe no tempo! Muitos de nós ainda nos lembramos das provas e trabalhos escolares impressos em um inconfundível tom de roxo de papel carbono. O cheiro característico e as folhas ainda úmidas eram presença certa em dia de prova.

O que alguns não imaginam é que havia a função de operador de mimeógrafo nas escolas e nas empresas. Eram as pessoas responsáveis por fazer a reprodução dos materiais escritos ou datilografados nos estênceis, folha por folha, e distribuir para os profissionais que haviam solicitado as cópias.

5. Caçador de ratos

Antes dos sistemas de saneamento como temos hoje, dá para imaginar como eram as condições dos esgotos e a limpeza das cidades, não é mesmo? Por isso, a população de ratos era muito grande (muito mais que atualmente!) nas áreas urbanas.

Esse incômodo se tornou a fonte de renda de muitas pessoas, sobretudo no século XIV, depois da Peste Negra, principalmente na Europa. Eram os caçadores de ratos, que ganhavam a vida capturando os roedores para tentar reduzir as infestações nas cidades. Há histórias (que nunca foram confirmadas) de que esses profissionais costumavam criar ratos em casa para não correrem o risco de ficar sem emprego!

6. Despertador humano

Pessoas com dificuldade para acordar sempre existiram, desde o início dos tempos. Então, como fazer para não perder a hora quando não se tem um relógio confiável na mesa de cabeceira? Foi aí que inventaram a profissão do despertador humano.

Esses trabalhadores foram muito importantes com a chegada das indústrias, que estabeleciam turnos de trabalho a serem respeitados. Para acordar os funcionários, o despertador usava um bastão e batia nas janelas ou portas — alguns não saíam dali até terem certeza de que a pessoa estava acordada, mas a maioria só batia uma vez e seguia para a próxima casa. Nada de função soneca!

7. Radar humano

Antes da invenção dos radares modernos, ultrassensíveis e superpotentes, capazes de detectar de aviões a meteoros, foi preciso encontrar formas de antecipar a chegada de objetos. Inventaram, então, enormes “geringonças” para capturar sons à distância. E quem operava essas ferramentas eram os chamados radares humanos.

A maneira como faziam o trabalho era ouvindo o som detectado por um microfone na frente de um prato de espelho acústico. A tarefa de captar sons tornava-se instintiva e natural para a maioria deles, geralmente proporcionando um intervalo de 15 min entre a captação do som e a chegada de um avião, por exemplo.

8. Pianista de cinema mudo

Quando começaram as produções do cinema, os filmes não tinham áudio. Era o chamado cinema mudo. No entanto, imagine como seria maçante ficar apenas de olho na tela com um silêncio ensurdecedor ao redor. Por essa razão, e para dar mais ritmo às cenas, as salas de projeção contavam com um músico ao vivo.

Assim, a ação dos atores era acompanhada por um pianista solo. Geralmente, ele improvisava, misturando trechos de canções populares e passagens dos “clássicos”. Algumas produtoras de cinema tinham o cuidado de distribuir os filmes com sugestões de canções para o pianista tocar durante a exibição.

9. Leitor de fábrica

O conceito de trabalhar com inspiração e motivação surgiu há mais tempo do que poderíamos supor! Muitos donos de empresas, ainda lá pelos anos 1900, buscavam formas de não deixar os funcionários entediados durante as longas horas de trabalho repetitivo.

A solução encontrada foi criar a função de leitor nas fábricas. Esses profissionais eram dispostos em posição estratégica para que fossem vistos e ouvidos por todos os funcionários. Ao longo do dia, liam notícias, contos e histórias em voz alta, para manter os colaboradores entretidos.

Cada época tem suas necessidades, não é mesmo? Qual dessas profissões você nunca imaginou que já tivesse existido? Conte para nós na seção de comentários e aproveite para nos ajudar a lembrar uma função moderna que ninguém pensaria anos atrás.

Incrível/Curiosidades/9 Profissões que já foram necessárias no dia a dia, mas agora estão só nas lembranças
Compartilhar este artigo
Você pode gostar destes artigos