Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração
Incrível

30+ Fatos sobre Mata Hari — uma mulher que foi taxada de espiã e cortesã e que roubou o coração de centenas de homens

Há 144 anos, no dia 7 de agosto de 1876, nasceu uma das mulheres mais misteriosas do século XX — Mata Hari. Ela foi chamada de muitas coisas durante sua vida: dançarina, cortesã, espiã e até traidora, mas ninguém sabe definir o que era, afinal. A vida dessa beldade não se resume apenas à sua beleza, mas também a centenas de mistérios que rondam sua existência e que instigam os pesquisadores até os dias de hoje.

Incrível.club decidiu explorar a biografia real dessa mulher incrível e misteriosa. Confira!

  • Margaretha Gertruida Zelle, que mais tarde se tornaria conhecida pelo pseudônimo de Mata Hari, nasceu na cidade holandesa de Leeuwarden. Ela era a única filha de Adam Zelle e Antje van der Meulen, que tiveram outros três meninos. A família sempre teve uma condição financeira boa: o pai era dono de uma chapelaria e fazia investimentos de sucesso na indústria do petróleo.
  • Durante a infância, Margaret frequentou uma escola de classe alta e nunca faltou nada em casa. No entanto, no início de sua adolescência, o pai faliu e se divorciou da esposa. Quando a menina tinha apenas 15 anos, sua mãe, Antje, morreu, e a família ficou destruída.
  • O pai de Margaret a mandou para morar com o padrinho em uma cidade próxima, onde ela começou a treinar para ser professora do jardim de infância. Entretanto, um incidente desagradável aconteceu: o diretor da escola começou a flertar abertamente com a garota. Seu padrinho, ofendido, a tirou da escola imediatamente. Alguns meses depois, Mata fugiu para a casa de um tio, em Haia.
  • O capitão Rudolf MacLeod escreveu um anúncio em um jornal dizendo que estava procurando por uma esposa, e a garota queria muito se tornar independente o mais rápido possível e não depender mais dos cuidados dos parentes. Como resultado, mesmo não se conhecendo bem e com uma diferença de 20 anos, Rudolf e Margaret se casaram. Obviamente, não havia nenhum amor — o casamento era simplesmente vantajoso para ambos.
  • Pouco tempo depois, o casal logo se mudou para a ilha de Java (na época nas Índias Orientais Holandesas, que correspondem atualmente ao território da Indonésia) e lá tiveram um filho e uma filha. A verdade é que o casamento foi extremamente malsucedido. Rudolph bebia muito e descontava sua insatisfação com a vida na jovem esposa. Além disso, ele abertamente mantinha uma concubina — naquela época, isso não era proibido nas Índias Orientais.
  • Irritada com o casamento fracassado, Margaret decidiu deixar o marido e começou um caso com outro oficial holandês. Paralelamente, passou a estudar as tradições indonésias e principalmente as danças tradicionais da região. Logo ela se juntou a um grupo de dança local e assumiu o nome artístico de Mata Hari, que significa “Olho do dia” em malaio.
  • A propósito, apesar da crença generalizada de que ela tinha raízes indonésias, os pesquisadores chegaram à conclusão que suas origens asiáticas ou do oriente médio são um mito inventado pela própria mulher.
  • Apesar do relacionamento ruim com o marido, ele ainda a persuadiu a voltar para a família, mas não mudou seu comportamento agressivo. Assim, os estudos da cultura local tornaram-se uma distração para a jovem Margaret.
  • Em 1899, uma tragédia aconteceu na família — o filho mais novo faleceu. Os pais acreditaram que ele foi envenenado por uma criada, já que Rudolph tinha agredido severamente o marido de uma empregada doméstica um tempo antes, e ela, por vingança, teria supostamente envenenado as crianças. Se isso fosse verdade, nesse caso ambas as crianças deveriam ter morrido, mas nada aconteceu com a filha.
  • Quatro anos depois, o casal voltou para a Holanda e se divorciou. Ao mesmo tempo, Rudolph tirou o direito da sua esposa de criar a filha, que viria a morrer com apenas 21 anos.
  • Sem nenhum recurso, Mata decidiu se mudar para Paris. E lá conseguiu um emprego em um circo no qual se apresentava como uma amazona sob o nome de Lady MacLeod, mas depois decidiu focar suas apresentações nas danças orientais que tinha aprendido.
  • Em pouco tempo, ficou famosa como uma artista oriental, atuando com o pseudônimo de Mata Hari. Ela é considerada por muitos como a mãe do strip-tease, o que para aquela época era considerado muito ousado. Sua principal marca era tirar as roupas gradativamente no palco até que ficasse coberta de pétalas de rosas — quase nua.
  • Um fato curioso é que, apesar das danças sensuais, Mata Hari nunca foi vista completamente nua. Ela tinha muita vergonha do tamanho do seu busto, então, no final do ato, usava um colar grande ou um sutiã feito com pedras preciosas.
  • Existe também uma versão que afirma que ela se apresentava diante do grande público com uma segunda pele da mesma tonalidade que a dela, o que, à distância, criava uma ilusão de que estava com o corpo nu.
  • Para criar um mistério e enigmas em relação à sua imagem, Mata Hari inventou muitas lendas sobre sua origem. Por exemplo, disse que foi criada em um mosteiro oriental, onde teria aprendido as danças sagradas. Também afirmava que era uma princesa exótica, filha do rei Eduardo VII do Reino Unido com uma princesa indiana.
  • Mata Hari dizia que se despia enquanto dançava porque era isso que o deus Shiva queria. Ela acertou em cheio nessa estratégia, porque naquela época muitas pessoas da alta sociedade eram fascinadas tanto pelo Oriente quanto pela dança — em grande parte graças ao trabalho da bailarina Isadora Duncan. E a artista conseguiu combinar as duas coisas em suas performances, acrescentando uma dose certa de sensualidade.
  • A dançarina rapidamente se tornou famosa não só em Paris, mas também em outras capitais europeias. Os jornais a descreviam da seguinte forma: “Mata Hari era magra e alta, tinha a flexibilidade de um animal selvagem e cabelos pretos azulados” e seu rosto “deixava uma estranha sensação estrangeira”.
  • Nessa época, o nome de Mata Hari aparecia nas caixas de biscoitos holandeses e outros doces, bem como em cartões postais, para os quais posava com roupas sensuais. Aproveitando a popularidade da filha, seu pai falido escreveu um livro chamado A História da Vida de Minha Filha e Minhas Objeções com Minha Ex-esposa. O livro rendeu ao autor um excelente retorno financeiro e ainda mais fama para a filha.
  • No entanto, apesar do sucesso colossal, em algum momento a artista teve que deixar sua carreira de lado e se tornar uma cortesã. O fato é que ela começou a usar mais roupas em suas apresentações devido à idade, já que havia se tornado dançarina mais tarde. No auge da fama, já tinha 30 anos.
  • Mata Hari cativou os homens não apenas com sua beleza, mas também com sua sensualidade. Ela tinha ligações com militares de alto escalão, políticos e outras pessoas influentes de diferentes países. Entre seus muitos amantes estavam o compositor Giacomo Puccini e o Barão Henri de Rothschild.
  • A dançarina residia em Paris e Haia, e era mimada com presentes caros, mas ao mesmo tempo vivia em constantes dificuldades financeiras. Provavelmente, porque todo seu dinheiro era gasto em jogos de cartas — sua verdadeira paixão.
  • Tudo mudou com a eclosão da Primeira Guerra Mundial. Se antes Mata Hari era considerada simplesmente uma artista representante da boemia com costumes liberais, com a aproximação da guerra muitos começaram a percebê-la como uma sedutora perigosa.
  • O fato é que, tendo muitos amantes e permanecendo em uma cidadã holandesa neutra, Mata Hari costumava viajar muito pela Europa, o que atraiu a atenção dos serviços especiais da França e da Alemanha.
  • Em 1916, ela conheceu o jovem capitão russo Vadim Maslov e se apaixonou por ele. Mas logo o soldado foi enviado para a linha de frente na guerra, onde perdeu um olho. De acordo com alguns relatos, foi então que Mata concordou em espionar a Alemanha a mando da França, a fim de ver novamente o homem a quem chamava de amor da sua vida. A equipe francesa de contraespionagem disse que só lhe daria permissão de encontrar o seu amado se obtivesse as informações necessárias. Ela então recebeu o codinome de Agente H-21.
  • Mata Hari planejava seduzir o príncipe herdeiro da Alemanha Guilherme II e tentar descobrir as informações necessárias através dele. No final de 1916, viajou para Madri, onde se encontrou com um adido militar alemão e pediu para se encontrar com o príncipe herdeiro. Porém, os franceses receberam uma informação de que ela era uma agente dupla. Eles supostamente interceptaram uma mensagem da inteligência alemã dizendo que a famosa dançarina trabalhava para Alemanha havia muito tempo.
  • Até hoje não se sabe se a artista era realmente uma agente dupla ou se a inteligência alemã percebeu que era uma espiã francesa e decidiu incriminá-la de propósito. De qualquer forma, Mata foi presa em 1917 enquanto estava hospedada em um hotel. Foi levada a julgamento sob a acusação de espionagem para a Alemanha, e culpada pela morte de vários soldados de diversas divisões.
  • Mata jurou aos investigadores que sempre permaneceu fiel à França. Então, disse a seguinte frase: “Cortesã sim, mas traidora nunca!” — e acrescentou que sempre viveu pelo amor e prazer.
  • No dia seguinte, Margaretha Zelle foi considerada culpada e passou seus últimos dias na prisão. Seu advogado sugeriu que ela enganasse as autoridades e dissesse que estava grávida, mas Mata Hari se recusou terminantemente a mentir.
  • Após a execução da dançarina, o corpo de Mata Hari não foi reclamado por nenhum de seus parentes, então ela foi transferida para o Museu de Anatomia de Paris. No entanto, em 2000, arquivistas descobriram que os restos mortais dela haviam desaparecido. Aparentemente, eles podem ter sumido em 1954 após a mudança do museu, mas ainda assim esse mistério levantou muitos rumores.
  • Curiosamente, todos os documentos do caso Mata Hari, num total de 1.275 páginas, foram tornados públicos pelas autoridades francesas em 2017, ou seja, 100 anos após sua execução.
  • O destino dessa mulher incrível inspirou muitos diretores: vários filmes e séries de TV foram produzidos sobre sua vida, e o seu nome se tornou a personificação de uma mulher fatal.

Você já conhecia a história de Mata Hari? Acredita que ela tenha sido acusada e morta injustamente? Conte para a gente na seção de comentários.

Imagem de capa East News, East News
Compartilhar este artigo