Incrível
Incrível

20 Pessoas contaram situações tão surreais que nos fizeram considerar a existência de outras dimensões

Você já passou por uma situação em que precisou parar para pensar: “Espere, mas como foi possível?” É quando a lógica foge totalmente do nosso alcance e não conseguimos encontrar uma explicação plausível (a menos que exista uma 5ª dimensão), como quando passamos por uma pessoa na rua e em seguida a encontramos novamente, ou quando temos aquele sonho superesquisito e sua amiga teve o mesmíssimo sonho. O que será que realmente acontece nessas situações misteriosas?

Incrível.club recebeu inúmeros relatos de fatos extraordinários contados por seus leitores. Como somos fascinados por “mistérios”, queremos compartilhar com você os mais impressionantes. Confira!

  • Minha mãe me contava que, quando eu era muito criança, passava por alguns lugares, apontava e contava do dia em que tinha ido lá e descrevia em detalhes o que tinha no local. E ela sempre dava corda. Mas, segundo ela, eu nunca tinha ido nesses lugares e por algum motivo aleatório na vida ela acabava indo ao local e via que eu tinha acertado sobre o que tinha lá. ©Mayra Kreva / Facebook
  • Estava dirigindo em uma estrada tranquila, com poucas curvas, mas que não tinha acostamento e em um dos lados havia um barranco. Eu estava a mais ou menos 100km/h, quando fui ultrapassado por um carro que depois ficou freando na minha frente, e eu tive de reduzir. Na mesma hora ouvi no rádio “você vai chegar muito cedo”, só que eu não tinha rádio, e quando olhei para frente não havia carro nenhum. Nesta hora meu pneu estourou e parei a centímetros do barranco... se estivesse mais rápido não estaria aqui para contar. ©Jeferson Rosa / Facebook
  • Eu tinha no máximo 5 anos e brincava na sala da casa onde morávamos eu, meus pais e minha avó. Da janela era possível ver quem chegava, e sempre que chegavam “visitas” eu via e saía correndo avisar minha avó. Um dia, surgiu na janela um moço bonito, loiro, de olhos azuis, que sorriu pra mim e disse: vai chamar sua avó. Eu fui, e disse que estava chegando um moço, mas ninguém nunca bateu na porta. Eu descrevi o moço e minha avó ficou surpresa. Anos depois, soube por quê: era meu avô que tinha morado naquela casa e falecido em 1968. PS: sempre que conto essa história parece que revejo a cena, perfeitamente. PS (2): eu o vi outras vezes. ©Fábia Rossoni / Facebook
  • Na minha infância, com uns 9 anos, lembro-me de chegar da escola por volta das 17h30 e assistir a um programa similar ao Linha Direta. Assisti várias vezes, mas não me recordo o nome. Até hoje meus pais falam que esse programa nunca existiu, que é uma invenção da minha cabeça... ©Débora Atzori / Facebook
  • Uma vez, no trabalho, saí da minha sala e vi a minha colega mexendo em alguns papéis na sala dela. Eu disse-lhe “bom dia”, ela mexeu nos cabelos, disse-me “bom dia” e continuou a mexer nos papéis enquanto eu segui para ir beber café. Demorei um pouco e lembrei que precisava falar com ela sobre um assunto. Fui procurá-la e outra colega nossa disse que ela ainda não tinha chegado à empresa. Como não chegou se ainda há pouco a vi e falei com ela? Telefonei para ela, que disse que estava quase chegando. Ainda hoje brincamos com isto. Talvez fosse falta de café. Foi uma das coisas mais estranhas que vivi, pois eu a vi ali, eu falei com ela e ela me respondeu.... ©Joana Cristo / Facebook
  • Uma vez sonhei com uma amiga minha... e eu percebia que uma amiga dela estava precisando de ajuda, pois no sonho essa pessoa estava muito angustiada. Então (ainda no sonho) pedi a ela que fosse consolar essa amiga. No outro dia eu comecei a contar para minha amiga o sonho que tive, mas fui interrompida por ela, que disse: “Eu sei, você me pedia para ir conversar com a Marlene pois ela estava angustiada”. E ela me disse isso como se fosse a coisa mais trivial as pessoas compartilharem do mesmo sonho! Obs.: algum tempo depois, descobri que a Marlene estava angustiada porque seu esposo queria pedir o divórcio. ©Renata Guedes / Facebook
  • Eu peguei um ônibus várias vezes para ir a um terminal relativamente perto da casa da minha mãe. Depois de uns anos, estava nesse terminal e não conseguia achar esse ônibus, então peguei o que me deixaria mais perto. Minha mãe e irmã juram que essa linha de ônibus nunca existiu, por isso não achei, mas lembro de tê-la usado muitas vezes. ©Julia Cortez / Facebook
  • Na minha infância, com uns 10 anos, lembro-me de assistir a um programa de humor na TV local, começava às 8 horas da noite toda sexta-feira, assisti diversas vezes. Lembro-me do nome “BarBaré”, lembro dos personagens... Mas já perguntei a várias pessoas da minha idade e mais velhos, mas ninguém lembra ou falam que esse programa nunca existiu, já pesquisei e nada... ©Marcelo Souza / Facebook
  • Minha mãe era uma senhora muito humilde. Um dia ela me disse calmamente: “Filha, para com essas brincadeiras de vir me visitar com roupas e chapéus antigos... e ainda ficar calada!” Eu disse: “Ficou doida, mãe? Só vim domingo aqui!” “Mas era você!”, ela respondeu, “O que será isso, meu Deus?” Minha mãe era uma mulher lúcida. Fiquei com medo, mas nunca mais falamos no assunto. ©Irani Santos Da Silva Castro / Facebook
  • Uma vez eu estava sentada no sofá da sala, que ficava perto da janela lateral esquerda e dava pra ver um pouco da rua. Quando olhei por essa janela, vi o portão de uma casa se fechando! O que me deixou assustada é que essa casa na verdade fica de frente para a minha, e não teria como eu vê-la por essa janela lateral, entenderam? É como se ela tivesse se “teletransportado”! O mais estranho foi que, depois que eu parei de olhar, a casa sumiu e só estava a que era naquele lugar mesmo. Então eu fui dar uma olhada pela porta da frente e lá estava ela, no lugar de sempre, com o portão fechado mesmo... ©Ana Paula Saraiva / Facebook
  • Eu estava em uma estrada em Portugal dentro do meu carro, quando passou um ônibus por mim, e imediatamente senti que conhecia alguém lá dentro. Então segui o ônibus até a rodoviária e, por incrível que pareça, a minha filha desceu. Ela estava voltando de viagem e eu não sabia de nada. ©Anderson Carlos Dias / Facebook
  • Tive uma história bizarra envolvendo minha filha de 3 anos recentemente. Na hora do almoço, minha cunhada deu entrada no hospital para ganhar neném, passamos a tarde sem notícias... Por volta das 17h30, eu e minha filha passamos em frente ao hospital e minha filha falou: “Mamãe, vi a tia Olívia ali” (detalhe que eu não falei absolutamente NADA com ela sobre o que estava acontecendo). Ela afirmou com toda certeza que havia visto a tia, mas não era possível, porque o bebê nasceu às 6 horas da noite de parto normal, e desde que minha cunhada deu entrada não saiu do quarto. Achei isso bizarro!!! ©Ana Carolina Perciano Ribeiro / Facebook
  • Eu já era adolescente, por volta dos anos 2000, e ouvia na rádio uma versão da música “Amor Perfeito”, de um cantor chamado Tino. Até hoje tenho a voz gravada na memória. Porém, já cansei de procurar e não encontro essa versão. Se alguém souber, preciso ouvir essa música de novo. ©Taynar Victoria / Facebook
  • Quando tinha 10 anos, estava em uma festa com minha mãe e um cara muito parecido comigo passou próximo à nossa mesa e nos cumprimentou. Mais de 25 anos depois, sonhei que estava numa festa e passei próximo a uma mesa, em que havia uma mulher e uma criança, e as cumprimentei. Era eu e minha mãe. ©Ronan Inacio / Facebook
  • Uma vez eu estava saindo do closet dos meus pais e indo para o corredor. No meio do caminho, vi meu cachorro correndo na minha direção e, para não pisar nele, pulei. Detalhe: meu cachorro já tinha morrido há uns sete ou oito anos. ©Camila de Mello / Facebook
  • Quando era pequena, por volta de 4 anos, meu avô estava muito doente. Lembro-me de ver várias pessoas vestidas de branco andando pela casa e uma mulher conversando com uma das minhas tias. Essa mulher disse que iriam levá-lo, minha tia concordou, e depois todos foram embora. Meu avô faleceu nesse mesmo dia, mas nenhum dos meus outros tios lembra dessas pessoas, somente minha tia e eu. ©Patricia Moraes / Facebook
  • Antes de conhecer meu marido, fiz uma viagem para outro Estado. Vi o rosto dele mais de uma vez durante o passeio, que durou 20 dias. Via no ônibus, na praça da cidade, nas fotos que me mostravam da família... Quando cheguei de viagem, voltei a estudar e o conheci na escola. Ele era aluno novo, mas eu já estava familiarizada com a feição dele há tempos... Ainda “bugo” por causa disso. ©Patricia Oliveira Paz / Facebook
  • Eu tive um dia no qual não existi. Foi num final de semana e eu fiquei “dentro do quarto”, porém não consigo lembrar exatamente o que eu fiz, só me lembro de estar sentada na cama. Passou pouco tempo e de repente resolvi descer as escadas. Minha mãe veio me perguntar onde eu estava, pois revirou meu quarto atrás de mim e não me achava. Perguntei que dia era, e um dia havia sido “pulado”. Até hoje ela acha que eu saí escondida ou algo assim... Sei que não estava dormindo porque eu teria dormido quase 40h seguidas e eu não me sentia cansada na época, e não havia ninguém na minha cama. ©Bárbara Collares / Facebook
  • Eu estava em um hospital visitando o meu chefe, quando de repente escuto a voz dele, mas na sala onde estávamos ninguém escutou, somente eu. Ele estava internado e não falava. ©Paula Pauli / Facebook
  • Sempre dormia na casa de um homem que eu namorava, mas nessa noite brigamos e voltei pra casa da minha mãe. Assim que cheguei, peguei no sono até então pesado. De repente, ouvi a voz de um homem dizendo: “Rápido, levante-se e grite”, e eu continuei dormindo sem entender. Nesse instante, a voz insistiu e parecia aflita, e senti que alguém tentava me levantar da cama. Repetiu: “Levante-se e grite”, pude sentir perfeitamente as mãos de uma pessoa em minhas costas. Gritei bem alto: “Quem está aí? Por que estão mexendo no telhado?”, e me vi já sentada na cama. E, para minha surpresa, após dizer tudo isso mesmo sem saber, ouvi o barulho de telhas que estavam sendo arrancadas e duas pessoas correndo. Sempre que me lembro disso tenho arrepios. Arrancaram as telhas de um quarto e acredito que já estavam entrando, mas se assustaram com meu grito. Deus me protegeu. ©Josiane Oliveira / Facebook

Você já passou por uma situação muito sinistra e não faz ideia o que aconteceu de verdade? Conte para a gente! Sua história poderá fazer parte do nosso próximo post!

Incrível/Gente/20 Pessoas contaram situações tão surreais que nos fizeram considerar a existência de outras dimensões
Compartilhar este artigo
Você pode gostar destes artigos