Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

20+ Histórias repletas de bondade humana para alegrar seu dia

8-4-
26k

As coisas boas acontecem quando menos se espera, como se fossem um sinal do Universo lembrando que o mundo é um lugar muito lindo e que, um dia, a sorte vai lhe sorrir, fazendo com que esteja na hora certa e no lugar certo. Nunca se sabe quando esse momento chegará: quando um desconhecido vai lhe devolver sua carteira caída do bolso, um motorista vai lhe dar uma carona ou mesmo o dia em que você é que será o “anjo da guarda” de alguém.

Incrível.club acredita que, para levantar o ânimo e recuperar as forças, não há um remédio melhor do que histórias provando que a bondade faz parte da nossa natureza. Confira!

  • Fui de carro até o guichê de um drive-thru, estendi o cartão de crédito para pagar, mas ouvi o atendente dizendo:
    — O cliente anterior já pagou. Ele disse que queria fazer uma coisa boa para um desconhecido.
    — Então eu pago pelo próximo cliente.
    Saí e me senti muito feliz: além de ganhar um café, fiz algo bom para outra pessoa. © umorist / Pikabu

  • Há uma lagoa perto da minha casa, onde recentemente encontramos um patinho sozinho, que se parecia mais com uma bolinha peluda. À noite, ele tentava dormir sobre um galho flutuando na água, mas caía toda vez que adormecia. Mas a beira não era segura. Meu marido e eu decidimos construir um lugar mais confortável e seguro para o patinho dormir. © tatianos / Pikabu

  • Minha filha caçula nasceu prematuramente e com alguns problemas de saúde. Tive de pedir demissão para cuidar dela, mas, infelizmente, o auxílio-doença não cobria todos os gastos. Nossa vida não era fácil. Mas um dia, na véspera de Natal, uma turma da escola local decidiu nos ajudar e fez muitas compras úteis com as quais sequer sonhávamos: utensílios domésticos, brinquedos, roupas infantis e um monte de fraldas! Eu também ganhei um pacote de roupas de inverno (um chapéu, um cachecol e luvas) e um lindo relógio de pérolas. Sua generosidade e atenção fizeram com que a nossa pequena família voltasse à vida normal. Já se passaram 12 anos, mas continuo chorando cada vez que penso nisso. O ato de imensa bondade de desconhecidos que salvou a minha família é a melhor lembrança. © Emmariana Le Commini / Quora

  • Há cerca de quatro anos, peguei um ônibus para ir ao trabalho. Quando entrei, me dei conta de que estava sem dinheiro. Não era pobre, mas tinha gastado todas as notas no mercado no dia anterior, e me esqueci de sacar mais dinheiro. Então, disse ao cobrador que não tinha nenhum centavo. Uma passageira perto de mim ouviu e pagou a minha passagem. Foi um grande gesto da parte dela. © Natalya Akhmetkhanova / AdMe

Graças à bondade humana, o gato ganhou novas patinhas

  • Certa vez, entrei no meu condomínio com algumas compras, junto com um garoto de uns sete anos, que passou pela portaria ao meu lado. De repente, ele exclamou:
    — Senhor, você deixou cair as batatas!
    Em seguida, me ajudou a colocá-las de volta na sacola. Depois, pegou a minha sacola com uma melancia e a levou até o elevador. Perguntei-lhe:
    — Por que está me ajudando?
    — Porque sou um bom homem.
    — E que tipo de homem é um “bom homem”?
    — É quem faz boas ações. Aprendi isso ainda no primeiro ano da escola.
    — E em que ano estuda agora?
    — No segundo.
    Nossa conversa acabou por aí, saí no meu andar, e o garoto continuou subindo para o seu. Às vezes, parece que as crianças sabem muito mais do que nós, adultos. © trewqyo / Pikabu

  • Tinha 18 anos quando me mudei de uma cidadezinha para Nova York. Estava tentando me adaptar ao estilo de vida local. Fui pegar o metrô pela primeira vez e não tinha a menor ideia de como comprar uma passagem ou cartão. Então, fiquei parada na frente de uma única máquina funcionando com uma fila se formando atrás de mim. As pessoas começaram a brigar comigo e me apressar, o que me deixou ainda mais nervosa. De repente, um homem saiu da fila e pediu que todos se acalmassem. Aproximou-se de mim, mostrou passo a passo como comprar o cartão e pagou minhas próximas 12 passagens. Depois, me deu um tapinha nas costas e disse: “Nem todos os nova-iorquinos são grosseiros”. Desde então, deixei de me sentir sozinha nesta cidade grande. © Wiffle_Snuff / Reddit

  • No norte do Quênia, um elefante ficou preso na lama e, por milagre, foi encontrado por um pastor que chamou os guardas florestais. Juntos, eles conseguiram resgatar o animal e devolvê-lo à natureza.
  • Certa vez, eu estava atravessando uma rua carregando um trenó com o meu filho de três anos dentro. De repente, escorreguei, caí e não consegui me levantar; meu filho ficou no meio da rua. Em seguida, o semáforo abriu, e os carros seguiram em frente. Então as pessoas que estavam na parada de ônibus correram na direção dele e o tiraram da via. Eu também recebi uma ajuda: uma médica que estava passando perto naquele momento disse que eu deveria continuar deitada. Um desconhecido passou 20 minutos ao meu lado, quando a temperatura era de −25 ºC, ligando para a ambulância e apressando os paramédicos. Uma senhora de idade que mora no mesmo prédio que eu tirou as minhas luvas, colocou as delas nas minhas mãos e levou o meu filho para a nossa casa. Agradeço a todos que não me deixaram sozinha naquela situação. © Inna Kichigina / AdMe

  • Quando tinha uns 12 anos, fui com os meus primos para uma livraria. Compramos alguns livros, saímos, começamos a dar uma folheada neles e a discuti-los. Ao mesmo tempo, um senhor estava nos observando. Depois, ele entrou na livraria, saiu com três vale-presentes, aproximou-se, disse: “adoro ver crianças lendo” e deu um vale-presente para cada um de nós. Nunca fiquei tão surpreso e comovido como naquele dia. © GabeTheNerd / Reddit

Um homem salvando um filhote de cisne preso na cerca

  • Trabalho em uma loja de flores. Ontem, deixei um vaso de petúnias fora da loja, cujo preço é igual ao valor que ganho por dia. Lembrei-me dele apenas hoje de manhã quando estava levando as mercadorias para fora do estabelecimento. Claro que fiquei muito chateada, chorei e não sabia se alguém tinha roubado ou fui eu que tinha me esquecido dele. Na hora do almoço, veio um homem:
    — Bom dia. Suponho que estas flores sejam de sua loja. Ontem, minha esposa estava na varanda quando as viu deixadas no meio da rua. Aqui estão.
    E estendeu o meu vaso de petúnias. Fiquei sem palavras: essa família agiu com tanta honestidade e gentileza que me fez voltar a acreditar na humanidade. © Lorrina / Pikabu

  • Há 10 anos, depois que me despedi do meu namorado que foi servir no exército, fiquei chorando no aeroporto. Uma mulher se sentou ao meu lado com uma bolsa grande e disse que lamentava a minha tristeza. De repente, ela tirou um patinho de borracha da bolsa, que, por algum motivo, me fez cair na risada. A mulher me deu o patinho e foi embora. Não sei o nome dela, por isso cada vez que me lembro dessa história, chamo-a de “minha Mary Poppins”. Aliás, ainda tenho o patinho guardado. © emerzsile / Reddit

  • Quando eu era pequena, fui internada no hospital. Fiquei no mesmo quarto que uma menina de um orfanato que era mais nova do que eu. E conheci uma senhora de idade que trabalhava como faxineira e costumava visitar essa menina, tratando-a como sua filha. A mulher disse que não tinha filhos e queria adotá-la, mas não tinha dinheiro o suficiente nem a moradia apropriada. Fiquei extremamente feliz quando, alguns anos depois, encontrei a senhora e a menina juntas. © Podsluschano / Vk

  • Meu avô costumava furtar temperos e salgadinhos em seu restaurante favorito. Ele também pegava garfos, facas e até mesmo um pouco de comida, sem pagar. Depois que ele faleceu, sua namorada foi até o restaurante e confessou a mania dele. O gerente deu risada e disse que o pessoal estava ciente de seu “hábito”, mas não tinha dito nada porque ele era um cliente regular e era muito gentil com todos. © Rob Young / Quora

  • Quando eu tinha cerca de cinco anos, em meados dos anos 1970, estava montando um cavalo mecânico que balançava para frente e para trás enquanto esperava a minha mãe sair do mercado. Uma senhora passou por mim e inseriu uma moeda para ativar o brinquedo. Fiquei muito animado. Foi um momento de pura alegria de que me lembro até hoje. Também me lembro da aparência daquela mulher, pois ela me deixou muito feliz. © bland3000 / Reddit

  • Eu estava atrasada e tinha muita coisa para fazer. Passei correndo por um supermercado e me deparei com uma gatinha olhando tristemente para todos e tremendo. Estava frio e ventava muito, de maneira que até eu me sentia desconfortável, quase levada pelo vento. Pensei em entrar no mercado, comprar uma ração para ela e sair correndo. Entrei, comprei, pensei mais um pouco e... desisti dos meus planos. Em vez disso, levei a gatinha para casa e fiquei com ela o dia inteiro. Ela acabou sendo tão carinhosa, pedindo para deitar no meu colo e se sentido à vontade, que não me arrependi por ter fugido da realidade. As tarefas podem esperar, mas a vida de outro “serzinho” não... © Podsluschano / Vk

Agricultores em silêncio em um leilão, sem negociar, para que um jovem possa comprar a fazenda de sua família de volta

  • Viajei de trem com uma mulher e o filho dela sentados ao meu lado. Ela foi lavar o rosto e levou junto um estojo de maquiagem. Depois, voltou e, após alguns minutos, se levantou assustada: ela tinha esquecido seu estojo no banheiro, com todo o dinheiro. Claro que alguém já tinha se apropriado dele. Ela vasculhou todo o vagão, chorando e pedindo para devolver pelo menos uma parte do dinheiro, para eles não passarem fome durante os próximos dias da viagem...ninguém “confessou”. Dei-lhe 500 reais, passei o meu endereço, e assim que ela chegou em casa, me enviou o dinheiro de volta. É importante ajudar os outros, porque as ações, tanto boas como ruins, sempre voltam, como um bumerangue. © Larisa Savina / Facebook

  • Cheguei a Munique e peguei no sono no metrô. Após a meia-noite, acordei em uma estação desconhecida. Saí e fiquei aterrorizado: eu estava sei lá onde, sem dinheiro no frio e na chuva, e os mercados locais estavam fechados. Eu estava prestes a desmaiar de nervoso. Por sorte, vi um táxi, me aproximei e expliquei a situação ao motorista, que pagou a minha janta e me deu uma carona, sem pedir nada em troca. Esse gesto me fez voltar a acreditar na humanidade e na bondade humana inata. © Vijay Singh / Quora

  • Há alguns anos, perdi o emprego e precisava encontrar um jeito de sustentar a minha esposa e os meus dois filhos. Um desconhecido passou a me enviar 500 reais e produtos de vez em quando. Recebia esses presentes regularmente, sem o nome do remetente ou o endereço de retorno. Por fim, consegui dar a volta por cima, mas até hoje não descobri quem foi o nosso salvador. © DrMussintouchit / Reddit

  • Um dia, o nosso cachorro se perdeu. Coloquei cartazes na rua e fiz postagens nas redes sociais, com uma foto dele e uma descrição curta. Aconteceu o que eu menos esperava: cerca de cem voluntários se ofereceram para nos ajudar. Várias pessoas sentiram empatia por nós e deram um suporte incrível. No oitavo dia, encontramos o nosso cachorro, e eu não sei quem de nós dois chorou mais alto. Depois, recebemos muitas visitas: nossa família fez muitas amizades, e todos queriam fazer carinho no cachorro que derreteu tantos corações. © dinosarahsaurus / Reddit

O perdido e, por fim, encontrado Stuart, procurado por toda a cidade

  • Foi uma época em que a minha família enfrentava uma crise financeira e eu ia ao trabalho vestindo roupas da minha filha, embora não coubessem em mim. Um dia, minha chefe me deu a entender que não permitiria que eu continuasse me vestindo assim. Não consegui me conter e chorei. No dia seguinte, encontrei um recado na minha mesa dizendo: “Vá para a sala de descanso”. Fui até lá e me deparei com sacolas de roupas bonitas do meu tamanho, produtos e até mesmo uma caixinha com bijuterias e um envelope com dinheiro. Fiquei muito agradecida. Foi um presente anônimo, mas suponho que tenha sido um gesto da minha chefe. © Lisa Frangipani / Quora

  • Antigamente, levávamos as nossas próprias garrafas de vidro para comprar leite. Um dia, quando eu tinha seis anos, minha avó me mandou para o mercado. No caminho de volta, deixei a garrafa cair e quebrar. Chorei um mar de lágrimas, porque iria apanhar quando chegasse em casa, até que um homem se aproximou, me perguntou o que tinha acontecido e deu dinheiro para que eu pudesse comprar mais uma garrafa de leite. Lembro-me de que fiquei preocupada porque a minha garrafa era rotulada e uma nova não teria nenhuma etiqueta, mas o desconhecido disse: “Sua vovó não vai perceber”. Nunca vou me esquecer desse lindo gesto. © Stella Mezentseva / AdMe

E você, já presenciou um ato de bondade? Ou praticou um? Já ajudou um desconhecido? Compartilhe suas histórias!

8-4-
26k