Incrível

16 Internautas contaram as situações mais vergonhosas que passaram

Cada um de nós já ficou vermelho de vergonha ou talvez passou pelo fenômeno conhecido como “vergonha alheia”. Quando ficamos envergonhados, acontecem as mesmas reações químicas no corpo quando estamos com medo, por isso a vontade de sair correndo. Os heróis da nossa lista de hoje também quiseram fugir o mais rápido possível, mas nem todos tiveram a mesma sorte.

Hoje, o Incrível.club está determinado a melhorar o humor de cada um dos nossos leitores com a ajuda de algumas histórias curiosas de alguns usuários das redes sociais. Confira!

  • Minha mulher e minha filha entraram no shopping para comprar algumas roupas. Eu fiquei esperando no carro. De repente, uma mulher se aproximou do meu carro, abriu o porta malas e começou a colocar as sacolas de compras, reclamando: “Mas de novo esses patins aqui. Já falei para tirar!” Ela terminou de colocar suas coisas, sentou-se no banco de trás e disse: “Mas nem para ajudar, hein?! Vamos embora logo...” Eu me virei, olhando para trás, e disse: “E nós vamos para onde?” Ela esbugalhou os olhos, e só conseguiu dizer: “Eita”. Depois ajudei a tirar as coisas do porta malas e levar para o carro do marido (certo) dela. © Alexeich56 / pikabu

  • Recentemente, pedi a um rapaz para me ajudar a tirar a mala do compartimento superior no avião. A mulher dele, porém, ficou histérica que ele se dispôs a me ajudar. Ela batia nele várias vezes, brigava e chegou até a colocar minha mala de volta no lugar, depois que ele tinha quase tirado ela de lá. © klevtsova_jane / twitter

  • Trabalhava em uma companhia de táxi. À noite, houve a troca de turno dos taxistas. O turno era do motorista Vítor. Chegou atrasado e não parava de rir. Quando perguntei o motivo do atraso, ele disse que teve de ir aeroporto pegar um passageiro logo no final do seu turno. Apareceu um rapaz na saída do desembarque, colocou duas malas no banco de trás e se sentou na frente. Os 2 foram conversando o caminho inteiro. Quando chegaram no destino final, o passageiro pagou a corrida e foi em direção ao seu prédio.
    O motorista gritou:
    — Ei, rapaz. Você esqueceu suas malas!
    O homem se virou surpreso, e disse:
    — Que malas?
    Nessa hora, os olhos dele se abriram, e ele complementa:
    — Ah, droga. Esquecemos minha mulher no aeroporto!
    Foi preciso voltar. © CucuRuku / pikabu

“Para o estudo”

  • Trabalho como taxista há 10 anos. Já vi de tudo e levei todo tipo de gente. Me surpreender hoje é muito difícil, ainda mais me envergonhar com alguma coisa. Bom, pelo menos eu pensava assim até ontem. Recebi um pedido normal: rua, número, bloco. Dois rapazes se sentaram no banco de trás: sóbrios, educados, me cumprimentaram — passageiros ideais. Notei que o destino final era a Rua Família Brigoto, 32. Só para ter certeza, resolvi confirmar:
    — Família? — perguntei, pensando na rua.
    Olhei pelo retrovisor e vi os 2 com um olhar assustado:
    — Não, não. Somos só amigos.
    Fiquei morrendo de vergonha. © Lobas / pikabu

  • Se você já se sentiu um pleno idiota, lembre-se que hoje eu derrubei o termômetro da prateleira dentro da minha bolsa. Fiquei pensando por uns 30 minutos como se limpa mercúrio, somente para depois ver que ele não tinha quebrado. © DerDunkleGraf / twitter

“Bom dia. Boa tarde. Boa noite”

  • Fui ao salão de beleza no outro dia. A garota começou a cortar meu cabelo e, de repente, disse: “Caramba, você tem muito cabelo no pescoço!” Eu fiquei um pouco desconfortável, porque cabelo no pescoço não é bem um elogio. Como estava meio nervoso, quis deixar o clima mais leve com uma brincadeira: “Isso é porque você ainda não viu o meu traseiro”. A garota parou de cortar e ficou me encarando, séria. Percebi que a piada não tinha dado nem um pouco certo, e minha situação só piorou. Depois de alguns segundos, ela complementa: “Espero que você tenha trazido dinheiro, porque por 20 reais eu não vou cortar lá não”. © Kolgotka / pikabu

  • Decidi usar o computador da forma como vim ao mundo, nua, pois estava um calor dos infernos. No entanto, escutei um barulho na janela e, quando me virei, vi duas mulheres batendo na janela com latas de tinta na mão, em cima daquele guindaste de limpar janelas. Elas olharam para mim e disseram: “Olha, não dá para fechar a cortina, não?! Fica desconfortável para a gente trabalhar assim”. O enterro da minha dignidade. © kate_ne_smeshno / twitter

  • Quando eu tinha 8 anos, escutava com frequência a palavra “prostituta” na TV e nos noticiários. Eu não sabia o que significava, mas gostava de como soava. A palavra me lembrava “instituto”, o que era uma coisa boa. Então, “prostituta” também devia ser algo similar. Uma vez, então, enquanto brincava de pega-pega com uma amiga na nossa rua, que era 2 anos mais velha do que eu, a chamei de “prostituta” (achando que estava dizendo algo engraçado). Mas eu gritei bem alto, de forma que a rua inteira parou por alguns segundos: os pássaros pararam de cantar, as crianças não corriam mais, as avós estavam paralisadas e até a batata do vizinho do primeiro andar parecia que tinha parado de fritar. A menina parou de brincar e foi embora. Meu irmão mais velho me levou para casa, e lá contou aos meus pais o que tinha acontecido. Eles me explicaram, e eu tenho vergonha até hoje desse incidente. © deshpis / pikabu

  • Meu pai ligou e disse:
    — Chame um táxi para meu amigo, por favor.
    — Tá bom, pai.
    Passados 10 minutos, eu liguei:
    — Pai, o táxi já está esperando.
    Meu pai:
    — Tá, deixa esperando. Estamos terminando de celebrar o aniversário aqui. © vos_yeux / twitter

  • Entrou uma mulher na nossa loja, procurando por um prendedor de cabelo. Eu estava próxima e senti um cheiro muito agradável vindo dela. Decidi fazer um elogio: “Você está cheirando muito bem! Qual é o seu perfume?” Ela respondeu: “Ah, não. Eu derrubei um pouco de cerveja na roupa hoje”. © kokoshin_el / twitter

  • Eu e minha mãe estávamos em uma loja de roupas procurando algo interessante. Provamos várias blusas e saias, pelo menos uns 10 itens diferentes. Minha mãe, então, sai do provador com ainda mais uma roupa, e eu disse: “Mãe, que coisa horrível. Tira isso!” Ela respondeu: “Filha, mas foi com essa roupa que eu vim...” © alexygoncharova / twitter

Quais foram as situações mais constrangedoras que você já presenciou? Ou você foi o protagonista da história? Comente!