12 Histórias que mostram como certos clientes podem se tornar o pior pesadelo dos vendedores

As pessoas que trabalham na área de comércio e serviços seguem o mantra de que o cliente está sempre certo, mas a verdade é que nem todos estão. Uma das coisas mais importantes em um serviço de qualidade é a comunicação respeitosa, que deve ser uma via de mão-dupla. O problema é que alguns consumidores, infelizmente, se esquecem disso.

Incrível.club leu as histórias de funcionários que encontraram clientes um tanto quanto difíceis. Até mesmo funcionários experientes ficariam sem saber o que fazer. Confira!

  • Trabalho em uma loja de produtos cosméticos. Temos todos os tipos de clientes, mas há uma senhora que tentamos evitar, pois ela adora fazer escândalo, escrever reclamações e coisas do tipo. Quando eu ainda fazia estágio na loja, ela me fez correr de um lado pro outro, dizendo para pegar isso e aquilo e sempre com um quê de “eu sou a rainha, você é minha serva”. Eu corri que nem uma tonta, pois a vontade do cliente é lei. Bem, no dia seguinte, ela devolveu tudo o que comprou e deixou uma reclamação de que eu a forcei a levar os produtos. © Podslushano — Aqui Falam De Você / VK
  • Camarões cozidos estavam sendo vendidos na praia. Um cliente perguntou com o que eles eram tingidos. O vendedor disse que adquirem a cor vermelha durante o cozimento, da mesma forma que o lagostim. Isso não foi suficiente, o consumidor perguntou novamente o que se usava para tingi-los. Eu perdi a paciência, me meti na conversa e disse que usavam beterrabas. O cliente aceitou e se acalmou, e o vendedor ficou sem palavras, mas aliviado. © Diana Romanenko / Facebook
  • Eu tinha minha própria livraria. Certa vez, coloquei uma caixa de livros de segunda mão na rua, por não ter conseguido vendê-los, com uma placa escrito “De graça”. Então, uma senhora entrou com um livro na mão e, com toda a seriedade, perguntou: “Vocês têm livros gratuitos melhores que este?” Fiquei chocado, mas logo respondi: “Nós já demos os melhores livros aos melhores clientes”. © Steve Rapaport / Quora
  • Uma mulher aparecia todo dia na Starbucks e pedia um latte de baunilha sem espuma. Quando entreguei o pedido dela pela primeira vez, ela quis confirmar: “Sem espuma, certo?” Depois, tirou a tampa e começou a assoprar. Nessa hora, a moça notou uma espuma, me chamou de incompetente e começou a reclamar porque ninguém conseguia fazer um café decente. Outros funcionários também tentaram fazer o café dela, mas ela saía de lá sempre insatisfeita. Por fim, um empregado decidiu apenas mexer o leite com a água, sem usar a cafeteira. Não temos permissão para fazer isso, pois é preciso haver espuma no latte. Mas a mulher provou e disse: “Dá para ver que você é o único funcionário competente neste estabelecimento”. Agora, cada vez que essa moça aparece, ela fica esperando o tal empregado, que é o único capaz de preparar o café dela. E se ele não estiver trabalhando, fica decepcionada e vai embora. © James Alexander / Quora
  • Após passar três horas no quarto, o hóspede exigiu o dinheiro de volta porque (e cito) “não gostei”. No processo, ele teve tempo de deitar na cama, sujar os lençóis e as toalhas, molhar o chão do banheiro todo e ainda deixou muito lixo. Mas ele não gostou. © budninudnogo / Twitter
  • Eu vendo calçados. Na nossa loja, a política de devolução é bastante justa. Uma cliente, se aproveitando dessa política, comprou um par de tênis preto e depois o trocou por um novo, após alguns meses, sem pagar nada a mais. Isso ocorreu diversas vezes e nem sempre ela escolhia o mesmo modelo de calçado. Basicamente, essa mulher roubou tênis por anos — até que um vendedor finalmente teve coragem de informá-la que não trocaríamos mais. Desde então, ela não apareceu mais na loja. Quanto problema um cliente conseguiu gerar para o nosso negócio. © eaglewatch1945 / Reddit
  • Tenho uma loja de peças de carro, e eu mesmo atendo os clientes. Um dia, em dezembro, um homem trouxe um filtro que ele havia comprado em agosto e queria um reembolso. Perguntei: “Por que, não serviu?” Ele respondeu: “Não sei, não testei, vendi meu carro e só troquei o óleo, decidi economizar”. Vale notar, aliás, que o filtro custava uma mixaria. Além disso, já recebi ligações de clientes às 3h da madrugada no estilo: “Oh, Léo, qual rolamento você acha melhor comprar?” © Aleksei Vasiliev / Facebook
  • Tiro fotos de pessoas para passaporte. Um cliente entrou e ficou em frente ao fundo branco. Pedi para ele fazer uma expressão neutra e tirei uma foto. Em seguida, imprimi e a entreguei. Daí, de repente, ele começou a empurrar a foto no meu rosto e reclamar que havíamos deixado ele “triste” na imagem. Expliquei que não fazíamos edição de fotos e, para foto de passaporte, é importante manter uma expressão neutra. Ele continuou brigando por 10 minutos e depois foi embora com sua foto “triste”. © Zuhair S / Quora
  • Eu trabalhava em um mercadinho. Uma vez, um rapaz apareceu e, com uma criança nos braços, perguntou:
    — Cadê o banheiro daqui, hein?
    — Bom dia. Não temos banheiro para clientes, senhor.
    — Como não?! Meu filho precisa ir ao banheiro!
    — Nós vendemos produtos, não é essencial ter banheiro para os clientes.
    — Não perguntei onde fica o banheiro para clientes, perguntei onde fica o banheiro de vocês. Aonde vocês vão?
    — Eu vou ao banheiro para funcionários. Os clientes não podem usá-lo.
    — Você quer que meu filho faça xixi no chão?
    — Seria melhor tentar evitar, o mercado ao lado tem um banheiro para clientes. Tenho certeza de que eles poderão ajudar o senhor.
    Eu sempre fico surpresa em ver como algumas pessoas acham que têm o direito de destratar aqueles que trabalham na indústria de serviços. © Kev Rand / Quora
  • Quando eu vendia telefones, ocorreu uma história engraçada. Ofereci ao cliente uma película protetora e disse que a garantia era de duas semanas. Após uma semana, ele voltou e disse: “A película é horrível, quero meu dinheiro de volta”. O telefone dele caiu do 3º andar, mas eu que fui chamada de golpista. © ValeryaSA / Pikabu
  • Uma mulher queria comprar botas à prova d’água. Eu disse que não havia calçados impermeáveis no momento, mas foi em vão. Ela comprou um par e, dois dias depois, voltou reclamando que as botas estavam encharcadas. Essa moça jogou os calçados imundos e fedidos no balcão do caixa. Educadamente, eu disse que não poderíamos aceitar produtos que já foram usados. Ela não ficou satisfeita e soltou muitas besteiras, falou com o gerente, mas, felizmente, acabaram expulsando-a da loja por fim. © Sue King / Quora
  • Na minha juventude, eu trabalhava vendendo balões de ar em um parque de diversões. Um homem comprou três por 4 reais cada e foi embora. Meia-hora depois, ele voltou e disse que queria mais três. Entreguei o pedido e esperei o dinheiro. O moço parou de sorrir e perguntou: “Como assim, 12 reais?! Achei que me daria de graça, os outros saíram voando, ué”. © VicZhou / Pikabu

Você já passou por alguma situação incômoda ou desrespeitosa na área de serviços? O que aconteceu? Conte para a gente!

Imagem de capa VicZhou / Pikabu
Compartilhar este artigo