Incrível

Jovem repovoa São Francisco com borboletas raras a partir de seu jardim

A expansão urbana colocou muitas espécies de animais e plantas à beira da extinção, como é o caso das borboletas. A borboleta-rabo-de-andorinha da Califórnia, também chamada de Battus philenor, é azul e linda. Além disso, esta espécie vive em São Francisco há anos. Mas como o desenvolvimento da cidade foi aumentando desde o início do século 20, esta criatura maravilhosa se tornou algo estranho dentro da cidade. Salvar esta espécie e reintroduzi-la em São Francisco tornou-se a missão de Tim Wong, um biólogo marinho, que está fazendo isso no quintal de sua casa.

No Incrível.club decidimos aprender mais sobre os esforços caseiros deste jovem cientista, que ajuda essas raras borboletas a retornarem à cidade.

A borboleta-rabo-de-andorinha da Califórnia quase
se extinguiu devido à urbanização

Esta espécie é uma verdadeira maravilha no reino das borboletas. Seu ciclo de vida começa com pequenos ovos vermelhos que são colocados nas hastes das folhas das plantas. Então, eles eclodem e aparecem lagartas pretas com manchas alaranjadas, que eventualmente se tornam lindas borboletas de cor azul-marinho. Há muito tempo, elas estavam em toda parte em São Francisco, mas, à medida que mais e mais áreas da cidade se desenvolveram, essas criaturas perderam seu habitat e quase desapareceram.

A paixão pela natureza transformou Tim Wong em um “encantador de borboletas”

Tim Wong é um biólogo marinho da Academia de Ciências da Califórnia e sempre teve um profundo amor pela natureza. Sua conta no Instagram é repleta de imagens atraentes que o mostram com os animais que ele cuida no museu onde trabalha: pinguins, corujas, cobras, lagartos e, claro, borboletas.

A paixão de Tim por estes animais começou na escola primária, quando tentou criar essas pequenas criaturas pela primeira vez com seus colegas de classe. Ele ficou surpreso com a incrível metamorfose pela qual passam para deixarem de ser lagartas e se tornarem adultos preciosos.

Anos depois, quando Tim soube da triste história dessa espécie, decidiu fazer o que fosse necessário para devolver essa bela criatura à cidade. Ele fez uma pesquisa completa e descobriu que, no estágio de lagarta, a borboleta só se alimenta da planta aristolochia da Califórnia, que também se tornou rara na região.

Tim encontrou a planta no Jardim Botânico de São Francisco e pediu aos especialistas em jardinagem que lhe dessem algumas mudas. Usando-as, ele construiu uma estufa caseira em seu quintal, recriando o habitat natural da borboleta azul.

“Eu construí um recinto de tela grande para proteger as borboletas e permitir que elas se encaixem em condições ambientais iguais às do exterior: sol natural, fluxo de ar e flutuações de temperatura”, disse Tim. O jovem biólogo começou seu experimento de criação com um grupo inicial de 20 lagartas coletadas em residências locais, onde essas espécies raras ainda podiam ser encontradas. Algum tempo depois, ele conseguiu obter centenas de borboletas.

Os esforços caseiros do rapaz tiveram resultados incríveis

Um experimento que começou com apenas 20 lagartas resultou em milhares de borboletas-rabo-de-andorinha da Califórnia, que já foram introduzidas no Jardim Botânico de São Francisco. Mas Tim não pretende parar por aí. Ele também conseguiu cultivar mais de 200 aristolochia para fazer com que as criaturas que ele cria se sintam em casa.

Isso significa que, algum dia, essas belas criaturas povoarão a cidade novamente. “Todos os anos, desde 2012, vimos mais borboletas que voam nos jardins, botam ovos, crescem com sucesso e surgem no ano seguinte”, disse Tim. “Isso é um bom sinal de que todos os nossos esforços estão dando certo!”

Com seu próprio exemplo, Tim mostrou que qualquer pessoa pode contribuir para salvar o meio ambiente, até mesmo em seu próprio jardim. Embora criar borboletas seja um trabalho que provavelmente poucos podem fazer, existem maneiras mais simples de ajudar. A chave para preservar a vida selvagem é manter os habitats naturais intactos. Portanto, plantar árvores e flores preferidas por animais e insetos locais pode fazer uma grande diferença.

O que você acha do projeto de Tim? Gostaria de ver com seus próprios olhos como ele cria borboletas? Deixe sua opinião nos comentários.