Como a rainha Elizabeth II e o príncipe Philip mantêm a união sólida por mais de 70 anos

Em 2017, a rainha Elizabeth e o príncipe Philip celebraram seu 70º aniversário de casamento. Com isso, eles se tornaram protagonistas do mais longevo casamento real em toda a história. E é claro que todos querem saber o que o casal real faz para manter o amor e o carinho mútuos por tanto tempo.

Nós, do Incrível.club, elencamos 10 fatos e histórias envolvendo o casamento da rainha Elizabeth e do príncipe Philip, tudo com um único intuito: mostrar aos nossos leitores toda a força do verdadeiro amor.

10. O casamento deles é baseado no amor

Em 1934, aos 8 anos de idade, Elizabeth compareceu ao casamento de um primo de Philip, e conheceu o então rapazinho, que era 5 anos mais velho que ela. Cinco anos depois, pouco antes do início da II Guerra Mundial, Elizabeth voltou a encontrar Philip, já com 18 anos, e apaixonou-se perdidamente por ele. Desde aquela época (Elizabeth tinha apenas 13 anos!), ela não conseguia pensar em ninguém mais além de Philip.

Durante a II Guerra Mundial, quando Philip estava servindo na Marinha Real, os dois engataram um romance, e passaram a trocar cartas. Quando Philip retornou, em 1946, pediu Elizabeth em casamento. A proposta foi aceita imediatamente. Porém, o casal precisava manter o relacionamento em segredo até que a futura rainha completasse 21 anos. A união entre eles só foi oficialmente anunciada em 9 de julho de 1947, e o casamento foi celebrado em 20 de novembro daquele mesmo ano.

9. Eles fizeram sacrifícios

Para poder casar com Elizabeth, Philip precisou fazer vários sacrifícios. Para começar, abriu mão de todos os seus títulos anteriores. Depois, teve de naturalizar-se como cidadão britânico, já que os pais de Elizabeth não estavam exatamente felizes com a origem alemã da família do futuro genro. Aliás, nenhum dos parentes alemães de Philip recebeu permissão para comparecer ao casamento, nem mesmo suas 3 irmãs.

Na manhã da cerimônia, Philip ainda parou de fumar. Ele tinha conhecimento do quanto a noiva sofreu com o tabagismo do pai, e decidiu parar, sem maiores dificuldades, com aquele hábito tão prejudicial.

8. Eles sempre se apoiam

A rainha usa a coroa, mas seu marido usa as calças. Ele é o poder por trás do trono: firme, sempre solidário”, diz Gyles Brandreth em seu livro Philip and Elizabeth: Portrait of a Royal Marriage (Philip e Elizabeth: Retrato de um Casamento Real“, em tradução livre).

O apoio do marido é realmente tido como crucial para o sucesso do reinado de Elizabeth. Ao admitir isso no discurso que fez durante as celebrações pelas bodas de ouro do casal, a rainha afirmou: “Ele não é alguém que lida bem com elogios. Ele tem sido, simplesmente, minha força e constância durante todos esses anos”.

7. Os dois têm interesses em comum

Colecionar arte inspirada na vida selvagem, fazer piqueniques na mata escocesa e preparar churrascos — o casal sabe muito bem como se divertir juntos, curtindo a companhia um do outro.

6. Senso de humor é muito importante

O duque de Edimburgo é conhecido por ser um homem bem-humorado. E graças a essa característica tão positiva, tem feito a rainha rir diariamente por mais de 70 anos. Em 2017, durante as celebrações natalinas, a rainha Elizabeth comentou o recente afastamento do marido das aparições públicas, mas acrescentou que o “senso de humor único de Philip continua afiado como sempre foi”.

Philip chegou até a dar um apelido à esposa: “Salsicha”. A história por trás do nome é a seguinte: a rainha não tem exatamente um rosto sorridente, então quando ela precisa saudar e acenar para milhares de pessoas em eventos públicos, muitas vezes acaba parecendo um tanto ranzinza. E em uma de tais ocasiões formais, na Austrália, Philip disse à esposa: “Não fique com essa cara tristonha, Salsicha.”

5. Eles nunca dormem no mesmo quarto

Na Inglaterra, é comum que casais da elite durmam em quartos separados, e a rainha e seu marido não fogem à regra. Em 1949, os dois se mudaram para a Clarence House, que fica perto do Palácio de Buckingham, onde cada um já tinha seu próprio quarto.

Prima do príncipe Philip, Lady Pamela Hicks, tentou explicar o acordo do casal real: “Você não quer ser incomodado por alguém roncando ou jogando a perna para lá e para cá. E aí, quando está mais carente, divide o quarto. É ótimo ter a chance de escolher”.

4. Eles nunca deixam de conversar entre si

Ainda que estejam temporariamente separados fisicamente, a rainha e o príncipe Philip nunca deixam de conversar, por qualquer meio de comunicação possível. Por exemplo, quando a II Guerra Mundial começou e Philip foi servir na Marinha Real Britânica, eles estavam frequentemente trocando cartas.

Até hoje, desde que o duque se afastou das atividades públicas, em 2017, e passou a levar uma vida tranquila na propriedade de Wood Farm, em Norfolk, o casal continua se falando todos os dias por telefone.

3. Tolerância é fundamental

Ao fazer um brinde à esposa durante a festa de 50 anos de casamento, Philip disse: “A maior lição que aprendemos é que a tolerância é o ingrediente essencial para qualquer casamento feliz. Talvez não seja tão importante quando as coisas estão andando bem, mas é crucial quando tudo fica mais difícil”. Foi a maneira que ele encontrou para agradecer à esposa por toda sua tolerância.

2. Eles valorizam os presentes que trocam

Dentre todos os seus muitos pertences pessoais, a rainha definitivamente tem uma predileção especial pelo broche “Escaravelho”, que o marido deu a ela de presente em 1966. A monarca usa o acessório frequentemente — ao fazer um discurso em comemoração pelo 50º aniversário de sua primeira mensagem de Natal transmitida na televisão, ela resolveu usar a joia, cheia de valor sentimental. Fazendo isso, a rainha Elizabeth presta uma discreta homenagem ao marido.

1. O casal nunca se arrepende de suas decisões

A rainha Elizabeth e o príncipe Philip já passaram 73 anos juntos. E mesmo depois de tanto tempo, ambos ainda consideram que fizeram a melhor escolha de todas.

Em 1972, a rainha chegou a afirmar durante seu discurso na festa pelas bodas de prata do casal: “Se me perguntarem o que penso da vida em família após 25 anos de casamento, posso responder de forma simples e convicta — sou a favor”.

Você conhece outros exemplos de casamentos muito duradouros? Há casos em sua família? Comente!

Compartilhar este artigo