Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

9 Erros que você deve parar de cometer com a prancha de cabelo para manter seus fios mais saudáveis

As pranchas (chapinhas) e os aparelhos para modelar o cabelo são, hoje, um truque de uso diário para conseguir penteados de um jeito mais fácil. Mas é importante não perdermos de vista os riscos envolvidos no seu uso constante em relação à saúde e à vitalidade dos fios. E não é apenas isso: um mau uso pode até provocar danos maiores às fibras capilares. Isso sem falar que, com a utilização constante, a prancha acaba estragando mais rapidamente.

No Incrível.club, vamos mostrar alguns truques para evitar que seu cabelo estrague com o uso das pranchas e ainda traremos algumas orientações para aumentar a vida útil do aparelho.

1. Como guardar a prancha corretamente

Muita gente guarda a prancha enrolando o cabo em volta dela. Mas isso pode provocar uma falha na conexão interna e no cabo. A melhor forma de guardar é fazendo dobras no cabo, prendendo-as com uma fita ou velcro.

2. A sujeira da prancha pode estragar seu cabelo

A limpeza da prancha é mais necessária do que você imagina, principalmente para manter o cabelo em ótimas condições. Os resíduos dos produtos que aplicamos nos cabelos que aderem ao aparelho podem causar danos capilares. Além disso, eles são prejudiciais ao bom funcionamento da prancha.

3. A importância de aplicar um protetor térmico

É normal que, com a correria e com o pouco tempo que temos para nos pentear, não prestemos atenção aos cuidados necessários para manter os cabelos saudáveis. Aplicar um protetor térmico antes da prancha pode minimizar os danos aos fios causados ​​pelo calor. O mais recomendável é adquirir um protetor térmico diário específico para alisamento ou ondulação. Com esses cuidados, a longo prazo, seu cabelo ficará com uma aparência melhor.

4. Nada de cabelo úmido na hora de alisar

Se você pensava que não havia problema algum em alisar o cabelo ainda úmido com a prancha porque costumamos usar o secador com os fios nas mesmas condições, ficará surpresa ao saber que pode estar danificando seriamente seu cabelo. Os secadores expelem o calor a uma certa distância segura enquanto as pranchas o fazem diretamente em contato com os fios e em temperaturas mais agressivas. A água contida no cabelo úmido pode ficar excessivamente quente se o alisarmos nessas condições, fazendo com que os fios se quebrem e danificando-os profundamente.

5. A posição correta para ondular

Ainda que pareça simples ondular com a prancha alisadora, podemos economizar tempo e causar menos danos ao cabelo caso adotemos a posição correta para isso. O ideal é inclinar a prancha, mantendo os fios em uma posição vertical e deslizando o aparelho até as extremidades. As ondas serão criadas de acordo com a espessura da mecha escolhida, embora, em qualquer caso, esse procedimento dê um volume extra ao cabelo.

6. Melhorando aos poucos o alisamento

Você pode pensar que é mais benéfico para os fios alisar mechas mais grossas. Porém, recomenda-se alisar o cabelo em seções menores, para que o calor atue em cada mecha em uma única passada. Dessa forma, evita-se repetir várias vezes o processo, o que pode causar a quebra dos fios.

7. Evite insistir

Depois daqueles longos e intensos processos de alisamento, quase sempre voltamos a passar por aquele fio crespo que restou “ao longo do caminho”. Se você possui esse traço de perfeccionismo, saiba que o hábito deve ser evitado. Afinal, cada vez que aplicamos o calor, estamos desestabilizando a queratina que protege a fibra capilar, tornando os fios mais frágeis e quebradiços.

8. Fixar com hidratante é melhor do que com spray fixador

Embora o spray fixador (ou qualquer produto desse tipo) seja usado para manter nosso alisamento por mais tempo, é preferível aplicar um sérum hidratante. O uso prolongado dos fixadores pode causar os mesmos problemas gerados pelo alisamento, ou seja, o ressecamento das fibras capilares, aumentando a perda de brilho e, inclusive, causando a descamação do couro cabeludo se o uso for constante.

9. Não use prancha mais do que três vezes por semana

Embora a prancha nos salve de vários apuros, é importante ter limites. O uso excessivo pode provocar abrasões, quedas e o enfraquecimento das cutículas dos fios. No entanto, você pode continuar a alisar seu cabelo de duas a três vezes por semana, mas adotando protetores ou hidratando.

Bônus: máscara natural para hidratação profunda

Depois de meses manipulando nosso cabelo e prejudicando a hidratação interna dos fios, chega o momento de “mimá-lo” com uma máscara nutritiva para reforçar as fibras capilares e conseguir um cabelo muito mais saudável.

  • O óleo de coco ajuda a manter a umidade dos fios capilares, hidratando e protegendo. Além disso, proporciona a eles maior elasticidade. Aplique esse óleo do meio às pontas dos fios duas vezes por semana ou quando notar que seu cabelo está muito seco.
  • Babosa (ou aloe vera): além de ser um ingrediente básico dos produtos voltados para os cuidados da pele, fornece nutrição e proteção aos cabelos. A planta possui uma composição química semelhante à da queratina, promovendo o crescimento e a hidratação capilar, dando elasticidade aos fios e evitando quebras. Você pode aplicá-la nas raízes, combinando com óleo de coco, para intensificar a nutrição.

Você conhece algum outro truque para evitar que o cabelo resseque com a prancha? Conte para a nossa equipe na seção de comentários.

Compartilhar este artigo