Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

9 Coisas comuns que podem ser prejudiciais (ou até fatais) para o seu animal de estimação

6163
794

Existem dois tipos de pessoas quando o assunto é adoção animal. O primeiro: aquelas que se preparam com antecedência e pesquisam tudo antes de receber os novos inquilinos. O segundo: as que decidem em cima da hora e não sabem nem por onde começar. A verdade é que, para ambos os grupos, ainda há muitas coisas que podem passar despercebidas nos cuidados com os amigos. Por isso, nunca pare de se informar e aprender.

A equipe do Incrível.club não sabe o quanto você está familiarizado com os perigos domésticos que serão mostrados abaixo. Mas, por via das dúvidas, decidimos compartilhá-los para garantir que o seu amigo de quatro patas se mantenha saudável e feliz. Acompanhe!

1. Odorizadores

Odorizadores podem afetar a função da glândula da tireoide do seu bichinho. Se seu gato ou cachorro começar a perder peso de repente, comer excessivamente ou se comportar de forma estranha, isso pode ser justamente devido à exposição prolongada ao odorizador.

O que acontece é que tais dispositivos muitas vezes contêm agentes extintores — ou seja, substâncias capazes de impedir a expansão de fogo ou incêndio, justamente para que o odorizador não pegue fogo quando em contato com uma chama ou faísca. São esses componentes que podem alterar a função das glândulas, estimulando-as a produzir mais e mais hormônios.

O resultado: animais que vivem em locais onde há uso regular de tais aparelhos podem desenvolver hipertiroidismo, uma disfunção da tireoide.

2. Bolhas de sabão

Muitos pets adoram caçar as bolhas de sabão, por isso é importante usar produtos especiais para animais: devem ser livres de substâncias tóxicas, principalmente para não causarem vômitos ou diarreias. Se deixar o seu gato “comer” as bolhas produzidas com sabão comum, é provável que ele desenvolva intoxicação alimentar. Além disso, o sabão e os outros componentes presentes em tais produtos podem causar danos aos olhos do animal.

3. Plantas

Quase todo gato já tentou comer uma ou duas flores uma vez na vida. Por esse motivo, alguns donos de bichanos optam por manter plantas artificiais em casa. Outros colocam os vasos em locais inalcançáveis para os bichos. Ambas as soluções são válidas.

No entanto, é preciso lembrar que há uma grande quantidade de plantas tóxicas. Para os humanos podem não apresentar perigo, mas para os animais, a história é outra: uma ou duas folhas podem intoxicar um gato rapidamente. Algumas plantas particularmente tóxicas para felinos são: a alocasia, o aspargo-samambaia, a azaleia, as begônias, os coleus e os lírios-da-paz.

Caso não queira se desfazer completamente delas, escolha opções seguras, como: bambu, gloxínia, viúva-regateira, camomila e catnip (a erva-gateira).

Às vezes, a situação pode ser pior. Certas plantas não precisam nem ser comidas ou lambidas para causar problemas, basta estarem perto dos gatos que o resultado pode ser fatal. Estamos falando dos lírios comuns e dos lírios-do-vale, principalmente.

Aconteceu uma história desagradável com uma moça: “Minha gata brincava com os lírios na mesa do meu trabalho. Ela não comeu as flores, apenas brincava com elas. Primeiro, achamos engraçado, mas depois uma voz me disse que tinha algo de errado”. A intuição da garota estava certa: até uma pequena quantidade de pólen de lírio representa um enorme perigo para esses pets, podendo causar salivação excessiva, irritação e problemas respiratórios.

Com essa gata, felizmente, nada disso aconteceu. A garota deu um banho rapidamente nela e a levou ao veterinário.

4. Abacate

A casca, as folhas e as sementes desse fruto contêm persin, uma substância altamente tóxica e letal para animais. É importante saber que o veneno também está presente na polpa, mas em quantidades muito pequenas. Na melhor das hipóteses, seu animal terá apenas alguns problemas estomacais. Mas não só os animais peludos são afetados.

Por vezes, donos de aves dão partes do caroço do abacate para seus bichinhos. Tais situações geralmente resultam na morte dos pássaros.

Contudo, isso não significa necessariamente que se o seu animal ingerir pequenas partes da fruta acidentalmente terá algum problema grave de saúde. De qualquer forma, não vale a pena brincar com a sorte.

5. Shampoo

A questão do banho é um tópico polêmico entre pessoas que têm animais peludos, e muitos optam por usar shampoos infantis ou até mesmo comuns em seus bichinhos. O problema é que o pH da pele dos animais não é o mesmo da pele dos humanos, por isso produtos comuns podem causar irritações em cães e gatos.

Com o uso regular, o equilíbrio do pH na pele do seu animal será alterado, o que acabará removendo a camada protetora superior (epiderme) e, dessa forma, seu amigo de quatro patas ficará mais vulnerável a vários parasitas, à coceira e à descamação. Por esse motivo, muitos veterinários recomendam utilizar somente shampoos específicos para pets, que contenham componentes seguros e não tóxicos.

6. Massa com fermento

Muitos animais não recusariam tal guloseima. À primeira vista, massas parecem ser inofensivas, mas não se engane. Ao entrar em contato com a mucosa do estômago dos animais, ela começa a estufar e a ocupar todo o espaço disponível. Isso pode causar vômitos e inchaços na região do abdômen, o que, em alguns casos sérios, pode ser fatal.

7. Medicamentos com permetrina

Muitos produtos para eliminar insetos (como coleiras contra pulgas) têm em sua composição permetrina. Ela é altamente tóxica para felinos, pois leva muito tempo para sair do organismo. Ela também é prejudicial para cachorros, mas não no mesmo nível.

Nunca use produtos contra pulgas desenvolvidos para cachorros (mesmo de raças pequenas) no seu gato, pois a quantidade de permetrina neles pode ser fatal para o seu bichinho.

O que acontece se o animal lamber algum produto com permetrina? Ele começará a salivar muito. Pode haver também espasmos musculares e, em muitos casos, o resultado é letal.

Quando for comprar algum medicamento para parasitas, preste muita atenção na composição e evite aqueles que contenham essa substância.

8. Atum

Ao contrário do que muitos pensam, o atum não é o melhor alimento para os gatos. É seguro oferecer esse peixe como uma guloseima raramente, mas não faça isso com frequência. O maior malefício? Contém mercúrio. Sim, em baixas quantidades, mas o consumo regular fará com que o metal se acumule no organismo do seu animal.

Além do mais, há pouca vitamina E no atum, que é um composto orgânico essencial para a saúde dos seus bichanos. A carência dessa vitamina pode levar à pansteatite, ou também chamada de doença da gordura amarela (inflamação do tecido adiposo).

9. Vaso sanitário

Muitas pessoas postam vídeos de seus animais “indo ao banheiro” e contam histórias engraçadas de como eles bebem água do vaso sanitário. Tal comportamento pode acarretar graves consequências para a saúde do seu pet.

Mesmo que o banheiro tenha sido limpo com produtos químicos, é preciso lembrar que a água do vaso nunca está 100% limpa. De qualquer forma, haverá uma quantidade enorme de bactérias na região que, se em contato com o corpo do animal, podem causar as mais diversas reações, desde apenas vômito até intoxicação.

E isso não é tudo. O seu bichinho pode, ainda, escorregar e cair com a cabeça dentro do vaso. Em diversos casos, as consequências são mais graves do que se imagina.

Embora os riscos em muitos casos não sejam altos, é melhor prevenir do que remediar, não é?

Quais os cuidados que você toma para proteger a saúde dos seus amigos peludos? Esperamos seu comentário!

6163
794