Incrível
Incrível

14 Erros cometidos pelos pais ao projetar o quarto das crianças

Os quartos são geralmente projetados e personalizados de acordo com a necessidade de cada membro da família. Mas, quando se trata de crianças, às vezes nos deixamos levar mais pelo design, em vez de considerar também sua funcionalidade a fim de ajudá-las em seu desenvolvimento.

Por isso nós, do Incrível.club, reunimos 14 erros cometidos regularmente ao planejar os quartos dos pequenos e o que fazer para adequá-los da melhor forma. Confira!

1. Não considerar a idade da criança

As necessidades e os gostos de uma criança mudam de acordo com a idade. Por isso é importante levar isso em consideração ao projetar o quarto dos filhos. Atender esses requisitos terá um grande impacto no seu desenvolvimento, como dar autonomia para a criança alcançar um brinquedo. Até mesmo o fato de lhe destinar responsabilidades, como guardar suas coisas e manter o lugar limpo, pode ajudá-la a desenvolver sua personalidade.

2. Escolher o acabamento errado para as paredes

Como a tinta fosca é menos durável, não é recomendada para quartos infantis, devido ao contato constante dos pequenos com a parede. Em vez disso, você pode usar um acabamento acetinado, por ser mais resistente e fácil de ser lavado — ideal quando as crianças tocam muito as paredes ou as usam para liberar seu lado criativo.

3. Escolher as cortinas erradas

É importante nos acostumar a dormir no escuro, pois assim o organismo produz um hormônio chamado melatonina, responsável por regular o ritmo da vigília e do sono.

Se as cortinas do quarto permitirem a passagem de luz à noite ou durante uma soneca, a produção de melatonina será menor, portanto, nossos filhos poderão ter problemas de sono. Por esse motivo, procure cortinas mais adequadas. Algumas opções são: blackout, que deixa tudo em total escuridão e mantém o quarto fresco; persianas que “desaparecem” durante o dia e deixam entrar a luz do sol; e a persiana romana, que pode ser elevada ou recolhida para controlar a entrada de luz.

4. Não aproveitar o espaço embaixo da cama

Muito raramente consideramos o espaço localizado embaixo da cama ao organizar o quarto. Mas podemos aproveitá-lo para guardar caixas ou gavetas com sapatos, roupas, brinquedos, lençóis, etc. Assim evitamos ocupar outro móvel, cujo espaço pode ser usado para guardar outras coisas.

5. Não usar o guarda-roupa ao máximo

Embora seja preciso considerar a personalidade do seu filho nesse caso, remover as portas do guarda-roupa ajudará a manter tudo à mão e fará com que o quarto pareça maior.

Outra opção é mover a cômoda para dentro do guarda-roupa ou usar caixas de armazenamento. Assim é possível aproveitar o espaço sob as roupas penduradas, deixando um maior espaço disponível no quarto.

6. Colocar móveis para adultos

Em certas ocasiões, nós, pais, pensamos no futuro ao planejar o quarto dos nossos filhos. Compramos móveis duráveis, como uma cômoda, uma estante, uma poltrona, etc., mas esquecemos da importância de deixar o quarto adequado e seguro para as crianças.

Optar por móveis Montessori, projetados segundo a altura da criança, permitirá o aumento da sua autonomia e segurança, pois seu livre acesso fará com que experimente e descubra seu próprio espaço.

7. Excesso de brinquedos

Não é muito recomendável para as crianças ter brinquedos em excesso, pois isso pode trazer certos problemas, como o desejo de sempre ter mais, frustração por não conseguir o que querem, tendência a dar mais valor às coisas materiais, entre outras situações. Mas caso já tenham muitos brinquedos, estes não precisam estar em um só lugar. Podem ser espalhados pelo quarto em prateleiras, cantos ou caixas, deixando apenas alguns visíveis.

8. Não utilizar o recurso visual na hora de organizar

Adicionar imagens e símbolos para etiquetar caixas ou gavetas das roupas, por exemplo, ajudará a criança a não só ter tudo mais bem organizado, mas fazer com que consiga relacionar o que está dentro com o que está indicado fora, aprendendo de forma lúdica. Se já souber ler, você pode complementar com palavras, para que os pequenos possam treinar.

9. Não utilizar a parede

Independentemente do tamanho do quarto, colocar prateleiras pode ajudar bastante a manter o local organizado. Isso evitará o excesso de móveis e o piso ficará livre para a criança ter espaço para se desenvolver.

10. Não reciclar materiais que podem ser úteis

A reciclagem tem muitas vantagens, entre elas o cuidado com o meio ambiente e a economia doméstica. Portanto, criar móveis ou artesanatos com materiais reciclados permitirá que a criança se familiarize com o assunto e conheça sua importância.

11. Não deixar espaço para criatividade

Durante a infância, as experiências adquiridas influenciam o desenvolvimento cerebral e a criatividade. Por isso é importante oferecer às crianças um espaço onde possam estimular a sua imaginação e criatividade, porque, sejamos honestos, mais cedo ou mais tarde vão encontrar uma maneira de fazer isso (mesmo que signifique usar as paredes como tela).

12. Não colocar espelho

Um espelho seguro (inquebrável) fixado na parede no nível do chão é uma prática recomendada pelo método Montessori, pois ativa a curiosidade e motiva os pequenos a trabalharem habilidades que beneficiam seu desenvolvimento emocional e motor, como a coordenação, a movimentação das mãos e dos pés, a engatinhar, a se sentar, a ficar em pé, sua capacidade de atenção e autorreconhecimento, o uso da linguagem e dos gestos, etc. Tudo isso se desenvolverá de acordo com a idade da criança.

Você pode escolher qual espelho usar, considerando se a criança estará sozinha ou acompanhada. O principal é garantir sua segurança, por isso devem ser tomadas algumas medidas como: fixá-lo na parede, cobrir as bordas com pano, ter uma moldura de plástico ou até mesmo supervisionar enquanto a criança brinca, tirando depois o espelho do seu alcance.

13. Muito barulho

Tanto para um bebê, que pode acordar com qualquer barulho por ter sono leve, como para uma criança um pouco mais velha, acostumada com ruídos e que gosta de qualquer atividade envolvendo barulho, a insonorização ou o isolamento acústico pode ser a melhor solução. É possível isolar o barulho de dentro para fora ou vice-versa ou em ambos os casos.

14. Limitar seu espaço apenas ao quarto

Se o quarto for pequeno, nem tudo necessariamente precisa caber ali; você também pode considerar preparar um espaço livre na casa para ser a sala de jogos da criança. Assim, nos dois lugares ela terá maior mobilidade e conforto.

Qual era o seu lugar favorito no seu quarto quando era criança? O que gostaria de ter tido conhecimento antes de projetar o quarto dos seus filhos?

Incrível/Dicas/14 Erros cometidos pelos pais ao projetar o quarto das crianças
Compartilhar este artigo
Você pode gostar destes artigos