Incrível
Incrível

Por que o metaverso é considerado uma revolução e como ele pode transformar nossas vidas

A tecnologia já não é um bicho de sete cabeças para muitos de nós, afinal, os celulares e as televisões estão cada vez mais inteligentes, permitindo que nós tenhamos maiores acessos e conectividades com o mundo afora. Afinal, 20 anos atrás, não imaginávamos que logo estaríamos a um clique de falar com alguém por chamada de vídeo no outro lado do mundo. Ou melhor, que estaríamos trabalhando na sala de casa, interagindo com os colegas por meio dos computadores.

Por isso, nós, do Incrível.club, reunimos algumas curiosidades do metaverso, a realidade aumentada que permite consultas médicas mais assertivas e trabalhos remotos, mas agora de um jeitinho diferente. Confira!

Por dentro do metaverso

Pode não parecer, mas o metaverso já saiu dos filmes e está no mundo real. Ainda assim, o que seria e o que ele muda no dia a dia das pessoas? O metaverso é como um mundo paralelo, já conhecido nos jogos de videogame, mas que agora está sendo desbravado por outros ramos.

Sendo assim, o meta é um mundo novo, virtual e em 3D, no qual o usuário controla tudo por meio de óculos de realidade virtual, movimentos oculares ou comando de voz. O fone de ouvido permite que a imersão seja ainda mais completa, desconectando o usuário do mundo físico, onde realmente está, o levando para esse novo universo.

O novo ambiente não é solitário, como pode parecer em um primeiro momento. Nele, você pode encontrar outras pessoas, ou melhor, outros avatares, e interagir, realizando funções que não necessariamente faria na vida real, e com pessoas de todo o mundo.

Uma tecnologia nem tão nova assim

Apesar do metaverso trazer para nós o uso de novas funções tecnológicas, ele não é uma ideia recente. Foi em 1992, no livro de Neal Stephenson, Snow Crash, que a palavra metaverso surgiu pela primeira vez. Na história, o metaverso era como dois mundos: um no qual o protagonista vive sua vida real como entregador de pizza e outro, virtual, em que ele é um sofisticado hacker samurai.

Anos depois, o metaverso vem ganhando novas funcionalidades. Empresas como o Facebook são responsáveis por jogar essa tecnologia na boca do povo. A empresa está no mercado desde 2004 e é por meio dela que realizamos dezenas das nossas postagens diárias. Em 2021, o grupo trocou de nome, passando a se chamar Meta. Na página da companhia, eles afirmam que buscam dar às pessoas o poder de construir uma comunidade e trazer o mundo para mais perto.

O futuro ao lado do metaverso

Pessoas de todo o mundo já vêm fazendo uso do metaverso. No Brasil, nomes como EmicidaSabrina Sato já adquiriram seus avatares. Enquanto no mundo afora, cantores como Ariana Grande e Justin Bieber já se apresentaram com o auxílio dessa tecnologia. O jogo para videogame e computador Fortnite é um dos grandes utilizadores do metaverso, sempre disponibilizando shows em meio ao game.

Entretanto, não são só os jogos de videogame que podem fazer utilização do metaverso e toda a tecnologia que abrange ele. O sistema de saúde é outro ponto que pode ser positivamente afetado, por meio da inteligência artificial, realidade aumentada e realidade virtual, criando um ambiente on-line ainda mais imersivo.

Com a convergência, ou seja, com a união dessas tecnologias, a saúde pode ser impactada diretamente. As consultas pela internet aumentaram ainda mais em 2020 e, com o avanço do metaverso, elas podem ser ainda mais funcionais. Com o auxílio da realidade virtual, por exemplo, os pacientes não ficam mais tão limitados a médicos da região, podendo procurar os melhores especialistas pelo país e pelo mundo.

Além dos atendimentos, também será possível usar de gêmeos virtuais, ou melhor, um boneco teste. Por meio dele, será possível prever coisas, como a recuperação de uma cirurgia, o uso de certos medicamentos, ou como estaremos em 10 anos caso sigamos algum padrão de vida. O auxílio da inteligência artificial também poderá facilitar cirurgias: “Ela pode verificar se o aluno está errando e pode sugerir que ele repita o procedimento, por exemplo. Os avatares vão estar aptos a ensinarem sem fronteiras geográficas ou econômicas”, afirmou a neurocirurgiã pediátrica do Sabará Hospital Infantil, Dra. Giselle Coelho, em entrevista ao Fantástico.

O dia a dia, agora com metaverso

Nos últimos anos, o home office se tornou ainda mais presente na vida de uma vasta parcela da população, mas, com o metaverso, a relação entre colegas de trabalho, chefes e demais setores podem se tornar ainda mais interativas. Afinal, o que temos, até o momento, são reuniões on-line, conversas por aplicativos de mensagens e coisas do tipo. Ainda assim, isso não é o suficiente para criar uma rede de compartilhamento dentro do local de trabalho. Invenções como o Street View e o Gmail não aconteceram durante uma reunião, mas, sim, em conversas informais durante o café e o almoço.

A ideia do metaverso é permitir que haja uma convivência maior entre pessoas, com os avatares reagindo entre si em tempo real, nos espaços de escritórios criados para isso. Uma empresa coreana, a PropTech Zigbang, abriu um escritório de realidade virtual de 30 andares. Nele, os funcionários podem andar por mesas, corredores e até mesmo pegar elevadores. E, ao encontrar um colega de trabalho, a câmera e o microfone são automaticamente ligados, permitindo que conversem livremente. Assim que se afastam, a comunicação é interrompida.

Com isso, também será possível ver a linguagem corporal e participar mais ativamente de reuniões, com direito a rabiscos em quadros brancos e post-its nas paredes, basicamente um brainstorming completo.

Bônus: Polar

O metaverso também tem espaço para a música. É o caso da Polar, uma cantora que representa os adolescentes com seus hits e danças. Ela tem como objetivo fazer o jovem reconhecer o próprio potencial e motivá-lo a sair da zona de conforto.

O primeiro videoclipe de Polar, Close to You, já alcançou mais de sete milhões de visualizações no YouTube, além dos mais de 600 mil inscritos no canal. No TikTok, seu número de seguidores já ultrapassou a marca de um milhão. Polar é uma artista virtual que já conquistou muito sucesso mundo afora.

Você já conhecia o metaverso? Tem vontade de participar desse novo universo? Consegue se imaginar trabalhando, ou melhor, fazendo consultas médicas com o auxílio da realidade virtual? Compartilhe com a gente nos comentários!

Incrível/Invenções/Por que o metaverso é considerado uma revolução e como ele pode transformar nossas vidas
Compartilhar este artigo
Você pode gostar destes artigos