12 Coisas que barateiam demais a decoração do seu lar mesmo custando caro

O ambiente da casa não só influencia o estado de uma pessoa, como também revela sua personalidade, fala sobre seus hábitos e estilo de vida. Provavelmente você mesmo já deve ter percebido quanta informação pode obter apenas examinando cuidadosamente o quarto de alguém. Mas enquanto algumas coisas indicam a natureza criativa ou engenhosidade dos donos, outras transmitem penúria.

Nós, do Incrível.club, não temos como objetivo impressionar os hóspedes escolhendo decorações e móveis caríssimos. O que queremos mostrar é que dá para viver em um lar modesto e, ao mesmo tempo, aconchegante e moderno, sem ter que habitar em um ambiente saturado com a chamada psicologia da pobreza. É por isso que queremos apresentar uma série de coisas que barateiam o design de interiores, e ficaremos gratos se você adicionar mais itens à nossa lista.

1. Carpetes e tapetes por toda a casa

Além de juntarem muita sujeira, os tapetes felpudos também não duram por muito tempo. Capachos, tapetes e passadeiras gastos na frente de cada porta podem matar a estética de qualquer cômodo. Há cerca de 20-30 anos, eles cobriam salas e corredores maciçamente para criar isolamento acústico, esconder um piso feio ou tapar os buraquinhos. Ou seja, o objetivo principal era economizar dinheiro em reparos e aquecimento. Por isso, mesmo em bons apartamentos modernos, um monte de tapetes diferentes pode passar a impressão de cafonice e deselegância.

2. Cortinas de porta

Antigamente, muitas pessoas costumavam pendurar cortinas de fio, miçangas, clipes de papel e até papéis de balas entre os cômodos para de alguma forma dividir o espaço. Mas não há nenhum efeito prático nesse elemento, a menos que alguém goste de passar por tais cortinas tilintantes só para ouvir seu barulho. Em 2019, elas tornaram-se de vez antitendências a serem evitadas.

Cortinas de tecido simples ajudam a dividir visualmente o ambiente ou a cobrir o cômodo devido à falta de porta, mas também devem ser usadas com cautela. Além disso, não dá para usar essa opção para quartos, banheiros e lavabos, que devem obrigatoriamente ser separados por portas.

3. Imagens impressas em moldura pomposa

Justamente por não ser um elemento básico ou necessário, o quadro caracteriza a personalidade da pessoa, além de mostrar sua vontade e capacidade financeira de decorar a casa. Enquanto uma tela famosa parece cara e de alto status, o quadro de imagem impressa levanta dúvidas sobre o bom gosto do dono da casa.

É ainda pior quando se trata de uma tela massivamente estampada colocada em uma moldura pomposa. Cartazes e pôsteres de decoração são uma boa alternativa por serem baratos, mas parecerem caros.

4. Capas de almofada no mesmo material que estofados ou cortinas

Acessórios no mesmo tom ou material do estofado geralmente dão a impressão de baratos e, portanto, parecem bregas e sem estilo. Além disso, ainda têm o incrível poder de distorcer a forma do sofá. As almofadas da moda antiga, feitas do mesmo material das cortinas, parecem ter sido costuradas com sobras de tecido para economizar dinheiro.

Lindas almofadas decorativas ou capas elegantes para os sofás ajudarão a dar uma levantada no visual da sala. O mais importante é criar um contraste de cores com os estofamentos e não fazer uma fusão com os outros móveis e elementos de decoração.

5. Roupas de cama de seda

Devido ao alto custo da seda, muitas pessoas compram falsificações de poliéster baratas, que têm uma aparência horrível e são inconvenientes de usar. Mesmo a seda legítima não é um atributo de riqueza, muito pelo contrário. O especialista em boas maneiras e etiqueta, William Hanson, garante que só pessoas sem estilo e aquelas que, por algum motivo, consideram este material um símbolo de luxo e aristocracia é que o compram. A preferência é por roupas de cama de algodão ou linho.

6. Mobílias pouco apresentáveis

O estofamento antigo e desbotado com arranhões, buracos ou remendos dá a impressão de que o proprietário é desleixado e não quer gastar na compra de móveis novos. Não há necessidade nenhuma de jogar fora o sofá ou cadeiras estofadas à medida que ficam velhos ou saem da moda. Você pode simplesmente trocar o estofamento ou até mesmo restaurar móveis antigos.

7. Lustres antigos

Lustres com flores e cachos, longos pendentes e iluminação LED multicolorida tornam o estilo de qualquer interior mais barato. Minimalismo e formas geométricas estão em alta agora. Lâmpadas simples têm uma aparência muito melhor do que as de arco-íris piscando no teto.

Um único lustre no centro do teto fornece uma iluminação bastante fraca para o quarto, não dando elegância ao ambiente. Quanto mais iluminada for a área, mais chique e interessante o cômodo parece.

8. Flores artificiais

As flores verdadeiras encantam os olhos, melhoram o humor e reduzem o estresse. E o que fazem os buquês de plástico, além de acumular poeira, baratear o interior e causar associações com eventos de luto?

Você pode usar flores artificiais para decoração, mas para isso elas devem ser o mais realista possível. A maioria das plantas de plástico tem folhas e botões com formas idênticas e cores chamativas artificiais.

9. Coleções desorganizadas

Uma coleção de itens vintage ou peças de arte parece elegante e esteticamente agradável, mas pilhas caóticas de discos ou fileiras de estatuetas deixam o ambiente bagunçado. Às vezes, isso até sugere um problema de acúmulo compulsivo do dono.

Se as coisas são realmente caras ou de valor sentimental, você deve organizá-las de forma que pareçam uma coleção completa, e não um monte de lixo. Os discos e CDs podem ser lindamente organizados e até integrados na decoração.

10. Toalhas de banho com estampa de animais

Qualquer tecido colorido perde a saturação com o tempo, por isso às vezes até toalhas que são usadas por pouco tempo parecem velhas e desgastadas. Peças sintéticas com impressões de baixa qualidade desbotam ainda mais rápido e, após algumas lavagens, parecem trapos.

Toalhas de alta qualidade feitas de algodão, de fibra de bambu ou outros tecidos naturais duram muito mais e parecem muito mais limpas. Se elas também forem brancas, ou pelo menos combinarem com a cor da decoração, o banheiro fica imediatamente mais chique.

11. Móveis antigos junto com novas tecnologias

Eletrodomésticos novos de última geração ao lado de móveis velhos causam desarmonia ao ambiente e insinuam desleixo do proprietário.

Não é preciso trocar a mobília a cada compra de novos eletrodomésticos. Mas até mesmo o móvel mais antigo pode ser restaurado ou modernizado com uma mão de verniz, o que deixará o ambiente muito mais harmonioso e caprichoso.

12. Imitações baratas de acabamento caro

Materiais econômicos, simulando os de elite, criam um interior que imita um estilo fino, mas não se relaciona de forma alguma com ele. Uma visita jamais vai olhar para o papel de parede achando que se trata de pedra natural. Já as paredes decoradas com gesso e tinta, que imitam tijolos, na maioria das vezes têm um aspecto esquisito, deixando a impressão de falhas no acabamento.

Bônus: abridores de latas

Há alguns anos, uma mulher causou grande polêmica ao afirmar que sua irmã havia encontrado um novo “indicador de pobreza” com base no abridor de latas. Segundo a lógica, apenas quem não tem dinheiro compra comidas enlatadas que necessitam de um abridor de latas. Os mais privilegiados escolhem latas com lacres e, por isso, não guardam abridores em casa.

Que coisas ou elementos decorativos parecem baratos ou de mau gosto para você, mesmo que custem muito caro? Conte para a gente, ou melhor ainda, mostre nos comentários.

Compartilhar este artigo