Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

10 Homens que construíram marcas mundialmente famosas (nós conhecíamos seus nomes, mas não seus rostos)

6---
159k

Ser famoso nem sempre significa ter um rosto conhecido pelo grande público. Esse é o caso de homens que criaram verdadeiros impérios da moda e que são cultuados mundo afora. Sim, certamente você já ouviu seus nomes, viu algumas ou várias de suas criações e talvez até seja capaz de reconhecer com um simples olhar os logotipos de suas respectivas grifes. Mas será que sabe quem são — ou quem foram — as pessoas responsáveis por essas grandes marcas?

O Incrível.club resolveu investigar a vida de homens que deram início a grandes grifes da moda e descobriu que alguns deles têm uma história de vida admirável. Confira!

1. Hubert de Givenchy

estilista francês saiu da casa da família em 1944, mudando-se da cidade francesa de Beauvais para a capital, Paris. Seu propósito era estudar e tornar-se um costureiro. Depois de trabalhar com importantes nomes da moda na época, como Jacques Fath, Hubert abriu seu próprio ateliê, em 1952.

Com ares de renovação, seus desenhos fizeram um contraponto à moda convencional daquele período. Por tal motivo, ele acabou firmando-se como o estilista favorito de grandes estrelas norte-americanas, como Audrey Hepburn, que viria a ser sua maior e mais importante musa inspiradora.

Diferentemente de alguns de seus colegas atuantes no mesmo ramo, ele tinha certa inclinação para o estilo prêt-à-porter, ou seja, para peças com padrões reproduzidos em escala massiva. Aliás, em 1973 o estilista lançava sua primeira coleção masculina e esportiva com esse estilo. Nos anos 80, a marca passou para as mãos de outra empresa e, finalmente, no ano de 1996, o famoso Givenchy se aposentou da indústria do design e da confecção de roupas. Ele morreu em 2018.

2. Yves Saint Laurent

estilista francês decidiu se mudar para Paris ainda muito jovem, decidido a realizar seu maior sonho: firmar-se como estilista de moda. A meta começou a ser concretizada quando ele conheceu Christian Dior, que o contratou como assistente e o nomeou seu sucessor para quando falecesse. Contudo, algum tempo depois, Saint Laurent foi removido do posto, o que o levou a abrir sua própria grife, junto com Pierre Bergé. A decisão foi o início daquilo que hoje conhecemos como o império Saint Laurent, marcado por túnicas, smokings, perfumes e ternos. Yves faleceu em 2008, aos 71 anos.

3. Pierre Balmain

Balmain foi um dos mais importantes pilares da moda no século XX. Ele nasceu em Saboia, França, e depois de se mudar para Paris com o intuito de estudar arquitetura e ingressar no exército francês, começou a trabalhar no ateliê de costura de sua mãe.

Em 1945, criou a marca que conhecemos hoje. Durante os anos 50, seu nome foi ficando cada vez mais conhecido, a ponto de o profissional passar a ser procurado para vestir estrelas do quilate de Marlene Dietrich e da rainha da Tailândia.

Em 1949, ele inaugurou uma boutique em Nova York. Ali, ao lado de Dior, se converteu em um dos mais importantes representantes da geração que ficou conhecida como New Look, caracterizada pelo movimento ligado à moda surgido após a Segunda Guerra Mundial.

4. Alexander McQueen

Alexander abandonou a escola em 1985, com apenas 16 anos, para aprender alfaiataria nas mais importantes casas da época. Em 1992, se formou em uma renomada escola de arte londrina apresentando uma coleção de roupas inspirada em Jack O Estripador. Para a sorte de McQueen, o desfile foi acompanhado da plateia pela editora da Vogue Reino Unido, que comprou todos os modelos. Graças a isso, a carreira do estilista deslanchou.

Nos anos 90, depois de conquistar uma boa reputação e causar uma revolução na moda, ele foi nomeado diretor criativo da Givenchy, em 1999. Durante seus quatro anos e meio à frente da grife, dedicou-se a produzir looks de alta costura, sem deixar de lado sua própria marca.

No fim da década de 90, vendeu 51% de sua marca ao grupo Gucci e deixou sua função na Givenchy para dedicar mais tempo ao seu empreendimento.

5. Cristóbal Balenciaga

Cristóbal começou sua carreira em 1917, abrindo seu próprio ateliê de moda contando com ajuda de uma de suas irmãs. Pouco tempo depois, já era bem conhecido entre a aristocracia e a realeza, o que abriu caminhos para que ele abrisse um segundo ateliê e expandisse seu negócio na cidade espanhola de Madrid. Contudo, em 1936, o profissional se viu obrigado a se mudar para Paris por conta da Guerra Civil Espanhola. Na capital francesa, Balenciaga começou uma nova etapa como estilista, mudando a moda dos anos 40 com looks que priorizavam o conforto, as linhas e os volumes.

Em 1968, Balenciaga decidiu abandonar o mundo da moda por considerar que o movimento prêt-à-porter ameaçava relegar os desenhos de alta costura a segundo plano.

6. Ralph Lauren

Depois de servir no exército norte-americano e estudar Gestão de Negócios por dois anos, o estilista nova-iorquino começou sua trajetória no ramo como vendedor em uma empresa de gravatas. Em 1967, conseguiu convencer o chefe a dar uma oportunidade para que ele começasse sua própria linha de roupas.

Assim, deu início à produção de peças exclusivamente masculinas, com a marca Polo. Porém, a partir de 1971, começou a criar modelos femininos. Graças a isso, em 1974, teve a chance de produzir os figurinos para o longa-metragem O Grande Gatsby. De lá para cá, sua grife se solidificou como a grande marca que conhecemos hoje.

7. Louis Vuitton

Louis, com 13 anos, saiu da casa da família na localidade francesa de Anchay para estabelecer-se em Paris. Depois de uma longa viagem, chegaria à capital francesa em 1837, aos 16 anos. Uma vez na cidade, conseguiu um posto de aprendiz de um fabricante de caixas e embalador, tornando-se muito hábil no ofício. Tanto que, em 1852, a esposa de Napoleão III o contratou como seu fabricante de caixas e embalador pessoal, dando a Louis muita popularidade entre os endinheirados da época.

Em 1854, abriu seu próprio ateliê junto com a esposa. Com o tempo, o negócio cresceu e Louis começou a experimentar novos estilos. Sua fama foi tanta que ele chegou a criar peças para Ismail Paxá, um vice-rei do Egito, e para a realeza francesa.

Apesar de sua empresa ter sofrido com problemas de ordem social e política, o estilista nunca desistiu. Até sua morte, aos 70 anos, se manteve firme na intenção de divulgar seu novo produto, uma linha de bagagens de luxo.

8. Gianni Versace

Com apenas 20 anos de idade, o jovem estilista começou a produzir roupas junto com a irmã caçula, Donatella. Apesar de ter estudado arquitetura, criou a grife de moda Versace, contando com a ajuda do irmão, Santo, em 1976. Conhecido por suas criações coloridas e seu olhar peculiar, vestiu famosos do naipe de Madonna, Michael Jackson, Paul McCartney, Linda Evangelista e Naomi Campbell, sem falar em membros da realeza, como Lady Di e o príncipe Charles. Assim, Versace deu início a uma estreita relação entre as indústrias da moda e do entretenimento.

Após seu assassinato, em 1997, muita gente pensou que a marca estava fadada ao fim. Contudo, a irmã do estilista, Donatella, com quem ele sempre teve uma relação próxima, vem conseguindo seguir os passos do irmão.

9. Calvin Klein

O famoso estilista norte-americano se formou em arte e design no ano de 1960 e logo depois começou a trabalhar no setor gráfico da empresa WWD. Na sequência, em 1968, desenvolveu uma grife com seu próprio nome, marcada por agasalhos e peças minimalistas. Não obstante, o que realmente causou impacto no público foi o estilo provocativo das roupas íntimas da grife, que até hoje representam uma das maiores fontes de receita da empresa. Calvin Klein foi o primeiro estilista a lançar no mercado um perfume unissex, o CK One, e os jeans de marca.

Em dezembro de 2002, vendeu a empresa para a poderosa Phillips-Van Heusen, abrindo mão da função de diretor criativo para passar a atuar como consultor da marca.

10. Christian Dior

O influente estilista francês Christian Dior nasceu em uma família burguesa da França e depois de estudar Ciências Políticas, resolveu apostar no mundo da moda. O início no ramo foi criando esboços para o famoso estilista Robert Piguet. Já no ano de 1946, Dior abria sua própria casa de costura em Paris. Ficou conhecido como expoente do já mencionado movimento New Look, estilo feminino caracterizado pelos looks com ombros torneados, cinturas finas e saias amplas a 20 centímetros do chão.

De lá para cá, a casa de moda Dior se consolidou como uma das mais importantes empresas de moda, do Planeta.

Você já conhecia a história ou o rosto dos estilistas mostrados neste post? Há algum profissional da moda que admire e que incluiria na lista? Comente!

6---
159k