Incrível
Incrível

10 Vilões que, vistos de perto, não são tão malvados assim

Por norma, os vilões ficam marcados por características nada admiráveis: eles são vis, invejosos e vingativos. Por outro lado, vários deles acabam conquistando nossos corações. Tais personagens assumem o papel de força propulsora para obrigar o protagonista a seguir em frente, e quando são bem desenvolvidos, fazem cada espectador encarar seu próprio lado obscuro. No fim das contas, nos perguntamos: e se os vilões que crescemos habituados a condenar não fossem, na realidade, tão malvados assim?

1. Dudley Dursley na saga Harry Potter

Ninguém questiona o fato de que Dudley contribui para fazer da estadia de Harry Potter na casa dos Dursley uma experiência terrível para o protagonista. E aquele comportamento pouco amigável certamente tem origem nas principais fontes de influência do garoto: a mãe e o pai. Mas quando damos um passo para trás, podemos enxergar o personagem com mais empatia.

Vale ressaltar que o mimado primo sentiu o lado errado da magia em determinadas ocasiões, como no encontro com uma certa serpente, além daquele pequeno rabo de porco, que devem ter alimentado os sentimentos negativos de Dudley em relação a Harry.

2. Malévola no filme homônimo

Malévola é tanto a vilã quanto a mocinha do filme. Transitando além do bem e do mal, a história mostra o momento em que ela é traída por seu “verdadeiro amor”, um humano chamado Stefan, que termina roubando as asas da personagem e entregando-as ao rei para tornar-se herdeiro do trono. Com sede de vingança, a fada amaldiçoa a princesa, que no futuro cairá em sono profundo.

Malévola, posteriormente, conhece a menina, passando a sentir remorso por suas ações. Assim, o conto de fadas passa a mensagem de força do vínculo familiar e do empoderamento feminino, sobrepondo-os ao tradicional amor romântico entre princesa e príncipe.

3. Ruth DeWitt em Titanic

Ao ver Titanic, somos levados e enxergar Ruth De Witt, a rígida mãe de Rose, como uma das antagonistas da história. E ela realmente tem condutas reprováveis, como a maneira com que trata Jack e a constante pressão exercida sobre a filha para o casamento com Cal.

A personagem era, obviamente, esnobe, grossa e egoísta, porém amava e cuidava de sua filha. Na cena dos botes salva-vidas, ela se nega a embarcar sem Rose, chegando a derramar lágrimas ao ver o navio afundando no oceano com a jovem e muitos outros passageiros.

4. King Kong no filme homônimo

King Kong é mais que uma fera em mais um filme de monstros. As pessoas aparecem em Skull Island após se perderem no mar, ignorando o fato de estar entrando no território do primata gigante. À medida que a história se desenrola, vemos Kong capaz de sentir diversas emoções. Ele demonstra-se protetor em relação a Ann.

Enquanto os humanos fazem o possível para capturar, controlar e se aproveitar do protagonista, o imponente gorila quer apenas viver em paz.

5. Loki em Thor

Loki tem muitos motivos para ser o vilão de Thor. Odin cria Loki desde bebê usando magia para esconder a verdadeira natureza do Gigante de Gelo. Além disso, Loki passa a vida considerando-se à sombra de Thor, filho predileto, por sua vez extremamente egoísta e irresponsável.

Descobrir-se filho adotivo pode ter levado Loki ao limite, mas lidar com um irmão como Thor durante décadas a fio certamente faz o personagem atingir altos níveis da mais pura maldade.

6. Sid em Toy Story

Sim, Sid maltrata e explora os brinquedos por diversão, mas não sabe que eles têm vida. Na verdade, Sid é uma criança que não recebe a devida atenção dos pais. Nós o vimos como um gigante malvado justamente porque a maioria dos personagens do longa medem cerca de dez centímetros de altura.

Além disso, Woody e os outros brinquedos assustam tanto o garoto que ele termina jurando nunca mais machucar um brinquedo de novo.

7. Agente Smith em Matrix

O Agente Smith, de Matrix, é um dos mais lembrados vilões de filmes de ficção científica. Assim como acontece com os demais Agentes na simulação, seu único propósito é atrapalhar os planos de Trinity, Neo e Morfeo. Entretanto, Hugo Weaving passou a dar ao personagem uma personalidade muito mais complexa. Dessa forma, Smith trai os demais Agentes e as próprias máquinas.

Para ele, os humanos eram vírus, algo repugnante, enquanto a Matrix era uma prisão da qual precisava escapar.

8. Conde Dooku em Star Wars: Episódio III — A Vingança dos Sith

O Conde Dooku é um vilão tão icônico quanto Darth Vader na saga Star Wars. Não é difícil compreender suas razões para trair a República. Para Dooku, os Jedi estão em desgraça por não serem mais capazes de manter a paz. A Ordem Jedi fica mais voltada a intervir na política, deixando-se afetar pela arrogância. Ao mesmo tempo, os Sith não são a melhor opção.

9. Sharpay Evans em High School Musical

Outra vilã inesquecível é Sharpay Evans, de High School Musical. Ainda que muita gente não goste daquela personalidade dramática e rude, uma coisa é certa: Sharpay atua em diversas produções desde a pré-escola, então de certa forma merecia o papel de protagonista. Já Gabriela e Troy basicamente não tinham experiência além de cantar em karaokê.

10. Scar em O Rei Leão O Rei Leão 2: O Reino de Simba

O irmão malvado do rei em O Rei Leão é um dos vilões mais inteligentes da Disney. Para um personagem que parecia fraco, ele consegue seu objetivo inicial ao destituir Mufasa e eliminar Simba da linha de sucessão ao trono. Com carisma e senso de liderança, Scar achava que os reis deveriam ser escolhidos em função de suas habilidades e aptidões, e não por serem primogênitos.

Assim, o desalmado leão rejeita Nuka em favor de Kovu como seu sucessor, o que vai contra os costumes. Porém, a decisão se mostra correta, pois Kovi não era mesmo competente para ser o futuro rei.

Qual o melhor vilão da história do cinema em sua opinião? E para você, por que certos vilões nos atraem mais do que os mocinhos?

Incrível/Arte/10 Vilões que, vistos de perto, não são tão malvados assim
Compartilhar este artigo