Há pouco mais de um ano, estas gêmeas brasileiras se tornaram uma sensação da Internet. Saiba como elas estão hoje

há 1 ano

Filhas de pais imigrantes de Guiné-Bissau e nascidas em São Paulo, há um ano as gêmeas albinas Lara e Mara Bawar participaram de uma sessão de fotos que viralizou na Internet. Não é de surpreender. Elas são negras e albinas e seus primeiros ensaios fotográficos fizeram sucesso no mundo da moda.

As fotos transmitem muita verdade e mostram que é possível ser você mesmo e transformar em sua marca registrada características que às vezes são malvistas pela maioria das pessoas. E, diferentemente de muitas estrelas que têm seus 15 minutos de fama, mas depois desaparecem, elas seguem sendo notícia.

Há algum tempo, a equipe do Incrível.club segue o perfil das irmãs Bawar no Instagram. Confira um post que já publicamos sobre elas. Saiba quais são as novidades das gêmeas.

A sessão fotográfica que alçou as irmãs ao mundo fama foi chamada de Flores Raras. As estatísticas mostram que casos como os de Lara e Mara são raríssimos. A probabilidade de uma pessoa nascer albina é de uma em 17.000. As gêmeas nasceram uma família simples e, graças ao fotógrafo Vinicius Terranova, ficaram famosas no mundo inteiro.

Aqui no Brasil, viraram matérias no Estadão, revista Marie Claire e participaram de programas como Encontro e Bem Estar. Também já deram entrevistas para uma TV alemã e participaram do documentário Repense as Princesas, da Avon.

Agora, as gêmeas, juntamente com a irmã mais velha, Sheila, têm participado de campanhas de marcas como Nike, Moschino e Bazaar Kids. Há pouco tempo, a marca Malaville lançou uma linha de bonecas inspirada nas irmãs.

A vida das pessoas com albinismo não costuma ser fácil. Mesmo nos países desenvolvidos, onde seria de se esperar que houvesse respeito e tolerância com as pessoas com essas características, os albinos muitas vezes são vítimas de bullying e preconceito.

Pior ainda nos países africanos, onde os albinos são amaldiçoados e muitas vezes usados em rituais. Por isso, o exemplo das irmãs Bawar é tão importante.

Pessoas com albinismo geralmente têm sensibilidade à luz, astigmatismo e visão embaçada. Alguns estudos relacionam, ainda, a condição a um maior risco de contrair câncer de pele. Então, por conta da já mencionada sensibilidade à luz, participar de uma sessão de fotos com flash costuma ser uma tortura para as pessoas com esse tipo de problema, como as irmãs Bawar. Repare que na maioria das fotos elas estão com os olhos fechados.

Mesmo sendo tão jovens (elas têm 12 anos), Lara e Mara inspiram muita gente. Elas têm 146 mil seguidores no Instagram e, a cada nova sessão de fotos, recebem milhares de curtidas e de mensagens de apoio e de gratidão.

“A diversidade é algo tão incrível que sequer podemos imaginar um mundo em que todos sejam exatamente iguais”, escreveram no Instagram.

Temos certeza de que esse é só o começo de uma bela história que ainda terá muitos capítulos felizes. A trajetória de Lara, Mara e Sheila é, sem dúvida, um exemplo para milhões de pessoas que às vezes têm receio de ser elas mesmas e de seguir seus sonhos.

Comentários

Receber notificações
Sorte sua! Este tópico está vazio, o que significa que você poderá ser o primeiro a comentar. Vá em frente!

Artigos relacionados