Conheça o museu dos memes, no RJ, e seu incrível ’acervo’

Curiosidades
há 11 meses

Duvidamos que você passe um dia inteiro sem ao menos ver ou receber um meme que seja. Saiba que agora eles viraram alvo de estudo e ganharam até um museu, mantido pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Embora muitas teses universitárias já tenham sido feitas, o #MUSEUdeMEMES é o mais completo no assunto no país.

Incrivel.club te mostra o motivo pelo qual esse fenômeno da Internet chamou a atenção dos estudiosos e também traz alguns dos exemplos do acervo do museu.

Afinal, de onde veio essa palavra meme?

Apesar de ter se disseminado há não muito tempo, o termo “meme” existe desde 1970. Nesse ano ele foi usado pela primeira vez por um importante cientista, o biólogo britânico Richard Dawkins em um de seus livros, chamado “O Gene Egoísta”. Tal citação, porém, não foi proposital. Em seu estudo ele chegou a conclusão de que existia uma forma diferente dos genes para replicar o conteúdo inscrito em nossa cultura, porém, não havia uma palavra para explicar o que era isso. Ele pegou emprestado uma palavra em grego que significava “mimeme”, que, logo depois, se transformou em “meme”. O termo foi sendo estudado e aperfeiçoado no decorrer dos anos e ganhou grande repercussão com a disseminação das redes sociais.

A criação do #MUSEUdeMEMES

Com o tempo os memes viraram tema de diversos estudos. Desde 2011 um time de universitários, pesquisadores e professores em Comunicação e de Estudos de Mídia da Universidade Federal Fluminense passou a reunir as referências sobre comunidades virtuais, conteúdos gerados por usuários, estudos acadêmicos, livros, textos, etc., e criou um webmuseu. Atualmente o #MUSEUdeMEMES tem quase 1.000 registros sobre memes. Um fato curioso é que os brasileiros estão entre os que mais produzem esses tipo de material do mundo, e alguns deles já ganham dinheiro com isso.

Como visitar o museu?

O #MUSEUdeMEMES é inteiramente virtual, e, portanto, não possui um espaço físico de exposição, nem exposições ou curadores. Tudo está disponível de graça para o internauta. O mais completo do gênero no Brasil, nele é possível pesquisar a origem dos memes, como eles se desenvolveram e o seu contexto, já que hoje eles são usados não apenas para difundir o humor. Como muitos dos memes são passageiros, é possível entender o seu contexto e por qual motivo foi engraçado e/ou crítico no momento em que foi criado. O que predomina, porém, são as abordagens para fazer rir. Tanto o é que, ao ser hackeado, o próprio site do #MUSEUdeMEMES produziu um meme da Nazaré Confusa para avisar os internautas. Assim que o serviço foi retomado, outro meme foi criado para avisar a todos.

Confira abaixo alguns dos memes do acervo que podem ser pesquisados no webmuseu.

É verdade esse bilete

Um dos mais recentes virais de memes foi produzido em agosto deste ano pelo garoto de 5 anos chamado Gabriel Lucca. E o melhor é que ele nem sabia disso. Gabriel ficou famoso no Brasil todo ao escrever um bilhete e entregá-lo aos “senhores paes” e assinando como sendo a “tia Paulinha”, sua professora, e, para atestar a “autenticidade”, escreveu “é verdade esse bilete”. O seu objetivo era faltar na escola para poder assistir uma série de animação. A manobra foi percebida pela mãe. Um dia depois a professora ficou sabendo, postou nas redes sociais e a mensagem viralizou a ponto de até a Netflix aproveitar a ideia.

Levanta a cabeça Princesa, senão a coroa cai

Em março de 2018, Jéssica, uma participante da versão brasileira do “Big Brother”, deu um conselho a outra integrante do concorrente do programa. Nele, ela comentou a saída de um outro participante. “Quando eu estou muito triste e passando por uma situação difícil, que nem na saída do Lucas, eu repito essa frase, que me faz muito bem e me deixa mais forte: ‘levanta a cabeça, princesa, senão a coroa cai’”. A frase não era nova, já tendo sido usada em 2012, porém, voltou a virar meme e alçou Jessica ao posto de nova “filósofa” brasileira e sua frase foi imitada por diversos famosos.

Gato entrevistado

Tião é um gato que foi “entrevistado” por uma emissora de TV em 2016. Na verdade, a entrevista era sobre o seu irmão, o Chico, famoso desde 2013 pela página "Cansei de ser gato",que depois ganhou site próprio. O gato entrevistado produz frases indignadas, porém, com teor cômico.

Show dos atrasados do Enem

Por um motivo que ainda precisa ser estudado, todo ano estudantes em fase pré-vestibular chegam atrasados nas provas do Enem (Exame Nacional de Ensino Médio). Apesar de muita gente se atrasar e perder a prova desde o início da realização do exame, foi só a partir de 2014 que memes começaram a surgir, e depois viralizaram. Atualmente há até comunidades, tais como a #ShowdosAtrasados para acompanhar as cenas de alunos desesperados que até estudaram muito, mas esqueceram a lição de dar uma olhada no relógio.

O que queremos?

Um dos memes mais clássicos do Brasil, a tirinha “O que queremos” foi inspirada em personagens produzidos pela artista Allie Brosh. No Brasil elas ficaram famosas após a adaptação de Francine Grando. O conteúdo das tirinhas sempre traz um agitador, que, ao se dirigir para um grupo, tem seu questionamento respondido com palavras de ordem. A piada se dá com a resposta da segunda pergunta do agitador, que, geralmente pergunta “quando queremos”, tem uma resposta indisciplinada e incoerente.

E você, conhece mais histórias de memes famosos? Se quiser gerar o seu próprio meme com alguma foto sua ou de amigos, alguns sites na internet te ajudam. Ou, se preferir, compartilhe com a gente algum meme de que goste.

Comentários

Receber notificações
Sorte sua! Este tópico está vazio, o que significa que você poderá ser o primeiro a comentar. Vá em frente!

Artigos relacionados